The Baixo de Natal chama a atenção no Centro Histórico

O público não foi grande, mas a multidão que seguiu o cortejo não arredou o pé nem deixou passar nada do Calçadão até a Praça Augusto Severo.

Rogério Torquato,
Fotos: Rogério Torquato
O "The Baixo" atravessou o Centro Histórico até chegar à Ribeira.
O que começou como um desabafo nas redes sociais no comecinho de novembro, 45 dias depois, ganhou as ruas. O final da tarde do sábado (18) no Centro Histórico foi "dominado" pelo espetáculo itinerante "The Baixo de Natal".

A concentração foi pontualmente às 17h no Calçadão da João Pessoa. Logo uma pequena multidão, "puxada" pela Banda de Pau e Lata, mais um palhaço, um guarda diferente e um boneco gigante, tomou o rumo da Praça André de Albuquerque, iniciando o cortejo. Como acontece em todo primeiro ano de qualquer evento, não foi um público propriamente grande - mas sim, havia um bom público, que, ávido, não arredou o pé. Uma vitória e tanto para um evento que começou do nada e acabou gerando não apenas um espetáculo mas um circuito completo.

Ali, na Praça André de Albuquerque, se desenrolou o primeiro ato do espetáculo "The Baixo de Natal"



Logo, os integrantes do "The Baixo" - artistas no papel de artistas, metaespetáculo - deram o mote que, dadas as circunstâncias, estavam "indo embora de Natal", e começou o cortejo pelas ruas do Centro Histórico.

A primeira parada foi na mal iluminada Praça 7 de Setembro (o que pega mal para um local recentemente tombado como patrimônio nacional; pior, não é o único logradouro a ter este problema), onde houve uma performance do grupo Gira Dança.

Em seguida, quase na esquina da Ulisses Caldas com a Junqueira Aires, um integrante da Associação de Surdos de Natal apresentou "Noite Feliz" na Linguagem Brasileira de Sinais - LIBRAS.

Mais adiante, componentes do Tropa Trupe literalmete subiram pelos panos até alcançarem o alto das árvores.



Alguns metros depois, na varanda do Sesc, um afoxé apresentou duas músicas.

Na Praça das Mães, foi a vez dos palhaços da Tropa Trupe se apresentarem com muito malabarismo.



No meio da descida, já na avenida Câmara Cascudo, o flautista Carlos Zens apareceu em uma das janelas do Solar Bela Vista - pena que só se via o perfil - , e foi tocando da "Serenata do Pescador" à introdução da "Quinta Sinfonia de Beethoven" até alcançar o portão do prédio.



Ao lado, no solar João Galvão, o grupo Gira Dança fez mais uma performance



E na esquina do Solar Bela Vista, apresentação de poesias e quadros.



Na Ribeira, o centro da praça Augusto Severo foi palco de uma apresentação de hip-hop.

A última parada foi na porta do Teatro Alberto Maranhão, com o segundo e último ato do espetáculo - quando os artistas decidiram, a pedidos, manter uma esperança acesa e "fciar em Natal mais um pouquinho", e deixaram no ar a possibilidade de uma edição 2011 do Baixo de Natal.



Mais tarde, seguiu-se o Festival Baixo de Música, na Rua Chile.

Ainda há o que ver

Neste domingo (19) ainda tem evento no Circuito Baixo de Natal - que vem se desenrolando desde a quarta (15). Eis a programação:



16h
Espetáculo "Cleansed", do Projeto ES3
no Departamento de Artes da UFRN (ao lado da Comperve)
(Não recomendado para cardíacos, asmáticos e menores de 18 anos)

17h

Espetáculo "Achado não é roubado", da Tropa Trupe Cia. De Arte
no Circo Tropa Trupe (ao lado do campo de futebol da UFRN)

18h

Espetáculo "Serálice? ou Sobre Corvos e Escrivaninhas ou 'ALICE' ou Se eu não fosse real (não conseguiria chorar) ou Ninguém te mostrará o caminho", de Carol Piñeiro
no Tecesol (rua Governador Valadares, 4853, conjunto Jiqui - próximo à lagoa de captação).

A+ A-