Estadual sub 19 terá 11 equipes, mas torcedores não poupam o presidente José Vanildo

Edmo Sinedino,

costa_09É claro que o motivo da participação de tantas equipes (José Vanildo não deve ter gostado nada disso) só pode ter sido a dispensa das taxas, absurdas, antes cobradas pela entidade. Onze equipe, sessenta jogos e a oportunidade do surgimento de jovens valores.

Esperamos que o campeonato feminino (vai acontecer?) também tenha uma boa receptividade e, claro, a dispensa das taxas. O futebol do RN precisa ressurgir e é obrigação da FNF trabalhar por isso, e não contra, como vem fazendo José Vanildo, presidente.

Incrível! Não existe uma entidade mais desgastada junto ao torcedor potiguar que a FNF. Quando se fala na administração José Vanildo da Silva surge logo uma verdadeira avalanche de críticas, todas elas, devo dizer, absolutamente pertinentes.

O dirigente sempre é ligado à crise que vive nosso futebol e muito, mas muito cobrado pelo sempre lembrado abandono total de nosso Estádio Juvenal Lamartine, berço de nosso esporte que, ano vindouro, vai completar cem anos.

Abaixo matéria do site da FNF

A Federação Norte-rio-grandense de Futebol realizou na última terça-feira (2), em Conselho Técnico na sede da entidade, um encontro com os clubes inscritos que vão participar do Campeonato Potiguar Sub-19. Estiveram na reunião os representantes do ABC, América, Alecrim, Atlético Potengi, Centenário Esporte Clube de Parelhas, Força e Luz, Globo, Palmeira, Parnamirim, Potiguar e Visão Celeste.

A competição está programada para começar no dia 27 de julho e será disputada em sistema de pontos corridos, composto por um turno, com todas as equipes se enfrentando, sendo cinco jogos em casa e cinco fora. Os quatro primeiros avançam para a semifinal, sendo disputados jogos de ida e volta. Os vencedores da segunda fase disputam a final em jogo único e os perdedores fazem a disputa do terceiro colocado. A decisão acontecerá na Arena das Dunas.

Vice-presidente e diretor de competições da Federação Norte-rio-grandense de Futebol, José Costa Neto, fala sobre a competição potiguar. “Por se tratar de um campeonato com 11 clubes inscritos, uma equipe descansa por rodada. Sobre a tabela, agora vamos trabalhar para divulgar as datas e definição de todas as rodadas até a próxima semana, lembrando que o termino do certame está previsto para acontecer na primeira quinzena de setembro, pois as equipes teriam tempo hábil para preparação, antes de começar a Copinha”. Comentou.

Ao todo serão 60 jogos disputados e serão financiados pela Federação Norte-rio-grandense de Futebol as taxas de arbitragem, três bolas para cada equipe assim como as bolas das partidas. Vale lembrar que o número de vagas disponibilizadas às equipes do Rio Grande do Norte para a Copinha ainda não foi definida pela Federação Paulista de Futebol.

1° Rodada:

 Visão Celeste x Atlético Potengi

América x ABC

Alecrim x Palmeira

Potiguar x Força e Luz

Parnamirim x Centenário de Parelhas

Foto: Iuri Seabra / FNF



César Sampaio chega, treina e espera regularização para ser titular

Edmo Sinedino,

sampaio12_09Muito estranho, mas é o nosso futebol. O atleta chega na semana de um jogo decisivo, daqueles considerados "da vida" e já vai pra campo. A necessidade obriga? Diria que a falta de planejamento, sim.

De novo, o assunto das bases. Incrível que na disputa de uma Série D, à exceção do goleiro Everton, o time rubro não tenha um jogador da terra em campo. Mais inaceitável ainda saber que, desde 2016, pelo menos três garotos deveriam ser utilizados e não foram.

Thiago, Denilson, Judson, Juninho, Jadson, Anthony, entre outros, que a gente sabe das qualidades, nunca foram sequer levados em consideração. Uma pergunta simples: esse Franco jogou mais que Anthony? Maquelelê e Moreilândia mostraram  mais futebol que Judson e Jadson?

Veja abaixo:

O técnico Moacir Júnior comandou, na tarde desta quarta-feira (3), um treinamento tático no Campo I do Centro de Treinamento Dr. Abílio Medeiros, em Parnamirim. O trabalho contou com a presença do volante César Sampaio (foto).

O recém-contratado que espera regularização para ficar à disposição do treinador para o jogo do próximo domingo (7), às 15h, contra o Jacuipense-BA, no Estádio Eliel Martins, em Riachão do Jacuípe/BA.

O grupo alvirrubro volta aos trabalhos na quinta-feira (4), às 15h, com portões fechados. O atendimento à imprensa ocorrerá às 16h30 na sala de imprensa.



