ENJU - Ensino Jurídico

Medidas de segurança e saúde mental no sistema prisional potiguar é tema do 22º Papos & Ideias Direitos em Debate

ENJU -,

O Centro Acadêmico de Direito UnP promove, nesse sábado (28/5), a 22ª edição do projeto educativo Papos & Ideias Direitos em Debate. 

O evento acontece as 18h na livraria Saraiva do Shopping Midway Mall. Para debater, no âmbito da Psicologia e do Direito, sobre a temática "Medidas de segurança e saúde mental: sistema penitenciário e seu caráter manicomial", foram convidados a professora, mestre em Psicologia, doutoranda do programa de pós-graduação em Psicologia da UFRN, Ana Izabel Oliveira Lima, e o professor, mestre em Direito Constitucional, doutorando em Ciências Juridico-Criminais, Felipe Azevedo Rodrigues, com a mediação do advogado Gabriel Bulhões.

Gabriel já participou de edições anteriores do projeto e relata que o momento é muito proveitoso tanto para os alunos quanto para os profissionais não só do Direito. “É uma oportunidade de estabelecer um diálogo de proximidade com o público acadêmico”, disse Gabriel.

Para a professora Ana Izabel, “Debates sobre temas atuais fortalecem a formação profissional e empoderam nossos alunos diante dos desafios da contemporaneidade” a professora ressalta a importância do tema e continua dizendo ainda que: “O debate acerca dos hospitais de custódia ganha importância a cada dia, uma vez que pessoas acometidas por transtornos mentais demandam efetivo e concreto acompanhamento e cuidado e não somente o isolamento. É preciso superar o cruel confinamento indefinido e fortalecer o planejamento de ações em parceria com a Rede de Atenção Psicossocial do SUS”, declara.

O Rio Grande do Norte tem o hospital de custódia para o tratamento de indivíduo em que, a ele, está sendo aplicada a medida de segurança. Segundo o professor Felipe Azevedo, o tratamento é feito de maneira precária. “Não tem a estrutura devida, não há o suporte médico necessário. Outra questão que precisamos ressaltar é a ausência do hospital de custódia para mulheres, o que acarreta na má assistência dada a quem tem algum transtorno mental que cometeu o crime e necessita do tratamento, mas que são colocadas junto àquelas que são sãs e cumprem pena, são casos especiais e que precisamos debater sobre, tentando fazer com que essa situação não se agrave ainda mais”, concluiu Felipe.

Em menos de 24 horas as vagas foram preenchidas. Os inscritos devem levar uma lata de leite em pó a ser entregue ao Lar da Vovozinha. O evento ocorre em parceria com a Livraria Saraiva e outras empresas e entidades que apoiam a iniciativa.

Outras Informações: [email protected]


A+ A-