História das Copas: Itália x Alemanha, uma partida de respeito em 1970

A partida que definiu quem encararia o Brasil de Pelé, e companhia, e transformou Beckembauer em Kaiser, é tida como o "Jogo do Século" .

Rogério Torquato,
Fotos: Wikicommons e Reprodução
Pense em um jogo da Copa do Mundo - excepcionalmente, um que não seja do Brasil... O repórter disse UM JOGO! Uma senhora partida, daquelas de deixar os cabelos em pé do primeiro ao último instante. Pois é, um jogo que não teve o Brasil é considerado por muitos, particularmente italianos e alemães, como "O Jogo do Século": Itália x Alemanha, uma das semifinais da Copa de 1970, no México, onde um certo Beckembauer deixou de ser um simples jogador para entrar para a história.. Não dá para resistir, hora de fazer a pergunta maldosa - será que escolheram este jogo porque toda partida com o Brasil é "hors-concurs"? Senão vejamos...


Era o ano da graça de 1970. Em termos de futebol internacional, ano abençoado, pois os times que foram à Copa do México estavam afiados - e o resultado foi futebol beirando a arte, de encher a vista, o futebol com F maiúsculo, produto hoje em extinção... em linhas gerais, os times haviam deixado mais de lado a força física característica das Copas de 1962 e 1966; e nas semifinais, enquanto o Brasil vencia o Uruguai por 3 a 1 em Guadalajara, Itália e Alemanha Ocidental faziam uma batalha no estádio Azteca, duelo que encerraria ao pôr do sol em plena Cidade do México.

Ay ay ay, caramba!


As duas equipes foram líderes em seus grupos na primeira fase. nas quartas-de-final, no dia 14 de junho daquele ano, a Itália bateu o anfitrião México por 4 a 1, enquanto a Alemanha venceu a Inglaterra por 3 a 2. E agora, naquela tarde de 17 de junho, entrariam dois times em campo e só sairia um.

O árbitro peruano Arturo Yamazaki apita - COMEÇOU! Mais de 100 mil pessoas se apinhavam no estádio Azteca só para ver como é que aquele jogo iria acabar.

Quem abriu o marcador foi a Itália, com Boninsegna aos 8 minutos após fazer tabela com Riva - a bola seguiu de pé em pé, o pé de um, o pé de outro, até chegar ao seu destino, enquano o adversário tinha a impressão de estar em uma "roda-de-bobo"... e o placar foi ficando nisso aí - com a diferença que cada time queria marcar, a Alemanha buscando empatar e a Itália querendo mais.

Nasce o Kaiser


Mas, nada do placar sair do 1 a zero para a "Esquadra Azurra". Poucos minutos antes de acabar o segundo tempo, Beckenbauer - ele mesmo,  Franz Beckembauer - "cavou" uma falta e se deu mal, com uma séria contusão no ombro (aqui as fontes divergem: alguns - inclusive a Fifa - apontam deslocamento de ombro, outros fratura de clavícula)...

Agora encrencou. O homem não podia ser susbtituído, pois a Alemanha já havia "queimado" suas duas substituições - em 1970 já se podia fazer troca de jogadores no decorrer da partida, e à época só podiam ser feitas duas substituições e não três como hoje... e agora? A saída foi "amarrar" o braço de Beckembauer ao seu corpo, com uma tipoia improvisada. E assim se se seguiu até o fim do jogo, que iria mais longe do que previsto... A história do jogador mudaria (e mudou) para sempre - não mais seria conhecido simplesmente Beckembauer, nascia ali a lenda do "Kaiser" Franz Beckembauer.

Decidido na prorrogação

De repente, e não mais que isto, eis que Schnellinger empatou a partida. Era a "última volta do ponteiro"! 45 minutos do segundo tempo!! Final, 1 a 1. O empate forçou a prorrogação - e Beckembauer com o braço na tipoia, em campo, comandando a Alemanha...

Aos 4 minutos, Gerd Muller - outra referência quando o assunto é futebol - desempatou para os alemães. Por pouco tempo: aos 8 minutos, Burgnich empatou para os italianos. 2 a 2. O placar voltaria a se mexer aos 14 minutos com Riva voltando a colocar a Itália na frente. 3 a 2.

Virada de campo, o cronômetro segue. Aos 20 minutos, Muller marcou mais um gol para a Alemanha - 3 a 3. Os mais de 100 mil espectadores no Azteca prendiam a respiração. Danou-se! Nem deu tempo para os alemães comemorarem (e quase não deu tempo para a eqipe da Televisa, responsável pela transmissão das imagens - pela primeira vez em cores - para o mundo todo - de tirar o replay do ar e colocar o lance ao vivo!): Rivera se livrou de um marcador e desempatou para os italianos de voleio aos 21 minutos. A Alemanha ainda tentou se recuperar do prejuízo, sem sucesso. Final, Itália 3 a 2. A partida, pelo seu desenrolar e pelos seus detalhes, ficou conhecida na itália e na Alemanha como "O Jogo do Século" - de quebra, foi erguido um monumento no estádio Azteca para lembrar aquela tarde de 17 de junho de 1970.

O resto é conhecido: a Azurra virou alpiste para a "Seleção Canarinho" na grande final, a Alemanha ainda conqusitou o terceiro lugar (ao vence ro Uruguai, 1 a zero) e, pelo ato quase heroico de jogar contra o adversário, enfrentar as dores do ombro e ao mesmo tempo comandar o time na semifinal, Beckembauer ganhou a admiração intenacional e o apelido de "Kaiser", entrando de vez para a história das Copas do Mundo. Mas estas são outras histórias, que a gente conta depois...

A+ A-