No Esporte em Pauta: Roberto Fernandes diz que acredita piamente na recuperação do ABC

Edmo Sinedino,

O técnico Roberto Fernandes foi o entrevistado do Esporte em Pauta, na tev~e Assembleia, excepcionalmente, uma entrevista de terça-feira. Muitos assuntos, uma participação inimaginável de telespectadores, infelizmente, programa somente de meia hora, mas foi legal.

Roberto falou com clareza das coisas do ABC. Destacou a dificuldade de trabalhar com um plantel inchado, os momentos duríssimos contra Globo e Náutico, em casa e fora, a difícil missão de ter que fazer escolhas e tomar decisões desagradáveis, enfim.

O treinador disse que não conseguiu trazer nenhum dos jogadores que planejou, sem demérito para o contratados. O mercado é muito competitivo, o ABC é Série C, justificou e acrescentou que todos os clubes da Série D que ele estava monitorando jogadores conseguiram passar à terceira fase.

Confessou que estava decidido a trazer um grupo de atletas do mesmo time, que seria do Caxias/RS, pois dessa forma "mataria dois coelhos com um só tiro(sic) ", peças e entrosamento, mas a equipe também seguiu adiante.

Elogiou e se disse surpreendido positivamente com as estreias de Richardson (único jogador que trouxe de uma equipe da Série D que ficou de fora na primeira fase) e do meia Dione. Confirmou ele e Anderson Rosa juntos contra o Treze.

Sobre a polêmica envolvendo o goleiro  Edson disse que o atleta estava magoado com as críticas e decidido a deixar o ABC. A esposa o convenceu no primeiro momento, depois novas críticas e outra tomada de decisão, mas também resolvida depois de conversas. Edson deve continuar fora do time do ABC, coisa que discordo, pois ainda não se recuperou da má fase, segundo análise do comandante.

Sobre Wallyson foi claro: não joga de começo. Tudo bem, mas será que não é drible para confundir Luizinho Lopes, que estreia no comando do Treze? Sobre o treinador do Globo, ele brincou: "criei cobras para me morder", citando o exemplo do potiguar, a quem fez muitos elogios, e o Daniel Paulista, hoje no comando do Confiança. Os dois iniciaram como auxiliares dele.

Ainda sobre Wallyson, Roberto destacou a vontade demonstrada pelo atacante que está há oito meses sem jogar. "Para se ter uma ideia do comprometimento do atleta, ele, com boas condições de escolher, está morando na concentração. Isso é um sinal positivo", elogiou.

Roberto encerrou pedindo apoio da torcida, deixando claro que acredita sim que o ABC pode permanecer na Série C, afirmando, no entanto, que "só um milagre de Papai do céu para uma classificação à segunda fase". A meta dele é vencer os quatro jogos que restam em casa e "beliscar" pontos fora.

Sobre a Série C, Roberto disse que acredita porque, assim como eu faleu várias vezes, ele é da mesma  opinião de que não existe um time top, muito superior aos outros, portanto, dá sim para apostar na recuperação.

E foi assim. O programa, claro, como não poderia ser diferente, registrou mais e mais recordes de participações de telespectadores.



De novo, no ABC, essa palhaçada de acusar um atleta de fazer "panelinha"; vítima da vez:o goleiro Edson

Edmo Sinedino,

Um filme repetido, péssimo, que me causa uma certa ojeriza e me faz duvidar, cada vez mais, de que um dia o futebol do RN vai realmente se transformar em profissional. O goleiro Edson pode estar deixando o ABC. Imagine o prejuízo nessa reta, desesperante, final de Série C.

Quando eu disse o filme repetido, foi me valendo do que disse o goleiro, que teria sido acusado de fazer "panelinha". Voltei no tempo e lembrei da dupla de volantes, jogadores de muita qualidade, Ricardo Oliveira e Basílio. Um dia, também acusados da mesma coisa.

Mais na frente, foi a vez de outra dupla, em outra meia crise do ABC, também armarem, na opinião de muita gente sem noção, uma "panelinha" no clube. Desta vez, Cascata e, pasmem, Renatinho Potiguar.

Não parou por aí. Ano passado, essa foi o absurdo dos absurdos, os jogadores Tonhão, Chiclete, Erivelton e Arês, jovens da casa,  também levaram a pecha de fazer arrumadinho para derrubar o treinador Ranielle Ribeiro. E parece que o treinador acreditou nisso, não sei bem.

O ABC perdeu todos esses valores e sente esse prejuízo, mesmo que muitos não reconheçam, até hoje. Agora, com os maus resultados, com a boataria infernizando o dia a dia do clube,  foi o goleiro Edson acusado desse tipo de canalhice sempre repetida.

O mais incrível é que, durante todo esse tempo, nunca descobrem, punem, de verdade, o autor dessa boataria, dessa safadeza que só prejudica a equipe. Espero que o presidente Suassuna e o técnico Roberto Fernandes façam o goleiro mudar de ideia.

O ABC, essa altura, não pode, nem deve abrir mão de seu melhor goleiro, que deveria estar trabalhando, de cabeça leve para voltar ao gol do time na próxima partida, pois escalar o Saulo, de novo, não seria recomendável, na minha opinião.



