Natal é a terceira capital preferida para turismo no Nordeste nas férias de julho

Airton Bulhões,

   Natal é a terceira capital preferida pelos turistas nacionais nas férias de junho/julho, segundo pesquisa divulgada hoje e realizada pelo Ministério do Turismo. João Pessoa nem aparece na pequisa e Recife ficou em 7º com a cidade de Ipojuca.

  Em primeiro lugar Fortaleza, 2º Maceió, 3º Natal, 4º Gramado (Rio Grande do Sul), 5º Rio de Janeiro, 6º Porto Seguro (Bahia),7º Ipojuca (Pernambuco), 8º São Paulo, 9º Salvador e 10 Campos do Jordão (São Paulo).

 A sondagem foi realizada com 2 mil agências de viagens do país. Além disso, o estudo traz a perspectiva das empresas em relação ao desempenho, faturamento, demanda de serviços e geração de empregos de maio a outubro de 2019.

Na composição do público, os casais com filhos correspondem ao maior número (37%) dos viajantes que utilizam agências de viagens, seguidos dos casais, com 22%, e viagens em família, com 21%. Sol e praia (49%) é o principal destino demandado pelos turistas. Destinos culturais e com títulos de patrimônio histórico ficam com o segundo lugar (16%), enquanto viagens a trabalho (10%) e por ecoturismo (9%) ocupam a terceira e quarta posições.

  Mais preferências dos turistas 49,2% querem sol e mar; 15,3% cultura e patrimônio; 10% outros;9% ecoturismo; 3,3% turismo de aventura e 3,2% religião.

SAIBA MAIS

Na perspectiva para os próximos seis meses, 17,8% das agências de viagens consultadas indicaram a possibilidade de contratação de novos funcionários. Ao serem questionadas quanto à demanda pelos serviços ofertados até outubro deste ano, cerca de 61% das empresas indicaram perspectiva de aumento na oferta de serviços.

No faturamento, também cerca de 61% das agências percebem um cenário de crescimento.

A percepção é mais otimista que nos três primeiros meses do ano, quando as agências registraram perspectiva de 7% no crescimento do número de empregados, 36% de aumento na demanda de serviços ofertados, e 30% no faturamento.

OPINIÃO

  Na opinião do colunista essa redução de ICMS no preço do querosene para estimular as empresas não vai trazer neneca de voos para Natal. Chegou tarde, começou errado lá na ponta com o ex-governador Robinson Farias e vai acontecer a mesma coisa. Isso pode trazer algum efeito quando as novas empresas internacionais começarem a voar no Brasil.

rmM9tRb.jpg
A+ A-