Menos de 1% do território nacional concentra 190,7 milhões de pessoas ou seja 84,3% da população

Airton Bulhões,

 Durante três anos equipes da Embrapa Gestão Territorial de São Paulo realizaram estudo mapeando a quantificação das urbanas já feitas no país. O resultado desse trabalho é que as áreas consideradas urbanas no Brasil representam menos de 1% do território nacional (0,63%) e concentram 190,7 milhões de pessoas, ou seja, 84,3% da população brasileira.

  O trabalho permitiu, entre várias outras aplicações, relacionar os municípios com maior densidade populacional urbana, lista que tem no topo Nilópolis, localizado na baixada fluminense, cujos 158.309 habitantes ocupam menos de 10 km2, resultando em mais de 16 mil habitantes por quilômetro quadrado.

  . Entre as cidades com mais de 200 mil habitantes, Diadema, na Grande São Paulo, é a que apresenta a área urbana mais densamente povoada, com média de 13.875 moradores por quilômetro quadrado.

   Na comparação entre unidades da federação, o Estado de Alagoas é o que apresenta maior densidade demográfica urbana, com 4.880 pessoas por quilômetro quadrado. No extremo oposto está Tocantins, cujas áreas urbanas abrigam, em média, 1.538 habitantes por quilômetro quadrado. São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília lideram, nessa ordem, a lista dos municípios de maior área urbana do País.

 

SAIBA MAIS

  O trabalho exigiu a observação criteriosa das imagens de satélite (foto da Nasa) de todos os municípios brasileiros. O trabalho da equipe foi, inicialmente, o de comparar a área urbana delimitada no censo de 2010 com a observada nas imagens. Quando havia discrepância, o técnico realizava ajuste cartográfico delimitando manualmente a área urbana observada na imagem.

  Foi utilizada a escala 1:50.000 para cada um dos municípios, o que, de acordo com o geógrafo André Rodrigo Farias, garante elevada exatidão para esse processo. A resolução maior proporcionada pelas tecnologias atuais também garantiu mais exatidão ao estudo, em comparação a trabalhos semelhantes feitos anteriormente.

  Ao finalizar, foram somadas as áreas de todos os polígonos urbanos do Brasil, o que totalizou 54.077 km2, correspondente a 0,63% de todo o território brasileiro. Farias acredita que o trabalho precisará de atualizações a cada década, uma vez que a dinâmica de ocupação do solo não costuma ser rápida e apresenta, proporcionalmente, pequenas alterações em relação ao tamanho do território nacional.


A+ A-