Gabriel Jesus volta a brilhar e o Brasil bate a Argentina de 2 a 0

Edmo Sinedino,

O Brasil venceu a Argentina de 2 a 0. Um gol de Jesus e o outro, dele também, quer dizer, 95% por cento dele, mas foi Firmino que empurrou para dentro das redes. Volta o "oba-oba", não tem jeito, já somos os melhores do mundo e a partida não foi para isso. 

Torcida pode, pois ganhar da Argentina é bom demais, uma das únicas coisas que concordo com o chato nacional. A nossa seleção espera o vencedor de Chile e Peru, que jogam amanhã.

E o jogo. O Brasl começou muito bem, achou a marcação de Messi, deu uma espécie de encurralada nos argentinos. Gabriel Jesus fazia a boa diferença. Saiu o gol. 1 a 0. A partir daí as coisas mudaram. Messi se encontrou, e os jogadores do Brasil não mais o encontraram. E a Argentina pressionou, teve bola na trave e eles, sempre, melhores, quase empatam, até mereciam.

No segundo tempo, os argentinos, comandados por Messi, continuavam melhores. A defesa, a ótima defesa do Brasil, e o goleiro Allison faziam a boa diferença. O Brasil quase não levava perigo, e os argentinos, com Messi, obrigaram Allison a boa defesa, o mesmo Messi acertou a trave e na mesma jogada cruzou rasteiro, a bola passou rente à linha de gol e mais rente ainda ao pé do atacante Kun Agüero, além de outras situações de perigo criadas. Nós, nada.

O empate argentino estava iminente, o Brasil não trocava passes, pouco acertava, até que, nunca jogada espetacular de Gabriel Jesus, não pela direita, não pela esquerda, mas pelo meio, onde ele marcou o primeiro gol, onde ele é melhor, brigou pela bola, arrancou, protegeu, trombou, se manteve em pé,  ganhou dos argentinos, entrou na área, prendeu, fintou mais um e deu um passe, de gol feito, para Firmino. 2 a 0. Uma jogada espetacular!

A partir daí, como sempre acontece nessas situações, os argentinos perderam a cabeça e não acertaram mais nada. Lautaro Martinez queria briga, o treinador entrar em campo para apitar a partida e o Brasil, após saída de Jesus para Allan (o Tite de sempre) e a contusão de William, que havia entrado no lugar de Everton, claro, não queria mais jogo. E nem a Argentina acertava mais nada. Se organizado, ofensivo,  a nossa seleção bem poderia ter feito o terceiro, o quarto...

Claro, 2 a 0, todo mundo vai dizer que a seleção foi uma maravilha. Não foi. Ótima vitória, super importante para sabermos que podemos contar, de novo, com esse menino Jesus em grande forma (quem sabe o Tite o coloque na sua real posição), foi ótimo ver a supremacia de nossos grandes zagueiros - Marquinhos (que saiu sentindo) e Thiago Silva, mas precisamos melhorar o passe, a saída, e, principalmente, a marcação.

 Poucas vezes o Messi foi desarmado. Os defeitos não podem ser apagados nas vitórias.

Vamos esperar o vencedor de Chile e Peru, torcer pelo título, domingo, no Maracanã.



Mais um Brasil x Argentina

Edmo Sinedino,

Não dá para fazer prognóstico no futebol. Ainda mais quando se enfrentam Brasil e Argentina. Indefinição é a palavra. Mas nessa partida o diferencial quem tem é a a rival vizinha. Lionel Messi. Ele pode fazer a diferença. 

O Brasil, salvo o surgimento improvável justo na partida de hoje, não tem um jogador que o torcedor acredite: esse pode decidir. Temos, isso sim, dói dizer, mas é verdade, alguns amarelões que somem em jogos grandes.

O torcedor deve dizer assim: mas a Argentina não jogou nada até agora. Mas é essa Argentina que fez final contra a Alemanha, em 2014, e em 2018, uma partida antológica nas quartas de final contra a França.

O Tite deve vir no mesmo esquema de dois volantes, alas presos, atacantes de mesma característica juntos na frente, enfim...será que vai funcionar justo contra Los Hermanos?

Por conta de Messi, e de uma lembrança de uma partida em que Fernandinho marcou o meia, me pergunto: será que o retranqueiro Tite não vem com Fernandinho no lugar de Artur? Não duvido.

Sim, e ainda tem o agravante de Galvão Bueno, Casagrande e Júnior. Só para quem tem o saco do tamanho do Papai Noel.



Sob o comando desastroso de José Vanildo o futebol do RN só supera, no Nordeste, o Piauí

Edmo Sinedino,

fundopo_09Me lembro como se fosse hoje o ano de 2007. O América ainda na Série A, triste participação é bem verdade, mas na elite.  Naquele ano, surgimento e brilho de Wallyson, o ABC subia da Série C para a B. O futebol do RN em alta.

