Atuações: no ABC, Vaná e Márcio Passos podem ser poupados

Edmo Sinedino,
passos1_091

Analiso, com nota, as atuações dos jogadores do ABC, no empate de 1 a 1, diante do Campinense.

Vaná – Fez ótima defesas, evitando a derrota. Nota 7

Jéferson – Ainda não me parece pronto para ser titular do ABC. E se jogar, deveria ser melhor orientado. Corajoso, muitas vezes, me parece indeciso. Nota 5.

Gabriel – Fez uma lambança do começo do jogo, mas aos trancos e barrancos, acabou fazendo um bom jogo. Nota 6.

Rafael Souza – Inseguro, típico de jogador que está sem ritmo e sem o melhor preparo. Não comprometeu, mas saiu contundido. Nota 5.

Felipe – Mal. Tinha corredor e não passava. Ao invés de passar, segurava a bola, e deu “botes” sempre errados. Não tem condição de jogar, ainda, como titular. Nota 4.

Márcio Passos (foto) – Defeito ou qualidade? Se largou muito, apareceu sempre na frente, e acho que fez bem, pois o ABC só dependia de Lúcio Flávio, mal na partida. Marcou o gol e realizou boa partida. Nota 7.

Zaquel – Muito limitado. Preso à frente da zaga e quando tem a bola demora a fazer o time andar. Nota 4.

Lúcio Flávio – Figura apagada em campo. Muitos passes errados, muito jogo miúdo, presente somente nas bolas paradas e isso é muito pouco para o jogador de maior salário. Nota 4.

Alemão – Absolutamente sem função. Não recompõe, não está presente na área, não marca saída de bola, não cai dos lados e nem aparece como opção. Nota 2.

Nando – Um ou dois chutes, sem perigo, o jogo inteiro. Não se mexe, não abre espaços e nem cai nos lados. Outro sem função. Nota 2.

Jones – Estava bem, procurando jogo, caindo de um lado, de outro, mas se contundiu. Nota 6.

Alvinho – Entrou e, de novo, poderia ter arriscado mais, levado para cima da defesa. Repetiu altos e baixos, mais baixos que altos na partida de hoje. Nota 5.

Montanha – Entrou muito bem. Mostrou personalidade e teve boa atuação numa partida de risco. Nota 6,5.

Erivelton – Coitado do meia de Santa Maria. Já perdeu, de novo, a posição sem merecer. Entrou bem, mas não pode fazer muito, pois a equipe estava completamente desarticulada. Nota 5.



Um ABC, inacreditavelmente, sem nada...

Edmo Sinedino,

Uma explicação para a escalação do ABC: os resultados negativos, seguidos, abalaram o senso de avaliação de Narciso.

Ele teve sorte que o bom time do Campinense não se encontrou, caso contrário poderia ter levado uma goleada.

Pelo amor de Deus! Lúcio Flávio e Alemão escalados no mesmo dia? Queria perder.

É preciso ter sanidade. Alemão e Lúcio Flávio não têm condições de jogar, muito menos no mesmo time.

Dois a menos na recomposição, dois a menos para fechar espaços, dois a menos para atacar.

Não existe mágica no futebol. O de hoje é preparo físico, 85%, os 15% eram do talento, como não existe mais, delega essa porcentagem a lucidez e passe.

Aliás, o ABC teve três jogadores a menos, já que o Nando também não entrou em campo.

O único que estava no jogo, circulando, buscando, fazendo alguma coisa, o Jones, se machucou e saiu.

E por falar em contusão...o que danado é isso. O Rafael Souza já saiu de campo lesionado? Que coisa mais absurda.

Bom resumindo, pois não vou ficar aqui dando voltas para falar o que não aconteceu. Sei, bem sei,vai ter gente defendendo Lúcio Flávio, Alemão, sempre vai, mas é isso.

A defesa não foi mal, coitado do menino Montanha. Graças a Deus entrou bem, caso contrário, ao lado de Jéferson e Felipe seriam os culpados pela derrota.

Falando de meninos, o dois alas não estão prontos para jogar no profissional do ABC. Verdes demais, assustados demais.

Até porque parece que ninguém os ajuda. Quando é para avançar eles tocam a bola, e apressadamente, quando devem fazer o passe, demoram, perdem.

Não estão prontos.

Ainda insisto que se vai querer escalar Lúcio Flávio que o coloque em campo circundado por dois meias de bom passe e que marquem.

Márcio Passos de volante, só, com Chiclete de um lado, Erivelton de outro, e ele na ponta de lança, na aproximação com o Nando e o Jones ainda fazendo esse quinto homem de meio-campo.

