Rogério terá de esperar por Ezequiel para definir apoio ao governo

Diógenes Dantas,
Câmara dos Deputados e AL
Rogério Marinho é voz importante no ninho tucano, mas o bico de Ezequiel está mais vistoso do que o dele hoje em dia.

A gente encerra a semana com uma certeza: o grupo de Rogério Marinho no PSDB já tem candidato ao governo. Ele atende pelo nome de Fábio Dantas, atual vice-governador Fábio Dantas.

Essa preferência ficou clara em duas entrevistas que fiz recentemente. Uma com o próprio Rogério Marinho, e outra com o vereador Dickson Júnior, presidente municipal do PSDB.

Os dois disseram com todas as letras que o melhor candidato para o PSDB é Fábio Dantas.

O apoio do grupo de Rogério a Dantas é importante, mas depende de outra liderança tucana, a maior delas neste momento do partido.

Falo do presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira de Souza, responsável pelo fortalecimento recente do PSDB no Estado.

Por força da liderança exercida hoje por Ezequiel, o PSDB se apresenta para eleição com oito deputados estaduais e mais de uma centena de prefeitos e vice-prefeitos.

Sem dúvida, o PSDB é o fiel da balança nesta eleição. Para onde pender, pode dar grande vantagem a qualquer postulante ao governo. Carlos Eduardo, Fábio Dantas e Robinson Faria desejam contar com esta força eleitoral.

Conta-se nos bastidores que Ezequiel é um dos fiadores da pré-candidatura de Fábio Dantas ao governo estadual, estimulando-o em vários momentos.

Ezequiel tentou costurar uma saída honrosa para Robinson, e a assunção de Fábio ao poder antes da eleição, para que o vice-governador fosse candidato ao governo sentadinho na cadeira da Governadoria.

O presidente do PSDB e outros políticos esbarraram no desejo de Robinson de candidatar-se à reeleição e no medo do governador de ficar sem foro privilegiado em momento ruim na Justiça.

Robinson tenta recuperar o fôlego político, e sonha ainda com o apoio dos tucanos - um cenário, a meu ver, pouco provável.

O grupo de Ezequiel tem até final de julho e comecinho de agosto, época das convenções, para definir se fica com Fábio Dantas, Carlos Eduardo e Robinson Faria.

Até lá, seguirá se valorizando e aumentando, cada vez mais, as chances de ocupar espaços importantes na chapa majoritária. Uma das vagas para o Senado é pedra fundamental na estratégia do grupo de Ezequiel.

Rogério é voz importante no ninho tucano, mas o bico de Ezequiel está mais vistoso do que o dele hoje em dia. Vamos acompanhar.


Veja o comentário na íntegra:



DD.



Por que só agora CARA-PÁLIDA?

Diógenes Dantas,

cara_palida_370As contas do governo Robinson Faria referentes ao ano de 2016 foram reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado, por unanimidade. Isto é fato.

Também é fato que as contas de qualquer governo sempre foram tratadas politicamente, na base do faz de conta. Nenhum governo teve as contas rejeitadas no plenário da Assembleia Legislativa. Isto é fato.

O interesse na votação das contas do Governo Robinson tem um componente eleitoral muito forte às vésperas das convenções partidárias.

Segundo relatos oriundos da casa legislativa, parlamentares ligados ao PSDB e MDB defendem a apreciação dentro de 45 dias. Isso tem causado estranheza.

O PSDB ainda estuda caminhos para as eleições, cogita apoiar o vice-governador Fábio Dantas, que se desgarrou de Robinson. A legenda dos tucanos ainda é cortejada por Carlos Eduardo Alves e Robinson Faria.

O MDB deve ir de Carlos Eduardo, do PDT. E Robinson pretende disputar a reeleição.

O caldo é esse. Alguém quer criar embaraço ao governador no instante em que ele articula a própria eleição, no caso, reeleição.

O líder do governo Disson Lisboa, do PSD do governador, espera uma análise técnica das contas. Mas ele sabe como poucos que a análise na AL é sempre política. 

