Tudo a favor de Dorival

Nicolau Frederico,

Em meu artigo anterior, publicado neste “Espaço MPB”, a internauta Maria Rodrigues deixou um comentário que, pelo seu conteúdo, aqui publico, mantendo o título que ela colocou, “Tudo a favor de Dorival”.

Tudo a favor de Dorival Caymmi, cantor e compositor tão importante pra música baiana quanto foi Rui Barbosa como um dos mais prestigiados juristas brasileiros. Nada contra os ícones brasileiros, de qualquer parte do Brasil. Temos mesmo que reverenciar, que prestigiar, sempre e tanto aqueles que contribuem e contribuíram para o progresso da nossa cultura.

O que me espanta, por ser natalense, ter vivido maior parte da minha vida no Rio e em Brasília, é estar em Natal/RN há apenas 06 anos e verificar que o meu povo não sabe como lidar com a cultura própria, com aqueles que aqui nasceram e se projetaram nacional e internacionalmente sem, contudo, receberem um mínimo de mimo dos seus conterrâneos. 

Foi uma coisa triste demais saber da morte repentina de Ademilde Fonseca, acho que há dois ou três anos atrás, sem que o RN, através dos canais locais, tenha feito as devidas homenagens a essa enorme cantora, cantora de rádio como foram Ângela Maria, Dalva de Oliveira, Hebe Camargo, Emilinha, entre tantas outras. Foi uma vergonha para o Estado, porque eu mesma vi televisões do Brasil inteiro homenageando Ademilde Fonseca, a única pessoa capaz de cantar o Choro com técnica e desenvoltura de uma pessoa singular, pela sua voa rápida e ligeira, de uma voz somente entende por Deus na sua plenitude. Eu mesma não vi uma linha sobre a morte dela. 

Glorinha de Oliveira é outra grande cantora de Natal, hoje com noventa anos ou mais, porém cantando ainda como um pássaro. Vi, por acaso, uma entrevista dela na televisão local, dizendo ser seu maior desejo poder gravar um CD. Imagine! Canta como jamais alguém viu. Embora tendo sido consagrada no Rio e em São Paulo, não conseguiu sequer envelhecer para ter uma casa razoavelmente confortável.

Marinho, um dos maiores jogadores do mundo, pelo Botafogo e pela Seleção Brasileira, morreu neste ano, acho, na mais plena miséria, como se fosse um ser a parte, ou um bandido foragido. Vale dizer que ele chegou a ser flertado por uma rainha em Londres. A história desse grande atleta vai ser contada um dia, quando de nada mais adiantará. Muitos anos atrás, segundo soube, a vida desse homem era de miséria, de muitas dificuldades, quando o Estado poderia ter-lhe dado a mão, e, assim, ajudando-o a ter seu nome preservado.

Mesmo sem encerrar a montanha de nomes significativos da história do RN, citarei apenas mais um, que é o de uma das maiores cantoras brasileiras - Núbia Lafaiette. Esta aí encantou o Brasil com sua voz límpida; com suas canções apaixonadas e apaixonantes, num tempo em que o amor era vibrante, e as pessoas viviam para amar e se deliciar com os grandes cantores. Morreu, como Ademilde Fonseca, há pouco tempo, e eu só fui saber que ela era do RN por acaso, tal o descaso da imprensa local com suas personagens relevantes no cenário nacional e até internacional. 

Acho que aqui neste blog de Nassif, como em poucos, eu vi homenagem a Ademilde Fonseca. E vi alguma coisa na Rede Vida, embora saiba que nacionalmente fizeram alguns programas para relembrá-la. O fato é que aqui em Natal, onde voltei a morar após décadas, a maioria sequer sabe quem foi essa mulher.

Mas, reitero, sou a favor de qualquer homenagem a Caymmi, e a qualquer expoente cultural brasileiro. Só lastimo que um Estado como o RN não tenha a percepção da importância de prestigiar, de fazer conhecer e relembrar personagens tão significativas para a cultura local.”

Prezada Maria Rodrigues, obrigado pelos seus comentários. Além deste blog no portal Jornal GGN e antes no portal do Luís Nassif, eu fiz uma matéria em 2008 sobre o livro “A bossa nova de Hianto de Almeida”, de autoria da professora, pesquisadora e imortal na Academia Norte-rio-grandense de Letras (ANL), Leide Câmara.

Leide, antes dessa sua obra sobre o músico e compositor macauense, lançara em 2001 o seu “Dicionário da Música do Rio Grande do Norte", trabalho iniciado em 1996 e que resultou na mais completa catalogação da música potiguar. Foram catalogados cerca de 160 CD’s e 500 LP’s, além de compactos e outros objetos, como fotos, revistas e partituras.

Lá constam as biografias e as obras das cantoras potiguares às quais você se referiu e aqui publico os links na Internet: Ademilde Fonseca, Glorinha de Oliveira e Núbia Lafaiette, além de tantos outros artistas, músicos e compositores do Rio Grande do Norte que participam e participaram da história de nossa MPB.

Com informações do Dicionário Cravo Albin da MPB, Facebook e Jornal GGN. Foto de Evaldo Gomes.  




Tags: Ademilde Fonseca Dorival Caymmi Espaço MPB Glorinha de Oliveira Leide Câmara Maria Rodrigues MPB Núbia Lafayette Rio Grande do Norte
A+ A-