Tecnologia beneficia comunicação com auxílio de aplicativos

Airton Bulhões,

 A operadora Tim  está anunciando o apoio nacional ao projeto “Giulia- Mãos que Falam”, sistema baseado em inteligência artificial idealizado pelo professor da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manuel Cardoso, CEO da startup Map Innovation, para facilitar a comunicação entre surdos e pessoas que não sabem a Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS).

Além do usuário surdo, a iniciativa também beneficiará as empresas, pois ajudará as áreas de recursos humanos na contratação e comunicação diária com pessoas com deficiências. Os clientes corporativos da TIM terão a tecnologia a seu favor, colaborando para um ambiente de trabalho mais inclusivo, condizente com a legislação, e com mais oportunidades de desenvolvimento para os profissionais com deficiência auditiva. Com o uso da tecnologia, a comunicação entre as companhias e colaboradores, surdos e ouvintes, será melhor e mais desenvolvida.

  O “Giulia – Mãos que falam” é um aplicativo baseado em inteligência artificial, que utiliza a tecnologia embarcada nos smartphones para traduzir em som o significado dos movimentos de quem está utilizando o aparelho. Por meio dele, os sinais de Libras são captados e transmitidos pela tela do celular em formato de voz e sinais realizados por um avatar, facilitando a comunicação dos surdos com as demais pessoas. A ferramenta conta ainda com diversas outras funções, como despertador, babá eletrônica, conferência, emergência, entre outras.

  A ação faz parte de uma série de esforços da TIM no sentido da inclusão via tecnologia para a promoção da acessibilidade, como o aplicativoEmoti Sounds, que disponibiliza sons para descrever as emoções passadas nos emoticons mais utilizados nas conversas de mensagem instantânea. Além disso, a companhia está contratando profissionais com deficiência em todo o Brasil. São iniciativas que integram os funcionários em uma socialização que abre caminhos não só às pessoas com deficiências, mas a todos.

SAIBA MAIS

  O Brasil possui atualmente 9,7 milhões de pessoas com deficiência auditiva, de acordo com o último censo do IBGE (2010). Destes, mais de 2 milhões apresentam perda de audição em um grau severo, situação que dificulta a acessibilidade de uma grande parcela desta população


A+ A-