Atividade econômica do Brasil encolhe 0,38% em agosto, aponta BC

Desempenho fraco da indústria, varejo e serviços direcionou IBC-Br, índice que serve como 'prévia' do PIB.

Da redação, Estadão Conteúdo,

Os efeitos da supersafra começam a perder força e, em outubro, uma redução mais modesta nos preços dos alimentos não conseguiu impedir a aceleração na inflação ao consumidor no Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10), informou nesta quarta-feira, 18, a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10) teve elevação de 0,18% em outubro, depois de ter ficado estável (0,00%) em setembro. Cinco das oito classes de despesa tiveram taxas de variação maiores, com destaque para o grupo Alimentação, que passou de uma queda de 0,91% em setembro para uma redução de 0,08% em outubro. Houve pressão de itens como hortaliças e legumes, que saiu de um recuo de 10,52% para uma alta de 0,19% no período.

Os demais acréscimos ocorreram nos grupos Vestuário (de 0,12% para 0,60%), Despesas Diversas (de 0,02% para 0,59%), Habitação (de -0,06% para -0,01%) e Comunicação (de -0,06% para 0,24%), sob influência de itens como roupas (de -0,13% para 0,87%), cigarros (de 0,00% para 1,24%), gás de botijão (de -0,42% para 3,54%) e tarifa de telefone móvel (de -0,11% para 0,39%), respectivamente.

Na direção oposta, subiram menos os gastos com transportes (de 0,84% para 0,48%), educação, leitura e recreação (de 0,82% para 0,46%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,28% para 0,21%), com menor impacto dos itens gasolina (de 4,32% para 2,00%), passagem aérea (de 25,10% para 8,10%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (de -0,41% para -0,72%), respectivamente.

Tags: Banco Central Economia
A+ A-