Foi assim contra o América. Não os mesmos, mas com cinco no mieo-campo.

Por fim, esse Nando. O que foi que houve? De repente, uma queda brutal de rendimento.

Aliás, ele e Alemão em campo fazem a disputa para ver quem reclama mais e joga menos.

Não sei, mas acho que Narciso, a exemplo de Aluísio Morais, no América, não tem mais como consertar esse barco.

Espero mesmo estar enganado nos dois casos.

O empate de 1 a 1 com o Campinense, acreditem, foi um ótimo resultado.

E para a sorte de Narciso, o rubro-negro da Serra jogou bem abaixo do que pode.



Campinense merecia vencer, mas jogou menos do que eu esperava

Edmo Sinedino,

Vi com tristeza o jogo do ABC. Mais um.

Primeiro deixa eu falar aqui uma coisa. O meu amigo, técnico Francisco Diá tirou de campo, com 22 minutos, o ala Everaldo.

Entendo disso não.

Se eu fosse técnico, se uma voz do além me soprasse ao ouvido “tire fulado e coloque beltrano que você ganha o jogo”, aos 22 minutos do primeiro tempo, nem assim faria isso.

Uma brutalidade. Uma violência sem tamanho com o garoto ala.

E não entendi direito o que Dia quis fazer. Recuar o Gaúcho para melhorar a saída de bola, fechar o lado direito com Negretti, abrindo mão da pegada maior no meio?

Não sei.

Não vi melhora.

O Campinense só jogou, algo, depois dos 38 minutos do primeiro tempo. Marcou o gol de empate e fez por merecer a virada.

E não foi pela saída do Everaldo.

Esperava mais do Campinense.

Uma defesa confusa, um meio-campo de dois jogadores criativos, mas que me pareceram sem função definida ou função indicada na partida – Roger Gaúcho e Chapinha.

Um centroavante lento – Rodrigão. Alas que não passam.

Claro, o que estou escrevendo aqui direi ao treinador Francisco Diá, se ele me perguntar claro.

Contudo, se teve um time que mereceu sair vencedor, mesmo jogando menos do que eu esperava, foi a equipe de Campina Grande.

Ainda vou falar do ABC, calma!



Os engodos das tevês

Edmo Sinedino,

Você assina uma tevê dessas da vida, a GVT, por exemplo. Pronto, assino e tenho a Copa do Nordeste garantida, os jogos que não puder me deslocar ao estádio.

No dia da abertura, o jogo de Natal, na sua casa, passa na tevê que você tem, que sua assinatura cobre, no entanto, a outra equipe, jogando fora, você que assinar um outro prejuízo.

É tanto absurdo dessas tevês...nem sei. Fique perdido esperando ver o jogo do América, mas na minha tevê veio Copa da França.

Eu quero lá saber de porcaria de França...

Não seria mais lógico me dar o jogo de meu representante jogando fora de casa. Sim, pois passando o de Natal ainda desfalca o público do estádio.

Acho que é caso pensado.

Tive que sair às pressas, correndo, para ver quem tinha, esse tal de outro canal, dentro de um mesmo canal.

E não tem defesa do consumidor que resolva esse problema. Esse povo da tevê pode tudo, até ficar sem pagar imposto.

Nós, pobres mortais, temos que aceitar.

E ainda temos que escutar o cara tascar um gerúndio horroroso nos nossos ouvidos um "vai tá comentando..."



As trapalhadas de arbitragens se iniciam

Edmo Sinedino,

Uma vergonha essas arbitragens. Ainda tem quem fale mal das nossas.

Os times da casa agradecem aos “árbitros caseiros”. É assim mesmo.

Logo cedo vi o jogo Fortaleza x Ríver, na Arena Castelão. A partida estava 1 a 0 para o Tricolor cearense, quando o atacante Núbio Flávio avançou pela esquerda, ultrapassou a marcação do zagueiro e se atirou.

Lance para ele tomar amarelo. O árbitro maranhense, que estava bem, assinalou pênalti. 2 a 0 e, evidente, cortado o poder de reação do Ríver.

Depois, ainda 2 a 0, gol do Ríver, mas o assistente do RN, acho que o Flávio Barroca, muito bem, assinalou.

Pergunto: se fosse gol do Fortaleza, ele teria invalidado o lance difícil?

No jogo do América, um de nossos representantes, nem se fala.

Escândalo.

O árbitro marcou falta que não existiu, ele errou duas vezes, pois assinalou fora, mas o assistente, solícito, “consertou”. Pênalti.

O árbitro pernambucano Luiz Cláudio Sobral comanda a partida, auxiliado por Francisco Chaves Bezerra Júnior e Bruno César Chaves Vieira, também de Pernambuco.

