Barão de Cocais: Chance de barragem romper é de 10% a 15%, diz secretário

Colapso da estrutura pode ocorrer caso desmorone o talude, encosta que dá sustentação à mina da Vale.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Reprodução/TV
Principal temor da Defesa Civil estadual é que o colapso da estrutura provoque um abalo sísmico e o rompimento da barragem Sul Superior.

A barragem do complexo minerário Vale de Gongo Soco, em Barão de Cocais (MG), tem chance entre 10% e 15% de romper, disse nesta segunda-feira (20) o secretário estadual de Meio Ambiente de Minas, Germano Vieira, citando inspeção feita por auditoria independente. O colapso da estrutura pode ocorrer caso desmorone o talude, encosta que dá sustentação à mina da Vale.

O desabamento do talude, conforme Vieira, é inevitável, mas pode ser que a barragem resista.  "O prognóstico se mantém. Todas as avaliações técnicas da empresa foram confirmadas por auditoria independente. Então, o cenário de ruptura do talude vai acontecer. Não se consegue prognosticar se a data é do 21 a 26, pode ser um dia a mais um dia a menos", afirmou o secretário.

A previsão inicial, divulgada pela Defesa Civil, é de que o talude se rompesse entre domingo (19) e o próximo sábado (25). Segundo Vieira, a movimentação da estrutura já ocorria há oito anos "de maneira natural", mas se "intensificou nos últimos momentos". Não é possível dizer, de acordo com o secretário, se o deslizamento ocorrerá ou não de uma só vez.

A Vale ainda identificou outro cenário caso o talude se rompa. Segundo Vieira, a água que está dentro da cava poderia ser expelida com o desmoronamento. Mas neste caso, pelo relevo local, a água desceria para leste, e não para o sentido sul, onde está a barragem.

mina-Gongo-Soco-H

Colapso da estrutura


O principal temor da Defesa Civil estadual é que o colapso da estrutura provoque um abalo sísmico e o rompimento da barragem Sul Superior, que armazena rejeito de minério de ferro. Em 22 de março, a represa teve seu nível de segurança elevado a 3, que significa ruptura iminente.

De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MP), a deformação que foi identificada no talude ao norte da mina, uma estrutura feita de escadarias de grandes proporções formadas ao redor da cava, pode provocar a ruptura do talude. Como consequência, o abalo geraria uma vibração no solo capaz de ocasionar a liquefação da barragem de minérios. O rompimento da estrutura levarias a "danos sociais e humanos imensuráveis para a região", segundo o MP.

Tags: Barão dos Cocais risco de rompimento de barragem Vale de Gongo Soco
A+ A-