Se fosse técnica, o governador correria sério risco de impeachment porque o relatório do TCE é bastante duro e contundente.

A meu ver, este é um dos últimos esforços para evitar a candidatura de reeleição de Robinson Faria, pressionando-o a abrir mão da disputa, tumultuando o ambiente político para a composição de um palanque incerto.

Os deputados que defendem a análise das contas agora deveriam ter sido diligentes, zelosos, logo que o TCE reprovou as contas do governador no ano passado.

Cabe a perguntar: Por que só agora cara-pálida?


Veja comentário na íntegra:



DD.


Delatores vão depor na ação penal do ‘Quadrilhão do PMDB’

Diógenes Dantas,
Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Henrique soube que a Justiça autorizou que 42 testemunhas sejam ouvidas na ação em que amigos de Temer são acusados de operar propinas.

Preso há mais de 10 meses preventivamente, o ex-deputado Henrique Eduardo Alves tem colecionado uma série de notícias ruins.

Após ter sido tornado réu no processo denominado ‘Quadrilhão do PMDB’, Henrique soube ontem que a Justiça Federal em Brasília autorizou que 42 testemunhas sejam ouvidas na ação penal em que amigos de Michel Temer são acusados de operar propinas.

Por enquanto, o presidente da República está fora do rol de denunciados neste processo.

As pessoas que serão ouvidas são, na sua maioria, delatores. Das 42 testemunhas, 37 são colaboradores da Lava Jato.

Na turma que será ouvida para falar do ‘Quadrilhão do PMDB’ aparece gente de peso como Marcelo Odebrecht (Odebrecht), Ricardo Pessoa (UTC Engenharia), Otávio Azevedo (Andrade Gutierrez), o ex-ministro Antônio Palocci, Fernando Baiano, Alberto Youssef; e o cearense Sérgio Machado (ex-Transpetro), que já andou complicando a vida de Henrique Alves.

No processo do ‘Quadrilhão’, muitos amigos de Michel Temer estão enrolados. Além de Henrique, Geddel Vieira Lima, Eduardo Cunha, Rodrigo Rocha Loures, José Yunes e o Coronel Lima.

O novo processo é fator que dificulta mais ainda os esforços da defesa de Henrique Alves por sua liberdade imediata.


Ver comentário na íntegra:



DD.


Miséria é desafio para futuros governantes

Diógenes Dantas,
FD/BSB
Recessão de 2014-2016 resultou em mais pobreza extrema. Em 2017, essa miséria aumentou em 11%. Maior parte no Nordeste.

O futuro presidente ou a presidente da República vai se deparar com um país dividido e endividado, com déficits brutais.

A pauta de reformas, principalmente da Previdência, será obrigatória, independentemente de questão ideológica, seja o vencedor de direita, esquerda ou centro.

A lenta recuperação da economia é um consenso entre os especialistas econômico, e um dado cruel me chamou atenção e deve estar no horizonte de qualquer governante. Os dados da miséria.

A recessão de 2014-2016 resultou em mais pobreza extrema. Em 2017, essa miséria aumentou em 11%.

O que é esta pobreza extrema? Uma pessoa viver com menos de 136 reais por mês. Mas há quem declare viver com menos de 40 reais por mês.

Segundo levantamentos realizados em análise dos números da PNAD do IBGE, o Brasil tem hoje 14,8 milhões de miseráveis.

O Nordeste abriga 55% desse contingente de miseráveis.

Por outro lado, a renda mensal do 1% mais rico ficou na média dos 27 mil reais mensais.

O desafio de qualquer governante será acabar como esse abismo, aproximando os mais pobres da fatia mais abastada dos brasileiros, a chamada turma do andar de cima.



DD.


PSDB é o partido mais cortejado na sucessão estadual

Diógenes Dantas,
João Gilberto/AL
Presidente da legenda, Ezequiel Ferreira, tem dito que tem mantido conversas constantes para definir o projeto majoritário do PSDB.