Não vi Imperatriz x Salgueiro.

No jogo em Natal, e isso acontece com freqüência por aqui, o cearense apitador Léo Simão Holanda deu sete cartões ao ABC, três ao Campinense.

Tenho restrições, muitas, a árbitros que dão cartão demais. Futebol é jogo de contato. Para mim, cartão só com a intenção de machucar ou lance de muita imprudência.

Encontrão, empurrão, falta de choque, de chegada, não.

Os cartões do ABC, no entanto, foram mais por reclamação, justas reclamações, pois em vários lances ele usou de critério diferente e beneficiou o Campinense.

Fraco árbitro para um jogo ruim.



Atuações: Cascata merece destaque pelo equilíbrio; Zé Antônio pelo gol

Edmo Sinedino,

Acho que essa vai ser a análise mais rápida e resumida que vou fazer de atuações de jogadores numa partida.

Analiso, com nota, as atuações dos jogadores do América no empate em Coruripe.

Camilo – Fez duas boas defesas, mas não foi muito exigido. Achei que falhou no pênalti (atacante mostrou), se é que não estou sendo muito cobrativo. Nota 6.

Gabriel – Atuação discreta, com leve mudança de função no segundo tempo, mas sem grandes progressos. Nota 5.

Zé Antônio – foi bem dentro das possibilidades de quem não vinha jogando. Não cometeu falhas e ainda marcou um gol salvador. Nota 7.

Gustavo – Sem muito trabalho, foi bem, apesar de não passar confiança. Nota 5.

Cazumba – Caiu de produção em relação aos dois últimos jogos. Não apareceu tanto na frente como devia. Nota 6.

Felipe Macena – Marcou bem, fez o seu papel de cabeça de área, aparecendo um pouco mais na frente. Pode render muito mais. Nota 6.

Thiago Dutra – Preso, marca à distância e fica muito fora do jogo. Nota 4.

Cascata – Fez um bom jogo. Somente de seus pés e de Thiago saía algo de produtivo. Pôs o time para andar, deu bons passes e criou, poucas, mas boas situações de ataque. Nota 7,5.

Thiago Potiguar – Muito preso numa função. Teve altos e baixos na partida. Mesmo assim não era para ser substituído, perdendo se tirar um volante. Nota 6,5.

Rômulo – Marcou o gol, caído, brigou dentro da área, mas ainda não conseguiu dizer que a camisa 9 é dele. Falta muito para merecer. Nota 6.

Mateus – Muito prejudicado pelo esquema de jogo de Aluísio, acabou se tornando presa fácil da marcação, mas ainda realizou boas tentativas de jogada. Foi sacado do time erradamente, aos 13 minutos do segundo, para a entrada mais atacante sem mobilidade. Nota 5

Alan Silva – Entrou para ser uma opção de ataque mais rápida pela direita. Não foi. Sem Nota.

Daniel - Apareceu um pouco mais no jogo, dividindo a criação com o Cascata. Nota 6.



América volta a jogar mal, mas consegue empate no final da partida

Edmo Sinedino,

Os torcedores, parte deles, vão concordar, tenho certeza. O América não merecia perde pelo erro absurdo de arbitragem, mas também longe de merecer os três pontos.

A diretoria do América precisa tomar uma decisão. Nunca escrevi isso tão taxativamente: se o treinador não consegue dar um padrão de jogo à equipe, se mexe mal, não pode ficar.

Quanto mais demorada a troca, mais prejuízos virão.

Neste sábado, na estreia da Copa do Nordeste, o time rubro natalense enfrentou uma equipe regular, para não falar mal.

O Coruripe vem de resultados negativos no campeonato alagoano e ficaram claros os motivos.

Uma partida que, acredito, o América de Natal, pelos jogadores que tem, teria que ter trazido para Natal os três pontos.

Heróico o empate? Não acho. Seria vergonhosa a derrota.

O time rubro nada fez no primeiro tempo, além de uma falta bem cobrada pelo meia Cascata.

No final do primeiro tempo, o árbitro marca uma falta que não existiu, fora da área, e o assistente entra em cena para dizer que foi dentro.

Um pênalti escandaloso assinalado pela dupla pernambucana Luiz Cláudio Sobral, árbitro, e seu assistente Francisco Chaves.

O Chicão bate mal, mostra o canto, mas Camilo não chega. 1 a 0.

No segundo tempo, você pensa que o América veio diferente? Da mesmíssima forma.

Eu disse, vou repetir: da forma como Aluísio Morais vem escalando os meias-atacantes Thiago Potiguar e Mateus, não tenho dúvida, vai transformá-los em peças nulas, de fácil marcação.