E eu, inocente, acreditei. Lembrei de um personagem de Jô Soares, que dizia várias barbaridades, e depois, se mordendo, se penalizando, afirmava: "eu acrediteiiiiiii!' Foi eu no começo de administração de José Vanildo.

Hoje, passados doze anos, ele ainda fica até 2022, se nosso futebol não acabar antes (brincadeira), fico imaginando como ele vai deixar nosso esporte mais popular.  Nunca se viu tantos acontecimentos ruins.

Clubes que desapareceram, já narrei aqui tantos; ligas encerradas, campeonatos amadores sem apoio, futebol femino abandonado, bases com torneios ridículos, e, por causa dos desmandos, nossos principais clubes lutando para não descer mais ainda de divisão nos brasileiros que ainda se sustentam às duras penas.

O América está no seu terceiro ano na quarta divisão (espero que seja o último), o ABC correndo risco de rebaixamento para essa mesma Série D, assim como o Globo. E o Alecrim centenário, sem perspectivas se disputar a inexistente Série B de nosso campeonato.

Será que alguém ainda tem a coragem de dizer que o presidente da FNF, José Vanildo, não tem uma enorme parcela de contribuição  nesta hecatombe em que vivemos?

Sob sua batuda desqualificada, desorganizada, sem transparência, sem prestação de contas, sem eleições transparentes, sem concorrentes, sem ligas, com poucos clubes com direito a voto, o nosso futebol hoje, no Nordeste, pasmem, só está melhor que o futebol do Piauí.

Até quando?

bomurcha_09


Um reparo: o Globo não venceu, mas jogou melhor e ainda foi garfado pela arbitragem

Edmo Sinedino,

Uma notinha se faz necessário sobre o Globo. Lamentei ontem novo tropeço em casa, e continuo, mas pelo menos, ouvindo a opinião de quem conhece, e estava em campo, vendo a partida, digo que o Globo foi injustiçado. O placar era para ter sido amplamente favorável ao clube de Ceará-Mirim.

Segundo meu colega de tevê Assembleia, o internacional Alysson Bala, o Águia jogou muito, criou inúmeras oportunidades de gols, dominou o Imperatriz e ainda foi garfado pela arbitragem, que deixou de marcar pênalti claro sobre o meia Jean.

Mesmo assim, menos triste, ainda muito preocupado, digo que o Globo tem que se cuidar para não ter que começar uma luta somente para fugir do rebaixamento.



Salários dos funcionários do ABC ainda em atraso

Edmo Sinedino,

Não posso deixar de repetir a cobrança. E faço isso quantas vezes forem necessárias, mesmo sabendo que, é capaz de, por pirraça, os poderosos da diretoria não pagarem. Me refiro aos salários dos funcionários mais humilde, ainda em atraso.

Uma maldade sem tamanho. Como fazer a turma acreditar que não tem dinheiro para quitar esse compromisso sagrado se a equipe continua a trazer reforços. Esses caras, todos, sem exceção, devem estar vindo jogar pelos "belos olhos do ABC". É isso?

E por falar em diretoria, ainda não foi desta vez que os repórteres que cobrem o ABC deram com a presença do novo diretor de futebol, Fabiano Texeira. A não ser que ele esteja indo ao clube em horários que a imprensa não se encontra, pode ser isso.



ABC traz o 20º reforço e suposta lista de dispensa é divulgada; caos geral!

Edmo Sinedino,

roberto34_09Uma bagunça geral. Assim é o ABC Futebol Clube que hoje anunciou mais um reforço em meio à divulgação, extra-oficial de uma lista de dispensas. Tito, que estava defendendo o Avenida/RS, não sei se jogando, nem quando foi a última vez que entrou em campo, atacante, 33 anos, é o 20º contratado.

Então, deve ser certo a saída propagada de Luan, confirmado pelo fato do atacante ter apagado de suas redes sociais as ligações com o clube.  Ótimo jogador, mas , pelo que falam, não estava mais querendo ficar. Será isso mesmo?

Anderson também deve ser demitido. Esse é mais fácil. Caladão, potiguar, um dos jogadores mais injustiçados, pois sempre teve atuações de destaque, com raras exceções. Se confirmada sua saída, fica a certeza de que o ABC não tem quem pense em conjunto. Certamente, o menino não tem empresário...

Henrique e Bocão foram dados como cartas fora do baralho. Esses dois, minha gente, assim como Sagredo e Xavier, diria que a direção demorou a tomar uma decisão, e o treinador Roberto Fernandes ainda escalou os três para jogar. Bom, só posso afirmar uma coisa com segurança: o ABC é uma nau perdida em meio a uma tremenda borrasca e sem nenhum farol de Mãe Luíza para o orientar.

*Foto: twitter oficial do ABC



América não consegue vencer em casa e decide permanência em Riachão do Jacuípe

Edmo Sinedino,

O América não conseguiu vencer a Jacuipense, primeiro jogo do segundo mata-mata da Sérkie D do Brasileira, partida realizada em Natal, na Arena das Dunas, neste domingo, 30. A decisão ficou para domingo que vem, em Riachão do Jacuípe, no estádio Alfredão, quer dizer, muito mais à feição da equipe da casa. As coisas se complicaram, mas nada de desespero.