O PSDB do Rio Grande do Norte chega às vésperas da eleição estadual com cacife de fazer inveja.

São oito deputados estaduais, 33 prefeitos e vice-prefeitos, 107 vereadores e presença em 150 dos 167 municípios do Estado.

A legenda é a segunda maior do RN, perdendo apenas em musculatura eleitoral para o tradicional MDB.

Pelo menos 3 candidatos ao governo sonham com o apoio do tucanos: Robinson Faria, candidato à reeleição, Carlos Eduardo e Fábio Dantas.

Circulou a informação que uma parcela do partido estaria vetando apoio a Carlos Eduardo, mas não procede. Por enquanto.

O deputado Tomba Farias, recém acomodado no ninho tucano, me dizia que o partido está aberto para conversar com todos os postulantes de centro-direita.

O presidente da legenda, Ezequiel Ferreira, tem dito a mesma coisa. Que tem mantido conversas constantes para definir o projeto majoritário do PSDB.

A primeira missão de Ezequiel foi cumprida. Segundo ele, o compromisso inicial era promover o crescimento da legenda em quantidade e qualidade de quadros políticos.

Agora, complementa, a hora é de muita conversa com as principais lideranças do Estado, na capital e no interior.

Até as convenções partidárias, entre final de julho e começo de agosto, o partido deverá articular sua presença nas chapas majoritária e proporcional.

Fez bem Geraldo Melo ingressar na legenda. O PSDB apresenta o nome do ex-senador para chapa majoritária com grande chance de emplacar.

Geraldo mira o Senado, mas não descarta seu nome para o governo. A conferir.


Ver comentário na íntegra:


Álvaro Dias assume Prefeitura prometendo se manter longe da ambição dos traidores

Diógenes Dantas,
TV Câmara
Álvaro Dias assume o lugar de Carlos Eduardo Alves na Prefeitura de Natal, prometendo gestão de continuidade.

A assunção de Álvaro Dias à Prefeitura de Natal dará um caráter mais político à gestão da capital.

A prova maior nesse sentido foi a presença de todos os vereadores no auditório do bairro de Nazaré, onde a posse formal se efetivou na tarde de ontem (10).

Álvaro Dias, ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Legislativa, gosta do bastidor político, transita com desenvoltura entre as lideranças partidárias, sabe jogar politicamente e pragmaticamente.

Diferentemente do estilo do antecessor Carlos Eduardo Alves, avesso ao contato com políticos e detentores de mandato desde os tempos da Assembleia, quando deu início à sua carreira política.

Carlos Eduardo vai precisar muito do poder de articulação do agora prefeito Álvaro Dias, que promete uma gestão de continuidade sem “a mácula dos desconfiados”.

Confesso que me faltou elementos para entender o que Álvaro Dias quis dizer neste momento de posse.

Fiquei desconfiado que ele já anda pressionado para demonstrar  fidelidade ao colega que lhe cedeu a cadeira no Palácio Felipe Camarão.

Álvaro Dias disse ainda que vai se manter “longe da ambição dos traidores”.

Será que alguém vestiu a carapuça na plateia de vereadores que o prestigiou?

Não sei. Me bateu apenas uma desconfiança enorme.


Ver comentário na íntegra:


DD.


Quadrilhão do PMDB complica Henrique

Diógenes Dantas,
Reprodução
Novo processo tende a dificultar ainda mais a vida de Henrique Eduardo Alves, preso preventivamente.

O juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da décima segunda vara federal de Brasília, aceitou ontem (9) a denúncia contra nove pessoas acusadas de atuarem no chamado ‘Quadrilhão do PMDB’.

Entre os réus está Henrique Eduardo Alves, preso há mais de 10 meses por causa de outros dois processos na Justiça Federal - o de desvios na obra da Arena das Dunas e o das irregularidades nos fundos da Caixa Econômica Federal.

O caso do ‘Quadrilhão do PMDB’ é desdobramento da segunda denúncia da PGR contra o presidente Michel Temer, que foi rejeitada pela Câmara dos Deputados.