Pior ainda para o garoto revelação, pois é muito jovem e não tem experiência para fazer algo diferente do que, erradamente, define seu treinador.

O Coruripe marcou o segundo gol, em contra-ataque, quando o América pressionava e tentava encurralar o time da casa.

Nem mesmo isso saiu como devia.

O 2 a 0, aos 16 minutos, causou a impressão da definição. O Coruripe recuou demais, ficou assustado e seus defensores passaram a errar muito.

Contudo, sem jogadas, o América não acertava passes e ficava, única e exclusivamente, na dependência de bolas paradas.

Foi o que aconteceu.

Já haviam entrado Alan Silva para Felipe Macena, e Luís Eduardo no lugar de Mateus, e Daniel na vaga de Thiago Potiguar.

Mudanças, soltas, sem nexo, que não alteraram em absolutamente nada o andamento da partida.

Só que, impulsionado pelo encolhimento do time da casa, o América marcou um gol, efeito de uma confusão total na área, Rômulo, que jogou de titular, e no finalzinho, aproveitando um rebote desesperado e errado da defesa, Zé Antônio, de voleio,  marcou o belo gol de empate.

Na transmissão teve que dissesse gol de bicicleta.

Bom, final de partida. De bom mesmo só o fato do América não ter perdido, mas um resultado enganador que pode prolongar uma situação, já disse, de prejuízo.

Se o time não joga, se não se encontra, se não tem esquema, mesmo tendo ótimos jogadores, o problema de comando tem que ser solucionado.



Mesadas mantêm indesejáveis no comando da CBF - Por Juca Kfouri

Edmo Sinedino,

Os mandatários da CBF continuam “alimentando” com mesadas mensais as federações, grandes e pequenas do futebol do Brasil.

Em troca dessas mesadas, as federações permanecem coniventes com os desmandos dos mandatários.

É hora de dar um basta nessa quadrilha.

Mesadas mantêm trio indesejado na CBF

Juca Kfouri

“Eu não votei no coronel Nunes para presidente da CBF e nem muito menos no Rogério Caboclo e no Walter Feldman”, ouve-se de presidentes de federações estaduais, das menores às mais graúdas, insatisfeitos com atual situação que dizem ser “insustentável”.

O clima é conspiratório e traiçoeiro: há quem diga que o Comitê de Ética da Fifa já formalizou o pedido de banimento de Marco Polo Del Nero da CBF; há quem garanta que não, embora não explique o  porquê de tamanha demora.

Banido Nero, deve começar a contagem regressiva por nova eleição.

Enquanto perdurar a incerteza, porém, as mesadas prevalecerão.

Embora  nada signifiquem  para as poucas grandes federações são as mesadas que permitem a sobrevivência da maioria das  pequenas.



Eleição da FNFS vai parar na Justiça

Edmo Sinedino,

Minha gente, sei não, mas a impressão que tenho é que um grupo quer enterrar, de vez, o futsal de nosso Estado.

Confusão na Assembleia Geral convocada para eleição. No final, o presidente em exercício foi impedido de concorrer.

Hideraldo Bezerra, por telefone, se disse decepcionado e traído, por isso a decisão de recorrer até a última instância pelo direito.

Denúncias de irregularidades e grande decepção para quem acompanhava o trabalho de recuperação iniciado por Hideraldo.

Fausto Severiano, lançado pelo ex-presidente Clóvis Filho, que praticamente fez morrer o futsal de Natal, acabou sendo eleito em pleito que a situação considera ilegal.

Infelizmente, mais um esporte de nossa terra que vai ter sua eleição decidida na Justiça.  Quando?

Isso já aconteceu com o judô, o handebol, o basquete (está ainda acontecendo), voleibol, entre outras.

Pena.



América sem Boaventura e Pantera...

Edmo Sinedino,

A minha preocupação do jogo do América, neste sábado, contra o Coruripe, em Alagoas, reside na defesa.

Boaventura não joga. E nem Pantera.

Zé Antônio deve fazer dupla com o Gustavo. Zé é clássico, e não tem muita velocidade; o companheiro que lhe sobra é lento e marca mal.

E um dos dois terá que jogar de forma improvisada do lado direito. Os dois jogam mais pelo lado esquerdo.

E isso, não parece, mas conta.

Para complicar, o Aluísio Morais fez a opção por Thiago Dutra ao lado de Macena.

Não entendi. Para se escalar um atleta tem que render, e não foi isso que vi no Thiago.

Absolutamente fora da partida contra o Globo.

De novo, tudo indica, vamos ter dois volantes presos.