A partida foi muito igual. Evidente, o América teve mais ações de ataque, mas faltou um pouco mais de intensidade e inspiração do time rubro. Justiça seja feita à equipe baiana que não veio a Natal somente "assistir" time da casa atacar e se defender, não. Eles tinham sim um esquema de jogo bem definido, e chegaram sim a levar perigo ao goleiro Evertom. Em pelo menos duas oportunidades, o menino mostrou suas qualidades e evitou o gol adversário. O rubro potiguar chegou mais, é verdade, mas não criou, na verdade, uma situação clara de gol.

No segundo tempo, a partida continuou quase na mesma toada. O conjunto de Moacir Júnior não funcionava como o fez em partidas anteriores, as mexidas realizadas não surtiram efeito, poucas situações efetivas de gols foram criadas e a partida terminou sem o placar fosse alterado.

Das equipes que vi jogar nessa Série D, a Jacuipense foi a que vi melhor colocar a bola no chão, sair jogando, mostrar um esquema de jogo definido, com três volantes protegente sua entrada de área, bem posicionados, mas, os três, inclusive o primeiro volante, como bom passe na saída. Na criação, um meia que eu já destacada a semana passada, o Danilo Rios, sempre preciso nos passes e articulações.

É evidente, que o América deixou a desejar. Roger Gaúcho, pelo que rendeu na partida passada, fez muita falta. Hiltinho não foi esse jogador, até porque não tem essa característica.  Paulo Renê e Mikael, entraram nos lugares de Hiltinho e Max, mas nada acrescentaram, assim como Murici, que depois entrou no lugar de Pardal. Ficou evidente, na partida de hoje, a falta de peças de reposição que pudessem, de verdade, acrescentar algo ao time que hoje esteve muito pouco inspirado.

E foi essa a tônica da partida. Na Arena, uma torcida que ajudou, incentivou,  mas saiu de campo triste e apreensiva. Público pagante de 13.529 para uma renda de R$ 209,125,00.



Peru surpreende e elimina o Uruguai na disputa dos tiros livres diretos

Edmo Sinedino,

peru23_09Futebolzinho maluco esse. O Peru está nas semifinais, desbancando o favoritíssimo Uruguai, nos pênaltis - 5 a 4 -, depois do empate sem gols no tempo normal.

O placar absolutamente injusto, pois mesmo sem muita intensidade, a Celeste merecia a vitória pelo maior volume de jogo e inúmeras chances criadas.

Os atacantes Cavani e Suarez, considerados top do futebol mundial, perderam chances incríveis na partida. Nos tiros livres diretos, foi Suarez quem perdeu.

Os peruanos, que só se defenderam, ficou claro que queriam arriscar tudo nas penalidades, conseguiram seu obejtivo e nas cobranças tiveram um aproveitamento de 100%.

O duelo na semifinal será contra o Chile que, também nas penalidades, eliminaram a Colômbia. Brasil x Argentina fazem a outra semifinal do torneio.

E as quartas de final da Copa América se foram sem que  Brasil e Paraguai, Chile e Colômbia, Peru e Uruguai marcassem sequer um golzinho.

Que futebol pobre!


Globo escapa da derrota aos 48 minutos, mas soma segundo tropeço dentro de casa

Edmo Sinedino,

O Globo empatou de 1 a 1 diante do Imperatriz/MA. Pior, correu atrás do empate e só consegui aos 48 minutos do segundo tempo, num chute de fora da área do meia Jean Natal. 

O time de Ceará-Mirim namora com a zona do descenso, nos dois últimos jogos em casa somou apenas dois pontos, e isso é péssimo sinal, basta ver o exemplo do outro potiguar, ABC.

Não vi o jogo, nada escutei da partida, mas independente de ter jogado bem ou mal, o Globo não pode se dar ao luxo de tropeços repetidos dentro de casa. Soma 10 pontos, está fora da zona de rebaixamento, mas se obriga, no próximo compromisso, diante do Confiança, em Sergipe, somar pelo menos um ponto.



Atuações: estreantes Dione e Richardson são os melhores em campo

Edmo Sinedino,

Analiso, com notas, os jogadores do ABC na partida contra o Náutico, empate ruim, para os dois, de 1 a 1, partida realizada nos Aflitos, décima rodada da Série C.

Saulo - Muito mal no jogo. Falhou grotescamente no gol do time Timbu, assistiu as bolas aérea passarem dentro da pequena área, fez, num jogo todo, uma defesa que considero difícil, cabeçada de Wallace Pernambucano. Nota 2.

Ivan - Marcou um golaço. Maravilha! Mas não analiso lances nem gol, e sim atuação. Ele foi péssimo na marcação e ausente no apoio. Nota 3.