Com a decisão dos nobres deputados, o STF remeteu para primeira instância a parte da investigação envolvendo políticos que perderam o foro privilegiado, caso de Henrique Alves.

Ao lado de Henrique neste processo do Quadrilhão estão gente muito próxima do presidente Temer, a conferir: José Yunes, o famoso Coronel Lima, Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima e Rodrigo Rocha Loures. Turma do peito do presidente da República.

O novo processo tende a dificultar ainda mais a vida de Henrique Eduardo Alves, preso preventivamente.


Ver comentário na íntegra:


DD.



Fora da Prefeitura de Natal, Carlos Eduardo tem sérios problemas para montar palanque

Diógenes Dantas,
Alex Régis
Ex-prefeito Carlos Eduardo Alves enfrenta dificuldades para montar palanque eleitoral; deputados do MDB e do DEM se rebelam e pressionam cúpulas partidárias.

Carlos Eduardo Alves saiu para concorrer. Álvaro Dias assumiu a Prefeitura de Natal. Essa etapa foi cumprida.

Agora chega fase mais dura da pré-campanha de Carlos Eduardo: a montagem das chapas majoritária e proporcional.

O ex-prefeito tem problema nas duas. Na majoritária, ele terá o desafio de compor um palanque com aliados tradicionais e de peso como Garibaldi Filho e José Agripino Maia sem pecha de 'acordão'.

Na proporcional, ele precisa conter a rebelião de parlamentares de partidos como MDB e Democratas, preocupados com a reeleição.

A notícia que corre é que o agora fortíssimo PSDB, liderado pelo presidente da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira, está fora do palanque de Carlos Eduardo.

Os tucanos devem fechar com Fábio Dantas (se vingar) ou com Robinson Faria, que recupera capacidade de articulação política.

Como se vê, a trajetória da candidatura de Carlos Eduardo não está definida, não está clara.

Pelo andar das pesquisas, ele é nome forte na capital, mas fraco no interior. Precisa de generais e soldados que costumam ganhar batalhas eleitorais no interior do Estado.

Carlos Eduardo precisa ganhar a estrada. Na esteira do drama político de Lula, Fátima Bezerra segue solta como líder nas pesquisas e forte candidata a ser batida nas urnas pelas forças de centro-direita do Estado. A conferir.


Ver comentário na íntegra:




DD.

Semana decisiva nos campos jurídico e político

Diógenes Dantas,
FD/Brasília
Lula aguarda julgamento do STF sobre pedido de habeas corpus para se livrar da prisão após condenação em 2ª instância da Justiça Federal.

A semana promete ser decisiva em dois campos da sociedade brasileira: jurídico e político.

No campo jurídico, o país se volta para o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula.

Além da liberdade do líder petista, os magistrados podem mudar a jurisprudência que prevê hoje a prisão do condenado a partir de decisão em segunda instância.

O instrumento é fundamental para reduzir a sensação de impunidade neste país, onde os ricos têm enormes chances de escapar da cadeia. Na maior parte dos casos, só pobre vai preso.

Na seara política, as atenções se voltam para o prazo final de filiações e de afastamento de cargos do executivo. Até 7 de abril, muitos políticos vão decidir seus destinos e futuro de populações.

Aqui no Rio Grande do Norte, a classe política está de olho em duas figuras: Governador Robinson Faria, candidato à reeleição; e prefeito Carlos Eduardo Alves, que mira a cadeira de Robinson.

Há rumores, hoje fracos, de que Robinson pode buscar uma cadeira de deputado. Para que isso ocorra, ele terá de renunciar e entregar o cargo ao vice Fábio Dantas, que se lançou na corrida estadual.

Robinson tem reiterado nas últimas semanas que não renuncia, e decidirá sobre candidatura mais adiante. O governador pode repetir Rosalba, sem concorrer à reeleição, mas ficando no cargo até o último dia de mandato.