Ruim para os alas Gabriel e Cazumba, ruim também para os meias de criação.

Cascata e Thiago Potiguar terão que vir buscar, e fazendo isso a chegada na frente será sempre desfalcada.

Luís Eduardo centralizado, Mateus preso no lado direito.

Fico me perguntando para que serve uma comissão técnica?

Será que ninguém sugere ao Aluísio que jogue diferente?

A previsibilidade do América vem sendo seu maior adversário.;

De qualquer forma, estou falando de futebol, quem sabe as coisas acontecem e o América inicia uma recuperação e acentuada melhora no seu jeito de jogar.

Três meias flutuando, um dos volantes surgindo como opção de ataque (Macena), os alas fazendo passagens, oferecendo opções e o Luís Eduardo se mexendo um pouco mais.

Não é tão complicado.



Narciso precisa vencer o Campinense para não perder o cargo

Edmo Sinedino,

Um jogo de sobrevivência do treinador Narciso dos Santos. Perdendo em casa dificilmente ele se mantém no cargo.

Para ele e vários jogadores que não apresentaram nada até agora.

A salvação é a Copa do Nordeste.

Até mesmo para que o time se encontre, ganhe moral e passe a ter bons resultados também no Estadual.

Narciso ainda está vendo o DM com um bom número de jogadores, mas, acho eu, tem à disposição um grupo bom.

Dá sim para formar, esquecer os resultados negativos. Pouca ou nenhuma diferença entre equipes do Nordeste.

A vontade pode fazer acontecerem surpresas.

Narciso deve colocar em campo o goleiro Vaná, Filipi Souza, Gabriel, Rafael e Hugo; Márcio Passos, Zaquel, Erivélton e Lúcio Flávio; Nando e Jones.

Sem mais invenções, acho que essa seria a melhor opção de escalação.

Quase o mesmo time que fez bom jogo diante do América.

Matéria do site do ABC

O treinador do Mais Querido, Narciso, relacionou 21 atletas para o importante compromisso. O técnico não contará com o goleiro Rafael Copetti, o lateral Max, os zagueiros Gustavo Bastos, Jerfeson e Rafael Paraíba e os atacantes Bruno Furlan e Pedro Igor, todos entregues ao Departamento Médico.

As novidades são: o retorno do lateral Hugo, recuperado de lesão, além da presença do zagueiro Rafael, recém-contratado, que foi regularizado e aparece pela primeira vez entre os convocados.

Confira a relação completa:

Goleiros: Vaná e Jota;

Laterais: Filipi Souza, Jefferson, Hugo e Luiz Felipe;

Zagueiros: Gabriel, Montanha e Rafael;

Volantes: Márcio Passos, Gomes e Zaquel;

Meias: Bida, Erivélton, Lúcio Flávio, Ítalo e Jean Theodoro;

Atacantes: Nando, Alemão, Jones e Alvinho.



Receitas antecipadas, claro, prejudicam atual gestão do ABC

Edmo Sinedino,

judas2_09Um trecho da entrevistas dos dirigentes Judas Tadeu, presidente, e Leonardo Arruda, vice-de futebol, me chamou especialmente a atenção.

“Dos R$ 505 mil que o ABC receberia pela Copa do Nordeste 2016, R$ 200 mil foram antecipados em outubro de 2015 e R$ 80 mil em dezembro do mesmo ano, apenas a cinco dias das eleições que renovaram a diretoria do clube. Já a cota pela primeira fase da Copa do Brasil 2016, no valor de R$ 200 mil, foi totalmente antecipada em dezembro de 2015″.

Isso é um absurdo e os dirigentes que comandaram o futebol do clube até o fim da temporada passada cometeram essa desatino.

Não é ilegal, concordo, mas é imoral, pois a diretoria não tinha certeza de que seu grupo teria continuidade, aliás, muito pelo contrário.

É bom sempre ficar lembrando o mal que a gestão passada fez ao clube, não como forma de justificar campanha ruim ou contratações equivocadas, mas para que não se repitam.

Veja abaixo:

Presidente Judas Tadeu avaliou desempenho do ABC dentro e fora do campo no primeiro mês de sua gestão

Em entrevista à imprensa, nesta sexta-feira(12), o presidente Judas Tadeu fez uma avaliação do atual momento do ABC e dos quase dois meses da nova gestão. Tadeu destacou que a diretoria vem trabalhando incansavelmente desde que assumiu o clube, falou sobre o momento que vive o futebol abecedista, explicou as dificuldades pelo pouco tempo de preparação e fez questão de se desculpar com o torcedor pela falta dos resultados dentro de campo.