Jocélio - jogando do lado que sabe, apesar dos sufocos em que a falta de marcação e cobertura o colocou, se saiu bem. Nota 7.

Richardson - ótima estreia. Firme em todas as disputas, por cima e por baixo, veio para sanar, parece, o problema crônico desde a contusão do Vinícius. Uma grande atuação mesmo. Nota 8.

Guilherme - altos e baixos. Muitas jogadas do Náutico do seu lado, mas também, ele, sofrendo por falta de cobertura e recomposição do meio-campo. Ausente no ataque. Nota 5.

Pedra - muito mal no primeiro tempo, perdido como nos outros jogos. Melhorou no segundo tempo, mas mesmo assim fraco na saída de bola. Nota 4.

Wenderson - discreto, bom marcador, regular passador, esteve bem durante todo o tempo. Nota 6.

Anderson Rosa - muito marcado, mal acionado, não brilhou, quase não teve participação efetiva, como sempre acontece. Nota 5.

Dione - o melhor jogador em campo, dos 22, e contando os que entraram depois. Rápido, criativo, de bom passe, e responsável pelas melhores jogadas de ataque do ABC e por todos os chutes a gol. Nota 9.

Moisés - não entendi a função tática desse jogador na partida, apesar de reconhecer que tem certa técnica. Nada acrescentou no ataque. Nota 4.

Jefinho - muito pouco acionado e voltando para buscar jogo, falha dele, pois não precisava. No entanto, sem jogada de linha de fundo, sem aproximação de companheiros, não rende. Nota 5.

Caio César - não entendi a mexida. Desfazendo o que tinha feito? Nada acrescentou. Sem nota.

Rodrigo Rodrigues - teve a bola do jogo nos pés, nem chutou e nem passou, se enrolou todo. Sem nota.

Xavier - precisando ganhar, Roberto Fernandes o coloca para dobrar marcação. Nada acrescentou. Sem nota.



Torcida fez festa com o empate, mas não tinha motivo

Edmo Sinedino,

Confesso que não entendi. Um vídeo no final da partida, torcedores do ABC vibrando com o empate nos Aflitos. Tudo bem, tudo bem, melhor que vaiar e tentar agredir os jogadores. Empolgado, cumprimentando e sendo cumprimentado pelos alvinegros, o goleio Saulo. Entendi menos ainda, pois ele falhou feio no gol Timbu. De novo, tudo bem, estamos vivendo um novo tempo? Talvez.

O torcedor do ABC precisa entender a gravidade do momento que o time atravessa. Com esse empate, o seu time agora tem apenas oito jogos quando, na melhor das hipóteses, ele tem a obrigação de vencer pelo menos cinco.

Desses oito jogos, mais grave ainda, apenas quatro serão realizados dentro do estádio Frasqueirão, e lembrando que no próximo compromisso terá que vencer o Treze por dois gols de diferença para sair da última colocação, já que continuará, mesmo somando os três pontos, na zona de rebixamento.

E torcendo para que Globo, Náutico, Imperatriz continuem a não somar vitórias. Hoje, para a sorte da sua caminhada, o Águia empatou com o Imperatriz, em casa.



ABC continua sua "via crucis" sem vitória; empate, mesmo fora, não é para ser comemorado

Edmo Sinedino,

goltimbu_09O ABC empatou com o Náutico, nos Aflitos, ruim para o time Timbu, péssimo para o alvinegro potiguar que continua sem conseguir vencer, e essa foi a nona partida de forma consecutiva. Com esse resultado, claro, a equipe de Natal permanece na última colocação, agora com seis pontos. Não entendi a postura do Roberto Fernandes. Onde foi que entrou em campo a ação "Kamikase" que ele defendeu?

Futebol é tão incrível que alguns torcedores alvinegros se monstraram, não felizes, mas conformados com esse empate, como se não tivesse sido tão rui. Mas foi. Esse 1 a 1, mesmo fora de casa,  só tem a vantagem moral, vai ter quem diga que ficar na igualdade, nos AFlitos, foi bom, para mim, não.

No primeiro tempo o ABC pouco fez, e o Náutico também. Alguns lances de bola alçada na área, medindo-se para saber quem apresentava um futebol, vamos dizer assim, menos ruim. O time da casa foi premiado com um frangaço do goleiro Saulo, num chute fraco do meia Thiago. A partida seguiu sem bilho, e o ABC atuando como se o empate fosse um ótimo resultado. 

No segundo tempo, muito mais por relaxamento do Náutico que melhora do ABC, os comandados de Roberto Fernandes começaram a incomodar um pouco mais. No entanto, ainda sem qualidade de passe, sem ligação de setores, enfim, dependendo de jogadas isoladas do Dione, muito bem na partida e algumas ações pelo lado esquerdo.

O gol do ABC saiu de uma falta muito bem cobrada pelo ala Ivan. A partir daí, Roberto Fernandes, que já havia trocado um volante por um atacante - Rodrigo Rodrigues para Wenderson - voltou a encolher tirando Jefinho para a entrada do estreante Caio César, que nada acrescentou em nenhum dos setores.

