O 'quadrilhão' que tira o sono de Henrique

Diógenes Dantas,
Reprodução/TV Ponta Negra
Preso desde junho em escola da PM, Henrique Alves parece seguir o roteiro do ex-todo-poderoso Eduardo Cunha, já condenado na Lava Jato.

A amizade com Michel Temer e o entrosamento com a cúpula do PMDB da Câmara dos Deputados - Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima, Moreira Franco e Eliseu Padilha - proporcionou a Henrique Eduardo Alves uma série de conquistas na sua longeva carreira parlamentar.

A maior delas, sem dúvida, foi a oportunidade de presidir a casa legislativa que o acolheu em onze mandatos como deputado federal.

Henrique foi líder de bancada, foi presidente da Câmara dos Deputados e foi ministro de Estado pelas mãos de Michel Temer e por influência do PMDB da Câmara.

Esse mesmo grupo - denominado pela PGR como 'Quadrilhão do PMDB' - levou Henrique ao auge da carreira política, e hoje se apresenta como um dos motivos de sua derrocada, de seus infortúnios.

Preso desde junho por causa de duas ações penais - Arena das Dunas e fundos da Caixa Econômica Federal -, Henrique amarga agora a denúncia do crime de organização criminosa pelo chamado grupo do PMDB da Câmara.

Henrique Alves está no mesmo balaio com Temer, Padilha, Moreira, Geddel e Cunha.

A conclusão é da Polícia Federal em inquérito concluído, e que deverá embasar a nova denúncia do procurador-geral da República Rodrigo Janot contra o presidente da República.

Nessa reta final de mandato de Janot na PGR, com flechas para todos os lados, já contabilizamos quatro quadrilhões - PT, PP, PMDB do Senado e PMDB da Câmara.

Henrique faz parte do último, segundo as denúncias. Um quadro desesperador e, certamente, de tirar o sono do ex-deputado.

Henrique Eduardo Alves parece seguir o roteiro do ex-todo-poderoso Eduardo Cunha, já condenado e preso desde outubro do ano passado. 

Os dois políticos estão sem data para sair da cadeia.


Veja o vídeo da análise da notícia:


DD.

Tags: Eduardo Cunha Henrique Eduardo Alves Michel Temer Quadrilhão do PMDB da Câmara
A+ A-