“Passamos por um processo eleitoral tardio e isso fez com que começássemos tarde, tivemos que pular etapas, e o prejuízo está sendo visto no Departamento Médico, com vários jogadores lesionados pelo tempo de preparação inadequado”, destacou o presidente, sem, no entanto, deixar de reconhecer o direito do torcedor esperar mais do time.

“As derrotas para o Alecrim e o Baraúnas, e até mesmo o empate contra o ASSU são injustificáveis. E eu disse isso para os jogadores e a comissão técnica. Peço desculpas para a torcida e entendo como natural a cobrança, porque os torcedores estão há quatro anos sem títulos. Mas, peço compreensão. O trabalho está sendo feito, para recuperar o time no segundo turno. O plantel foi montado com critério e faço um apelo para que a torcida possa continuar confiando no nosso empenho”, declarou o presidente.

Judas Tadeu falou também sobre as avaliações feitas junto com a comissão técnica e jogadores nessa quinta-feira (11). “Ontem passamos o dia em avaliação com a diretoria. Ao treinador Narciso, à comissão técnica e aos jogadores, mostramos que não estamos satisfeitos e fizemos as cobranças necessárias, para que o grupo possa dar a volta por cima. Fomos surpreendidos com notícias que foram veiculadas da saída do treinador, mas em nenhum momento falamos sobre isso. Narciso é o nosso treinador, segue no comando da equipe e estamos avaliando o grupo. Não estão descartadas novas contratações, não existe grupo fechado e sabemos que precisamos de três ou quatro peças para reforçar nosso elenco”, concluiu.

O vice-presidente de futebol, Leonardo Arruda, também participou da coletiva e comentou sobre o elenco abecedista: “Tivemos que contratar todo um time e não apenas algumas peças. O grupo que disputou a Série B foi todo desfeito. Diante disso, tivemos que trazer 22 jogadores, alguns dos quais estavam parados. Isso porque, nosso trabalho começou tardiamente, em virtude do processo eleitoral no clube. Um novo time não é feito do dia para noite. Isso requer tempo. Estamos cientes da necessidade de evoluir, para buscar resultados positivos. Ontem, fomos procurados pelos atletas, que se comprometeram a melhorar, e demos esse voto de confiança”.

Sobre as contratações que ainda são necessárias, o presidente Judas Tadeu disse que a diretoria está atenta e conta com o apoio da torcida para. “Precisamos que o torcedor jogue junto com o time, através do Programa de Sócio. Queremos reforçar o grupo, qualificar o elenco, mas temos um problema orçamentário. A queda para Série C reduziu receitas e ocasionou a perda de patrocínios. Além disso, várias cotas foram antecipadas. Dos R$ 505 mil que o ABC receberia pela Copa do Nordeste 2016, R$ 200 mil foram antecipados em outubro de 2015 e R$ 80 mil em dezembro do mesmo ano, apenas a cinco dias das eleições que renovaram a diretoria do clube. Já a cota pela primeira fase da Copa do Brasil 2016, no valor de R$ 200 mil, foi totalmente antecipada em dezembro de 2015″.

No próximo dia 25, o ABC colocará no ar seu portal da transparência, cumprindo mais um compromisso de campanha e revelando ao torcedor a realidade financeira do clube.

“A transparência é uma prioridade desta gestão, porque queremos que o sócio-torcedor seja o maior patrocinador do ABC”, finalizou o presidente.

Também participou da entrevista, o vice-presidente executivo, Rodrigo Salustino.



Narciso dos Santos balança, balança, balança...

Edmo Sinedino,

Estou desconfiado com essa entrevista marcada, na verdade, antecipada, para a manhã desta sexta-feira.

Será que vai ter anúncio bombástico? Se tiver, e for a troca do treinador Narciso dos Santos, acho que a direção se precipita.

Narciso foi o treinador, entre os considerados grandes, que teve menor tempo de preparação e montagem do elenco.

Sem falar que ainda teve que conviver com várias contusões.

Se ele permanecer, espero, vai ter que usar a Copa do Nordeste para recuperar a confiança do torcedor.

E não vai ser fácil, pois vai encarar uma equipe pronta, com moral, e liderando o Paraibano na somatória geral de pontos.

O que será que Narciso vai fazer para o jogo? O que será que Judas Tadeu, presidente, vai dizer na entrevista.

Bom , ficar sem comando na véspera de uma estreia tão importante pode ser um erro gravíssimo.

E o ABC, direção incluída, principalmente, não pode errar.

Talvez, contra o Campinense, partida que começa às 18h30, Narciso possa armar um time próximo do ideal, e que a superação seja a palavra.