Já Carlos Eduardo, o prefeito de Natal, promete uma decisão até sexta-feira, dia 6, véspera do prazo final. O prefeito da capital dá claros sinais de que está no páreo da eleição estadual. Ele deverá se afastar da Prefeitura para rodar o Estado em busca de apoios.

O grande desafio de Carlos Eduardo será montar uma chapa que não passe a ideia de um "novo acordão", projeto derrotado em alguns pleitos recentes.

De cara, Carlos Eduardo terá de equacionar compromissos políticos que o coloca numa chapa com alto índice de rejeição, ao lado de Garibaldi e Agripino Maia, ambos candidatos ao Senado.

O eleitorado mais jovem faz cara feia para a composição.


Ver meu comentário no Youtube:



DD.


Prefeitura de Natal lança aplicativo para monitorar trânsito

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Newton Filho, técnico da STTU, ferramenta possibilita, por exemplo, a visualização de todo um corredor de tráfego em vários pontos da capital.

Orientar o cidadão natalense e aqueles que visitam a nossa cidade em relação às condições de trânsito nas principais avenidas e ruas da capital potiguar. 

Esse é o objetivo do Monitore Natal, sistema lançado pela Prefeitura do Natal e criado e operado pela Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU). 

O serviço já pode ser acessado através do link: http://sttu.gtrans.com.br/ ou pelo aplicativo para Android no Google Play e Apple Store para IOS. No site da Prefeitura também é possível o acesso.

Ao acessar o site ou o app, o usuário visualiza um mapa com todas as câmeras e, ao clicar sobre o local desejado, passa a assistir as imagens ao vivo e em tempo real, com acesso, inclusive, a um mosaico utilizando quatro pontos diferentes ao mesmo tempo.

Essa ferramenta possibilita, por exemplo, a visualização de todo um corredor de tráfego.

Eu conversei hoje (29) com Newton Filho, técnico da STTU, encarregado da inovação.

Confira a entrevista:


DD.


Ciclo de Carlos Eduardo na Prefeitura de Natal está perto do fim

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Prefeito Carlos Eduardo Alves deve anunciar candidatura ao governo estadual no dia 6 de abril, véspera do prazo final de desincompatibilização.

O ex-presidente Itamar Franco era notório por deixar a classe política de Minas Gerais, principalmente em Juiz de Fora, em suspense toda vez que se preparava para anunciar uma candidatura. Ele costuma ir ao limite do prazo eleitoral.

Certa vez, candidato a senador, Itamar chegou a atrasar, em uma hora, o relógio da prefeitura em Juiz de Fora para cumprir o prazo de renúncia.

Carlos Eduardo Alves não é Itamar, mas mantém todo mundo em suspense sobre candidatura ao governo.

No começo da semana, em entrevista ao RN Acontece da Band, ele me disse que estava esperando um retorno da executiva nacional do PDT para garantir recursos da campanha eleitoral.

Dinheiro que vai para o marketing, redes sociais, logística de campanha e tudo mais.

Carlos Eduardo não me revelou valores, mas o PDT tem cerca de R$ 62 milhões para repartir com a campanha presidencial de Ciro Gomes e com os candidatos ao governo.

No caso dos estados, a grana vai depender do número de eleitores em cada unidade federativa apurado em 31 de maio do ano da eleição.

Pela lei eleitoral, o limite de gastos com a campanha de governo vai variar de R$ 2,8 milhões a R$ 21 milhões.

Certamente, o gasto do PDT com o RN deverá ficar pouco acima do piso estabelecido em lei.

Carlos Eduardo Alves me disse que até o dia 4 teria uma resposta do diretório nacional, mas corre a informação que ele já tem uma resposta positiva.

Portanto, o prefeito já se comporta como pré-candidato ao governo. A renúncia é dada como certa.

Ele fará o anúncio na véspera da data limite [7 de abril]. A expectativa é que ele torne pública sua decisão na sexta-feira, dia 6.

