UFRN implanta Projeto Metrópole Digital

Aula inaugural acontecerá nesta segunda (29), na Praça Cívica do Campus. A ideia é capacitar jovens na área de Tecnologia da Informação.

Carla Cruz, com informações da Agecom,
A partir de hoje, Natal será transformada em uma Metrópole Digital. O projeto, da Universidade Federal di Rio Grande do Norte (UFRN), promoverá nesta segunda-feira (29) sua aula inaugural. A Praça Cívica do Campus vai receber os 1.200 alunos da primeira turma do projeto, que tem o objetivo de capacitar jovens da rede pública de educação, com idades entre 14 e 18 anos, disponibilizando mão-de-obra para o mercado nacional e internacional.

A intenção é que a UFRN se transforme em referência de excelência na área, na região e no País. O programa atuará nas áreas de informática industrial, processamento gráfico, microeletrônica, sistemas dedicados/embarcados, arquiteturas e sistemas em chip, robótica, instrumentação inteligente e biomédica, e sistemas úbiquos.

Pretende-se ainda trabalhar na interação entre empresas e a UFRN; transferência de tecnologia e inovação para as empresas regionais; incubação de empresas de alta tecnologia; disponibilização de laboratório de prototipagem para empresas regionais (carentes deste serviço); melhora na qualidade de produtos que possam vir a ser desenvolvidos na região; formação de recursos humanos qualificados em Tecnologia da Informação; e, a médio prazo, implantará um pólo de tecnologia no RN, associado ao aeroporto de cargas em São Gonçalo e à futura ZPE.

O Metrópole vai funcionar em dois edifícios que serão construídos na UFRN. Um deles é o Centro Integrado de Vocação Tecnológica (CIVT), que será o órgão gerente das ações de formação de jovens em programa de computadores (software) e língua estrangeira voltado à informática em nível tecnológico.

O outro prédio é o Núcleo de Pesquisa e Inovação em Tecnologia da Informação (NPITI), onde funcionarão dez laboratórios equipados com computadores e máquinas de última geração para treinamento dos alunos, assim como para consultoria e atendimento à demanda de incubadoras de empresas do ramo.

De acordo com Maria Bernadete Cordeiro de Sousa, pró-reitora de Pesquisa da UFRN, ao todo serão R$ 17 milhões de reais investidos pelo Ministério da Ciência e Tecnologia em obras de infra-estrutura, prospecção, auxílio e treinamento dos alunos selecionados, como também pagamento de funcionários e professores envolvidos no Programa. Mais R$ 4 milhões serão destinados pelo Ministério da Educação para a compra de equipamentos.
A+ A-