Mais ou menos como foi diante do América. Agora, acredito, a situação é mais delicada ainda.

Vamos esperar.



Campinense vive bom momento e vem em busca de vitória

Edmo Sinedino,

campinense_09Ao contrário do ABC, que vem de um empate desastroso diante do ASSU, no Frasqueirão, e sem qualquer chance de brigar pelo turno do Estadual, o Campinense vive bom momento.

O técnico Dia dirige uma equipe que é líder de seu grupo no Paraibano, tinha uma campanha de 100% de aproveitamento, quando empatou, em casa, diante do Botafogo.

O conhecido e polêmico técnico, afirma que vem em busca da vitória, mas sabe que mesmo enfrentando um momento difícil, em casa, com apoio da torcida, o alvinegro tem que ser respeitado.

O time que enfrenta o ABC deve ter Gledson, Everaldo, Joécio, Tiago Sala e Ronael; Negretti, Magno, Jussimar e Roger Gaúcho; Rodrigão e Leandro Sobral.

A partida vai começar às 18h30, no estádio Frasqueirão.



Aluísio Morais precisa usar Copa do Nordeste para "se salvar"

Edmo Sinedino,

treinoA_09Situação complicada essa do treinador Aluísio Morais. Pegou um time com uma base, boa base, e com tempo para trabalhar, contudo, ainda não fez o “carro” andar.

Falta esquema de jogo, variação, ora se não tem esquema, imagine variação. Vinha se segurando bem com vitórias expressivas.

Expressivas? Não sei se podemos chamar assim. Goleadas que, na verdade, não retratavam uma supremacia de jogo, jogo jogado, para ser mais explícito.

Com a derrota para o ABC a chiadeira foi enorme. Mas logo em seguida veio a recuperação, com outra goleada, e para sorte do Aluísio, o triunfo veio junto de uma derrota do rival para o Alecrim.

Paz? Que nada. A partida contra o Potiguar, apesar da vitória, deixava claras marcas de falta de comando.

Depois, o Globo, e veio nova derrota. Ameaça presente. Parada no Estadual, mas pode ter certeza que se o time não reagir na Copa do Nordeste, ele pode cair sim.

O time rubro já deve ter chegado a Coruripe.

E agora a situação se complica, ele perdeu seu melhor zagueiro – Boaventura - , ainda não conta com o goleiro Pantera.

Vão fazer muita falta.

Os convocados:

O técnico Aluísio Moraes convocou 20 atletas para o jogo de estreia na Copa do Nordeste diante do Coruripe-AL no sábado  (13), às 16h, em Alagoas. Os desfalques ficam por conta do goleiro Pantera, do zagueiro Flávio Boaventura e do volantes Bruno Renan, lesionados. Por outro lado, o lateral Gabriel, que cumpriu suspensão diante do Globo, retorna.

Relacionados:

Goleiros: Camilo e Júlio César;

Zagueiros: Gustavo, Zé Antônio e Richardson;

Laterais: Alan Silva, Gabriel, Bruno e Alex Cazumba;

Volantes: Felipe Macena, Tiago Dutra, Júlio Terceiro e Gualberto;

Meias: Cascata e Mateus;

Atacantes: Thiago Potiguar, Daniel, Luiz Eduardo, Igor Eloy e Rômulo.



Boaventura fratura quarta vértebra lombar e fica seis semanas sem jogar

Edmo Sinedino,

E agora?

Quem vai substituir Flávio Boaventura. Justo ele que jogava por dois na defesa ao lado do fraco Gustavo.

Pois é. O zagueiro teve fratura da quarta vértebra lombar e ficará seis semanas sem poder jogar.

E neste sábado já tem o Coruripe.

A informação foi confirmada pelo departamento medido do América, que acompanha o jogador, ainda em observação.

O exame foi feito na madrugada desta quarta-feira, no Pronto-Socorro Clóvis Sarinho, em Natal.

Além da queda, o coice.

Haja dor de cabeça para Aluísio Morais.



Globo, América, Potiguar e Baraúnas na briga pelo título do turno

Edmo Sinedino,
alan1_09

Pois é, meu Alecrim voltou a perder.

Voltam as preocupações com relação a risco de rebaixamento, apesar do Palmeira ter perdido mais uma.

As vitórias de Potiguar – 2 a 0 no Alecrim – e Baraúnas – 3 a 2 no Palmeira – deixam os mossoroenses ainda com esperanças no turno.

Fora da briga estão ABC, Alecrim, ASSU e, claro,  o Palmeira.

Na última rodada, o Potiguar recebe o ABC no Estádio Nogueirão, em Mossoró, precisando, evidente, vencer e torcer por um empate ou derrota do América diante do Baraúnas.