Na prefeitura, muitos auxiliares de Carlos Eduardo Alves correm contra o tempo para agilizar processos e arrumar gavetas.

Afinal, ninguém tem certeza de continuidade na quase certa gestão do vice-prefeito Álvaro Dias.


Ver comentário na íntegra:



DD.


Dácio Galvão comemora números do Carnaval Multicultural de Natal

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Dácio Galvão, secretário de Cultura do município, comemorou o resultado da pesquisa sobre o perfil econômico do Carnaval Multicultural da capital.

A Prefeitura de Natal, em parceria com a Fecomércio, apresentou a pesquisa com o o perfil do público e empregabilidade durante o Carnaval Multicultural de Natal deste ano.

Os números apresentados apontam um crescimento de público de 26,7% e 52,23% a mais na movimentação financeira no período da festa, na capital potiguar. 

O público total de foliões que esteve no evento chegou a 573.654 pessoas. Ano passado, o número de presentes foi de 452.670.

Em relação aos gastos, os foliões fizeram circular na economia da cidade, R$ 61,4 milhões. 

Em 2017 esses gastos foram de R$ 40,3 milhões. 

Na festa do ano passado o investimento da Prefeitura foi de R$ 4,5 milhões, contra R$ 5,5 milhões agora em 2018. 

Os números apontam um retorno positivo do investimento público no evento.

Dácio Galvão, secretário de Cultura do município, comentou os números hoje (28) numa entrevista ao Jornal 96. 



DD.


Geraldo Melo encontra abrigo no PSDB

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Geraldo Melo voltou ao PSDB pelas mãos do presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira de Souza, voz ativa na construção política da legenda.

O ex-senador Geraldo Melo está de volta ao PSDB, legenda que comandou até o final da década de 90, e que ocupou a vice-presidência do Senado Federal.

Foram tempos áureos para Geraldo, que ele deseja resgatar em parte neste retorno ao ninho tucano.

Ainda no MDB, seu velho abrigo também, ele tentou se colocar como opção para o Senado.

Garibaldi Filho mal lhe deu uma resposta, receoso de criar problemas para ele próprio na renovação do mandato.

Aos amigos próximos, Geraldo Melo diz que retorna ao PSDB e pode ser candidato a tudo. Anda pontuando nas pesquisas para o governo e Senado. A depender do levantamento, o experiente político aparece num quarto lugar.

Para quem está afastado de mandatos há quase duas décadas, até que não está mal.

Geraldo voltou ao PSDB pelas mãos do presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira de Souza, voz ativa na construção política da legenda.

Acho pouco provável uma candidatura dele a deputado federal se formos levar em conta suas palavras de “candidato a tudo”.

Neste caso, Geraldo poderia se chocar com o projeto eleitoral de Rogério Marinho, candidatíssimo à reeleição.

Justamente Rogério, que lhe tirou o comando da legenda quando Geraldo perdeu o mandato de senador, em 2002.

Naquela ocasião, Geraldo Melo insistiu numa reeleição difícil para o Senado, em vez de garantir o mandato certo de deputado federal.

Resultado: ficou sem cadeira em Brasília, perdeu protagonismo político, foi escanteado.

Ficou como aquele político do dito popular: “Em porta de político sem mandato, nem o vento bate”.


Confira meu comentário na íntegra:




Aldemir Freire prevê crescimento de 2% para economia potiguar em 2018

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Aldemir Freire, do IBGE: saldo do emprego no RN voltou a ser positivo em 2017, e tende a se manter no mesmo em 2018.

O Rio Grande do Norte perdeu 3.570 postos de trabalho com carteira assinada em fevereiro. 

A perda acumulada no primeiro bimestre é de 4.200 empregos formais. Os dados são do Caged (cadastro geral de empregos) do Ministério do Trabalho.

Para o economista e analista do IBGE, José Aldemir Freire, não há motivo para alarme. O Estado vive sua quadra de “dispensas” que vai de dezembro a março.

“Normalmente esse período é marcado por demissões nas empresas”, explicou Aldemir.

