Presidente da Riachuelo diz que caso de plágio foi “episódio raro”

Em nota enviada ao portal Nominuto.com, Flávio Rocha disse que tomou conhecimento da acusação de plágio pela rede de microblogs Twitter.

Débora Ramos,
Foto: Website/Ivete Sangalo
Em resposta às recentes acusações de plágio que a loja de vestuário Riachuelo recebeu ao longo da semana, o presidente da empresa, Flávio Rocha, declarou que episódios como o divulgado no último dia 13 de maio – que dão conta da reprodução indevida da ilustração da artista americana Marlene Freimanis em um modelo de camiseta da loja – são “extremamente raros”.

Em nota enviada ao portal Nominuto.com, Rocha disse que tomou conhecimento da acusação de plágio pela rede de microblogs Twitter. “Ontem (12), ao entrar no Twitter como faço regularmente, fui surpreendido por uma enxurrada de “posts” citando casos de “plágio” de estampas em peças comercializadas pela Riachuelo”, afirmou.

O presidente se disse “surpreso com a quantidade e virulência” das acusações e, por este motivo, decidiu cancelar todos os compromissos que tinha para a última quinta-feira (14) e dedicar-se a apuração em profundidade da origem das denúncias.

Ele não negou a responsabilidade da empresa na utilização indevida de três ilustrações, no que chamou de atitude “lamentável”, no entanto, insistiu no argumento do diminuto número de vezes na qual a Riachuelo cometeu as irregularidades para justificar a credibilidade da empresa.

“Três casos em mais de 100.000 modelos que foram lançados ao longo da nossa existência, apesar de lamentáveis, representam, convenhamos, um número baixo, levando-se em conta os milhares de fornecedores, estilistas, designers, desenhistas envolvidos em todo o processo de criação”, disse.

Rocha justificou a reprodução indevida dos desenhos com o argumento de que muitas das referências utilizadas pela empresa na concepção de coleções são de domínio público e disse que, para os casos de propriedade intelectual conhecida, a empresa mantém diversos contratos de direitos autorais.

“Gostaria de destacar que a Riachuelo e uma das maiores pagadoras de royalties e direitos autorais do país a grandes e pequenos licenciantes tais como: Disney, Warner, Ivete Sangalo, Pânico, ECAD e dezenas de estilistas renomados ou anônimos”, comentou.

O presidente da Riachuelo assegurou ainda que a empresa está definindo "severas sanções" a serem aplicadas aos fornecedores e colaboradores que cometerem qualquer violação aos direitos autorias de artitas. Rocha também deixou a disposição seu e-mail ([email protected]) para o caso de outras denúncias de desrespeito à propriedade intelectual.

Confira a nota na íntegra:

"Ontem, ao entrar no Twitter como faço regularmente, fui surpreendido por uma enxurrada de "posts" citando casos de "plágio" de estampas em peças comercializadas pela Riachuelo. Surpreso com a quantidade e virulência das citações, cancelei compromissos e decidi dedicar o dia de hoje a apurar em profundidade a origem dessas acusações.

A primeira constatação foi a de que, apesar da quantidade de mensagens, tudo se referia a três episódios ocorridos em diferentes coleções e requentados agora. Apenas um deles gerou uma reclamação formal. Levando em conta que a Riachuelo lança anualmente mais de 10.000 modelos diferentes e que tem 63 anos de história, esse episódio como podemos ver, é extremamente raro e está longe de configurar uma prática habitual na nossa Empresa como algumas mensagens levavam a acreditar.

Três casos em mais de 100.000 modelos que foram lançados ao longo da nossa existência, apesar de lamentáveis, representam, convenhamos, um número baixo, levando-se em conta os milhares de fornecedores, estilistas, designers, desenhistas envolvidos em todo o processo de criação.

Cada um desses lançamentos traz, não raro, várias diferentes informações de moda, como variadas estampas, padronagens, texturas, grafismos, bordados, na sua quase totalidade de domínio público. Para casos de propriedade intelectual conhecida mantemos vários contratos de licenciamento. Gostaria de destacar que a Riachuelo e uma das maiores pagadoras de royalties e direitos autorais do Pais a grandes e pequenos licenciantes tais como: Disney, Warner, Ivete Sangalo, Pânico, ECAD e dezenas de estilistas renomados ou anônimos. Promovemos inclusive concursos para descobrir novos profissionais de moda, com milhares de inscritos e os ganhadores recebem o apoio e financiamento para lançarem as suas primeiras coleções.

Para assegurar o direito do criador e diante da impossibilidade de checar se cada grafismo, símbolo ou referência visual tem propriedade intelectual registrada, pedimos que qualquer reivindicação nesse sentido seja encaminhada diretamente a mim, através do meu e-mail [email protected]

Acrescento que estamos definindo severas sanções a serem aplicadas aos fornecedores e colaboradores que perpetrem conscientemente qualquer violação à propriedade intelectual, inclusive o seu descredenciamento."

Flavio Rocha

 

A+ A-