Já o Leão precisa vencer o América na Arena das Dunas, em Natal, e torcer por pelo menos empate do Potiguar diante do ABC.

Quer dizer, mais do que nunca, rivais.

O Globo, só precisa de um empate com o Palmeira, e só pode ser ultrapassado pelo América, e mesmo assim seria finalista.

Vencendo, o que é mais provável, termina na liderança.

Ao América, para não correr riscos, precisa vencer o Baraúnas, eliminando o adversário e não correndo riscos de ser alcançado pelo Potiguar.

Os jogos serão realizados no dia 21 de fevereiro, após a primeira rodada da Copa do Nordeste.

Façam suas apostas.

*Foto: Canindé Pereira/assessoria de imprensa do América


Boaventura passa bem, mas ficará em observação no hospital

Edmo Sinedino,

bonaven_09Menos mal.

Me junto aos familiares, e todos que fazem e gostam do América, na torcida pela recuperação do Boaventura.

Uma notícia mais reconfortante para a torcida.

Espero que o jogador Klebson, do Globo, também esteja sob cuidados e sem riscos.

Atualizada às 01h14: jogador fraturou quarta vértebra da região lombar e ficará seis semanas sem jogar. Uma grande preocupação para o treinador Aluísio Morais. Informações do médico Marcos Rêgo, que acompanha o atleta no hospital.



Pablo Ramon, eu vi, dessa vez, foi bem; assistente 2 foi o melhor

Edmo Sinedino,

Fazia tempo que não via uma arbitragem de Pablo Ramon Gonçalves. Aliás, as que pude assistir, fora do Estado, foram fracas.

Ele estava devendo.

No clássico Globo 2 x 0 América ele atuou bem. Não cometeu falhas, uma ou outra indecisão, mas de pouca monta.

Talvez ainda converse demais. Foi bem nas expulsões e nos cartões.

Na arbitragem desta quarta, no entanto, quem me chamou mais atenção foi o assistente 2, George Ítalo Antas Nogueira.

Muito bom. Firme, absolutamente seguro e preciso nas vezes que levantou o bastão, alguns lances difíceis.

O primeiro assistente, Jean Márcio, trabalhou menos, mas também não cometeu erros.

Quando isso acontece, vocês viram, mesmo com o time considerado maior perdendo, com expulsões, quase ninguém contesta.

A torcida do Globo ensaiou aquele coro...vocês sabem qual, mas de forma injusta. A arbitragem foi boa.

O quarteto:

Árbitro: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro – CBF

Assistente 1: Jean Márcio dos Santos – CBF

Assistente 2: George Ítalo Antas Nogueira – CEAF

4º árbitro: Luiz de França Varela – CEAF



Jogando com time misto, ABC decepciona e fica no empate de 1 a 1

Edmo Sinedino,

O ABC voltou a decepcionar. O empate de 1 a 1, diante do ASSU, no Frasqueirão,aumenta a crise do alvinegro que já entrou em campo sem chance de título do turno.

Um primeiro tempo terrível.

Uma escalação absolutamente equivocada do técnico Narciso dos Santos, fazendo jogar na frente da área, dois jogadores lentos e de péssima marcação – Bida e Fernando Gomes.

Os cinco garotos da base, nesse tipo de jogo sim, foram escalados correndo risco de serem queimados.

No ataque, dois jogadores abertos nos lados do campo – Amoroso e Jean Teodoro -, sem habilidade, sem qualidades e com um Alemão, absolutamente sem condição física de atuar centralizado.

Pior para Ítalo, meia de criação, absolutamente só, e sem saber como se virar. Um esquema confuso, e combinando com o erro das peças escolhidas.

Chiclete e Erivélton, que já jogaram tantas vezes juntos, mais o próprio Ítalo, com Chiclete sendo um falso ponta, enchendo o meia na volta, como fazia no começo do ano passado, claro, seria mais adequado.

Assim como seria bem mais adequado escalar de volantes jogadores de pegada mais, com mais saída de jogo.

Não sei se seria hora para poupar jogador, aliás, penso que essa seria a hora ideal para tentar consertar erros no time que pensar ser o titular.

O time do ASSU, comum, com alguns jogadores interessantes, criou mais nos dois tempos, apesar de ser um daqueles jogos que o torcedor gostaria mesmo de não ter ido.

O ABC precisa melhorar muito se quiser alguma coisa com o campeonato estadual, e lembrando que sábado já tem Copa do Nordeste.

Mais do nunca, é hora de usar uma competição para se recuperar em outra que vai mal e, claro, ajudar a sair da crise.


1-20 de 4918