O economista disse que o mais importante é a movimentação do emprego de junho a novembro, onde o saldo costuma a ser positivo.

“É a época da safra agrícola [da fruticultura irrigada], cana de açúcar, indústria se preparando para vender no Natal, e o comércio”, completou Aldemir Freire.

Segundo o analista do IBGE, o saldo do emprego no RN voltou a ser positivo em 2017, e tende a se manter no mesmo patamar este ano.

Aldemir Freire aposta num crescimento econômico da ordem de 2%.

Confira minha entrevista com José Aldemir Freire, do IBGE:



DD.


Carlos Eduardo Alves fala que chapa para Senado está aberta

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Prefeito Carlos Eduardo Alves informou que as candidaturas de Garibaldi Filho e José Agripino à reeleição "não são certezas".

O prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) surpreendeu muita gente ao dizer que as candidaturas de Garibaldi Filho (MDB) e José Agripino Maia (DEM) à reeleição não são certezas.

Carlos Eduardo comentava eventuais alianças durante entrevista ao RN Acontece da Band.

“Eu quero dar uma informação: Garibaldi e Agripino não são certezas [para o Senado. Eu tenho conversado com os dois”, disse o prefeito, que ainda vai decidir se concorre ao governo até 7 de abril.

A informação de Carlos Eduardo batem com os rumores dos bastidores políticos.

Depois de analisarem juntos várias pesquisas, incluindo as qualitativas, os senadores discutem cenários.

Garibaldi Filho quer o melhor para Walter Alves, seu filho. O senador do MDB também está preocupado com o financiamento da campanha eleitoral, tarefa que ficava a cargo do primo Henrique, hoje preso.

Já o senador José Agripino preocupa-se com a situação jurídica [Arena das Dunas] e o risco de ficar sem foro privilegiado. A 'rua' diz que Agripino estuda candidatura a deputado federal. Uma coisa impensável há pouco tempo.

Mas uma fonte muito próxima a ele me disse: “Nesse ponto José Agripino é pragmático. Fará o que for necessário para se manter no jogo político”.

Carlos Eduardo Alves já comentou que não tem como negar vaga à reeleição tanto para Garibaldi como para Agripino, mas sonha com uma acomodação que não passe a ideia de novo 'acordão' se confirmar sua candidatura ao governo.

O tal 'acordão' já foi derrotado na eleição de Micarla de Sousa para prefeita da capital em 2008, e na de Henrique Alves ao governo em 2014.

Uma chapa majoritária comporta por Carlos Eduardo, Garibaldi Filho e José Agripino, e uma penca de partidos, pode passar essa ideia.


Conferir comentário na íntegra:


DD.


João Amoêdo apresenta agenda liberal do Novo

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
João Amoêdo, presidenciável do Partido Novo, esteve em Natal nesta segunda-feira divulgando as ideias da legenda para as eleições 2018.

O engenheiro e economista João Amoêdo, presidenciável do Novo, cumpre agenda em Natal nesta segunda-feira (26).

Na parte da manhã, ele esteve em fórum da Fiern (Federação das Indústrias), onde apresentou as ideias do Novo para o setor econômico, numa agenda marcadamente liberal.

À noite, João Amoêdo vai se reunir com jovens e filiados ao partido na Unifacex.

Amoêdo defende um Brasil mais leve, com menos impostos, mais livre e mais seguro.

Eu conversei com ele no Jornal 96. Confira!



DD.


Políticos querem fundo extra para gastar na campanha eleitoral

Diógenes Dantas,
FD/Brasília
Deputados desejam criar um fundo extra com dinheiro remanejado de ministérios e da reoneração da folha de pagamento das empresas.

Os partidos políticos estão correndo contra o tempo para aprovar um fundo EXTRA para as eleições deste ano. A informação foi publicado no Estadão do domingo.

Além do Fundo Público Eleitoral [R$ 1,7 bilhão] e do Fundo Partidário [R$ 888 milhões], os deputados desejam criar um fundo extra com dinheiro remanejado de ministérios e da reoneração da folha de pagamento das empresas. A ideia está sendo discutida na Câmara dos Deputados.

