Apenas 1,5% do lixo produzido em Natal é separado para a reciclagem

Somente Natal produz diariamente 687 toneladas de resíduos sólidos. Desse total, 677 toneladas vão para o aterro de Ceará-Mirim e 10 t são separadas para a reciclagem.

Maiara Felipe,
Maiara Felipe
As pessoas que chegam ao lixão, logo percebem uma grande quantidade de lixo voando.
Natal produz diariamente 687 toneladas de lixo, mas somente 1,5% desses resíduos são separados para a reciclagem. O restante fica no antigo “lixão” de Cidade Nova, que funciona atualmente como estação de transbordo. De lá, o lixo é levado para o aterro sanitário de Ceará Mirim.

Por mês, a coleta seletiva residencial, junto com o Programa Interno de Coleta Seletiva (PICS), consegue reunir em média 300 toneladas de material reciclável, ou seja, 10 t por dia.

Durante 30 dias, as cinco associações de catadores não atingem metade do lixo coletado diariamente pela Urbana. E além do lixo de Natal chegam mensalmente à estação de transbordo quatro mil toneladas de lixo de Parnamirim.

Desativado desde 2004, por não ter mais condições de receber resíduos sólidos, o “lixão” ainda é mantido como transbordo e depósito de entulhos e restos de podas. 

As pessoas que chegam ao lixão, logo percebem uma grande quantidade de lixo voando. A área que faz o transbordo não contém uma tela de proteção, o que praticamente impossibilita os funcionários de trabalhar sem ser atingidos, como também espalha resíduos por todo local. Um problema.

Um caminhão chega, faz a aferição e descarrega o lixo. Outro carro leva o material e descarrega no aterro sanitário. É assim a rotina do lixão de Cidade Nova. O fluxo de carros não pára, o local funciona 24 horas e recebe em média 180 caminhões por dia.

“O transbordo acontece numa área pequena. Não devíamos receber nada de Parnamirim”, reclama um dos 60 funcionários do aterro.
A+ A-