Depois, outra mexida para reforçar pegada, Xavier para o lugar de Anderson Rosa. O ABC ganha mais um marcador do lado esquerdo e perde na criação. O Náutico, errando demais, não soube tirar proveito dos equívocos do treinador abcdista. Muitos chutes sem direção, uma cabeçada de muito perto desperdiçada. O ABC, apenas um chute perigodo de Dione e nada mais.

Absolutamente incompreensível que uma equipe que precisa desesperadamente vencer, somar pontos, com a partida que começava a ficar favorável, o treinador resolvar devolver com mexidas que considero equivocadas, assim entendi. Incrível que jogadores como Xavier, entre outros, continuem tendo chances na equipe, enquanto que valores como Anderson, que sempre entra muito bem, e o o garoto Wanderson sejam solenemente ignorados.

O ABC precisava dobrar jogadores na criação, mais gente com passagem pelo lado direito, mais gente com passagem pelo esquerdo. Qualificação de passe na saída de bola - nunca vi tantos passes errados - e, claro, uma pressão maior, já que, naquele momento, a torcida do clube pernambucano já vaiava e jogada "a favor do ABC".

Depois de alguns sustos, sufocos, situações de gols criadas e desperdiçadas pela equipe Timbu, o árbitro apitou o final da partida. Eu, sinceramente, não vejo nenhum motivo sequer para tapinhas nas costas...

*Foto: twitter oficial do Náutico



Parreira é o culpado pela decadência do futebol brasileiro

Edmo Sinedino,

O texto abaixo escrevi em 2011 no meu blog alternativo Noataque. Comparando o que o Parreira fez e o que Tite está fazendo, em breve vou dizer que esse texto serve como uma luva para os dois. Descreve bem os retranqueiros que enfeiam nosso futebol.

Minha gente, e essa Copa América???

Vejam abaixo

Parreira é o culpado pela decadência do futebol brasileiro

Proibir Parreira de comparecer aos cursos de treinadores futebol. Só temos essa chance de salvar o futebol brasileiro.

Todos os novos papangus treineiros que se formam, e que se formaram nos últimos 20 anos, são fãs de Parreira.

Taí, simples, a explicação para a derrocada do futebol brasileiro.

“Boca de Confeito” é , para mim, o grande responsável pelo futebol feio, covarde, sustentado na força e marcação, praticado no Brasil.

O maior mal para o nosso futebol foi aquela maldita Copa de 1994.

Não fosse ela, o retranqueiro teria sido banido do futebol nacional, estaria até hoje se escondendo no mundo árabe, onde é facílimo de enganar.

Proíbam, não convidem Parreira para dar palestra, quem sabe nosso futebol ainda tenha uma sobrevida.



Treze vence o Santa Cruz e deixa o ABC ainda mais isolado na lanterninha do Grupo A

Edmo Sinedino,

Complicou ainda mais a coisa para os lados do ABC. O Treze de Campina Grande venceu o Santa Cruz, agora soma 9 pontos, abrindo quatro de vantagem sobre o ABC que ainda vai jogar, mas fora de Natal, diante do Náutico, neste sábado, nos Aflitos.

A vitória trezeana alivia um pouco a pressão sobre o treinador Luizinho Lopes, potiguar, que chega dos Estados Unidos para assumir a equipe.

A vitória do Treze também põe pressão sobre o outro representante potiguar na Série C, o Globo que, com os mesmos 9 pontos do Galo da Borborema, mas com melhor saldo de gols na oitava posição, vai precisar vencer o Imperatriz, partida disputada no Barrettão.

A equipe de Ceará-Mirim não pode se dar ao luxo de ter mais tropeços dentro de casa. Ao ABC, no entanto, mesmo jogando fora vai precisar buscar os três pontos como única alternativa para continuar sonhando em, pelo menos, permanecer na Série C.

A vitória da equipe de Campina Grande, em crise, enfrentando vários problemas, sobre o Santa Cruz, que aspirava a liderança, só reforça o que venho dizendo sobre essa Série C:  não despontou, apareceu uma equipe que se possa apontar e dizer: essa é a favorita, é a melhor!




Brasil passa sufoco, empata sem gols no tempo normal, mas elimina o Paraguai nos pênaltis

Edmo Sinedino,

brasilpenal_09O Brasil está nas semifinais da Copa América. Foi no sufoco, precisou de pênaltis, e de uma defesa de Allison e um chute para fora do Derlis, pois Firmino também perdeu. 4 a 3  foi o placar, depois do zero a zero no tempo normal. 

O Brasil com cara de Tite, um time que, seleção nacional, considerada sempre entre as melhores do mundo, e não tem alternativas, não teve, para furar o bloqueio de um time apenas mediado como o paraguaio.