Isto é uma pouca vergonha. Isso significa mais dinheiro público para gastar na campanha eleitoral. Para bancar a festa dos políticos.

Dinheiro que falta na saúde, na educação, na segurança pública ou nas estradas.

Só para você ter uma ideia da pouca vergonha de grande parte da classe política, o dinheiro dos fundos públicos está servindo para comprar deputados até o dia 7 de abril, prazo final das filiações.

Tem cara de pau com mandato em Brasília levando de R$ 2 milhões a R$ 3 milhões para abraçar nova legenda.

O troca-troca é grande, e é bancado pelo seu, pelo meu, o nosso dinheirinho.

Fique atento. Os políticos em Brasília desejam criar mais um fundo público para gastar na campanha eleitoral. Algo precisa ser feito.


Ver comentário na íntegra:



DD.


Resultado imprevisível

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Felipe Maciel evitou fazer prognóstico sobre julgamento de habeas corpus preventivo de Lula no STF: "Resultado imprevisível".

O Supremo Tribunal Federal analisa hoje (22) habeas corpus que pode definir prisão do ex-presidente Lula.

A presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, agendou análise do recurso do ex-presidente depois de forte pressão política e jurídica.

O plenário da Corte de Justiça poderá definir se o petista será ou não preso após condenação em 2ª instância.

Mais cedo eu conversei com o jurista Felipe Maciel e o jornalista Sávio Hackradt sobre o tema.

Nenhum dos dois quis dar palpite sobre o veredicto dos ministros do STF.

“O resultado é imprevisível”, comentou Maciel.



DD.


STF tem seu dia de botequim

Diógenes Dantas,
Arte/Nominuto
Bate-boca entre os ministros Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes fechou o tempo no Supremo Tribunal Federal, parecendo briga de botequim.

O Supremo Tribunal Federal viveu ontem mais uma cena de botequim. Nada a ver com essas casas chiques e de franquias espalhadas em shopping ou endereços badalados.

De botequim mesmo, daqueles localizados na periferia, onde homens e mulheres batem boca por causa de futebol, política, sexo e, às vezes, religião.

A discussão protagonizada pelos ministros Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso foi uma cena "horrível, horrorosa, com pitadas de psicopatia e mal secreto", aproveitando as palavras do ministro Barroso.

Por causa de alguns de seus membros, a corte suprema virou uma fogueira de vaidades. Tem ministro que perdeu compostura há bastante tempo.

É bom lembrar que o Supremo Tribunal Federal é o guardião da Constituição, última instância da Justiça brasileira.

Se seus membros não conseguem dar bom exemplo, como o STF pode manter sua credibilidade e garantir segurança jurídica a todos, independente do poder, dinheiro ou autoridade que alguém possa ter?

É lamentável ver a Suprema Corte da Justiça brasileira entregue ao jogo político e também econômico. O cidadão comum fica com a impressão que leva quem gritar mais alto, quem pagar mais e quem tiver amigo na relatoria.

Antes das sessões do STF, recomenda-se suco de maracujá ou chá de camomila. Servem para acalmar os nervos.


Ver comentário na íntegra:



DD.


Junta Comercial digitaliza acervo

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Sâmya Bastos, presidente da Jucern, informou que a digitalização de mais de 3 milhões de documentos foi possível em parceria com o Sebrae.

A Junta Comercial do Rio Grande do Norte digitalizou todo seu acervo.

O arquivo é formado por mais de 3 milhões de documentos que ajudam a contar a história mercantil do Estado.

E mais: a digitalização facilita o acesso às informações de mais de 240 mil empresas registradas na Jucern nos dias atuais.

Todo o trabalho foi feito em parceria com o Sebrae.

A Junta firmou convênios com a OAB e o MPE.

Eu conversei hoje com Sâmya Bastos, presidente da Jucern.



DD.

1-20 de 3322