A gente fica se perguntando como um cara que vive futebol, que estuda futebol e que respira futebol consegue ser tão obtuso no comando de uma seleção? Claro, minha opinião não é a de todos, nem mesmo de uma maioria considerável, mas essa equipe treinada por Tite é muito previsível e limitada. Uma seleção brasileira não pode ser.

Começo perguntando: qual a necessidade de dois volantes de marcação quando você vai enfrentar uma equipe que vem tão somente em busca do empate?

Outra pergunta: quantos jogos mais o Brasil vai fazer com a escalação equivocada de dois centroavantes até que se chegue ao consenso de que não pode ser assim, que não funciona?

Jogaram  Jesus  e Richarlison, Tite sacou o primeiro; depois Firmino e Richarlison, Tite sacou o segundo, e agora Firmino e Jesus, e os dois continuam em campo, um atrapalhando o outro até o final.

Gabriel Jesus tendo que fazer jogadas de ponta sem nenhum cacoete de ponta, e isso numa seleção brasileira.

Mais perguntas: qual a função, me digam, desse Daniel Alves na seleção. Ele não é bom marcador e não faz uma jogada sequer de linha de fundo. Inventaram para ele, não sei o que fez para merecer, me digam, um tal "apoio por dentro"...

Absurdo dos absurdos dos absurdos. Daniel Alves é um ex-jogador em atividade e seleção ele não merecia nem mesmo quando estava na plenitude de seu futebol, pois já era um péssimo marcador que se notabilizou por jogar muito, tão somente, contra adversários muitos fracos.

Enfim, me digam, como é que Tite não enxerga tantos absurdos que saltam aos olhos de qualquer torcedor comum?

Coutinho não pode mais ser responsável por criação no Brasil, ele amarela. William não deve mais ser convocado, ele amarela. Firminou pode fazer um milhão de gols no Liverpool, mas é um murrinha comum, e temos, pelo menos, cinco melhores que ele.

O que precisa acontecer para que o futebol brasileiro passe por uma reformulação de verdade? Perder em casa para um limitadíssimo Paraguai? Quase acontece.

E se perder para esse timeco argentino. Gostaria de torcer contra, mas não consigo. Nos pênaltis, quase tenho um infarto quando o Firmino deu aquele chute bizonho para fora. 

Talvez essa partida de hoje tenha servido para tirar de uma vez por todas qualquer dúvida sobre a supremacia absoluta de Jesus sobre Firmino. Será que serviu?

E a festa no gramado? Parecia que tínhamos descontado os 7 a 1 que tomamos da Alemanha em pleno Mineirão. Me perdoem o amargor, mas ficaria com vergonha até mesmo de comemorar a vitória, um triunfo nas penalidades sobre o Paraguai.

Por essas e outras que, a cada quatro anos, continuamos a nos enganar, nos deixar levar pela idiotice de Galvão Bueno e sua trupe, pensando que vamos ser campeões do mundo e voltarmos ao topo do futebol no planeta. 

Infelizmente, nunca mais!



O futebol do Brasil nunca terá uma Megan Rapinoe

Edmo Sinedino,

Infelizmente, no futebol brasileiro, masculino, mais influente, figuras como Ronaldo Nazário, Ronaldinho, Neymar, entre outros, fazem justamente o contrário da Megan Rapinoe, jogadora dos EUA, que defende minorias e se posiciona contra o presidente Trump. Por aqui, sobraram apologias ao infame governo Bolsonaro por parte dessa trupe de idiotas que encabeçam nosso futebol.

Veja abaixo

Jogadora que luta contra a opressão das minorias disse que não iria a Casa Branca após convite de Donald Trump

Capitã da seleção feminina de futebol dos Estados Unidos, Megan Rapinoe reitera os valores pessoais dentro e fora de campo. Uma das principais jogadoras da equipe norte americana, Rapinoe se envolveu, nesta semana, em polêmica com o presidente estadunidense, Donald Trump.

Classificadas às quartas de final da Copa do Mundo, a equipe dos Estados Unidos recebeu apoio de Trump por meio das redes sociais. Na ocasião, o presidente conhecido por ser de direita, convidou as atletas para uma visita na Casa Branca, caso o time conquistasse o Mundial. Rapinoe, por sua vez, negou o convite.

Ao ser questionada sobre a recusa, a jogadora de 33 anos respondeu de forma objetiva: "eu não vou para a p...da Casa Branca". Sem abandonar os princípios que a tornaram apoiadora das causas como igualdade de gênero e direitos LGBT+, Rapinoe segue cumprindo papel de líder dentro e fora de campo.

Com ideais diferentes de Trump que ao ser eleito presidente retirou do site da Casa Branca as menções a comunidade LGBT+, construiu o muro na fronteira entre Estados Unidos e México e já deixou claro a posição contra imigrantes, Rapinoe chegou a fazer um protesto político durante exibição do hino nacional contra a violência racial e a opressão das minorias.

Fonte: Terra

Atualizando: Megan marcou dois gols na vitória dos EUA sobre a França e deu mais um cala a boca no canastrão Trump.
61-80 de 9390