Fruticultores pedem a Robinson mudanças no enquadramento de insumos agrícolas

Representantes do setor participaram de uma audiência com o governador na manhã desta quinta-feira.

Da redação,
Cedida/COEX

O Comitê Executivo de Fruticultura (COEX) e vários produtores da fruticultura do Rio Grande do Norte conseguiram em reunião realizada na manhã de hoje (12), com o governador Robinson Faria, o comprometimento do Governo do Estado em atender a reivindicação de enquadramento de dois itens indispensáveis a produção fruticultura irrigada, a manta de TNT (tecido não tecido) e Mulching (cobertura do solo por película plástica) como insumo agrícola. Os produtores presentes na reunião representam mais de 20 mil empregos e cerca de 100% das exportações de melão e melancia.

De acordo com o presidente do COEX, Luiz Roberto Barcelos, os dois produtos já são reconhecidos pela Receita Federal e por vários estados nordestinos também produtores frutícolas como insumos agrícolas, o que possibilita a desoneração dos impostos pagos na importação dos componentes. “Os gastos dos produtores com esses componentes possuem grande impacto na produção. O reconhecimento desses itens como insumos além de incentivar as exportações, reduz os custos de produção, pois a utilização dos mesmos diminui a evaporação da água do solo, o que leva a uma redução de 20% no uso do volume de água de irrigação, diminuindo os custos com água e energia elétrica. A proliferação de ervas daninhas também é reduzida com o uso do s materiais o que torna desnecessário a aplicação de herbicidas e defensivos agrícolas. Há também um aumento na produtividade e na excelência de qualidade para atender as exigências dos países compradores”, explica.

Estiveram presentes na reunião com o governador Robinson Faria, a secretária-chefe do Gabinete Civil do RN, Tatiana Mendes Cunha; o secretário de Estado da Tributação, André Horta Melo; o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca, Guilherme Moraes Saldanha; o presidente do COEX e diretor da Agrícola Famosa, Luiz Roberto Barcelos; o advogado do COEX, Francisco de Paula Segundo; o Assessor Institucional da Agrícola Famosa e do COEX, Frederick Escóssia; o diretor da Mata Fresca, Paulo Cabral; o presidente da Coopyfrutas e diretor da Norfruit, José Heliton Almeida, o Consultor Tributário do COEX, Erisberto Conrado Jales; o diretor da Brazil Melon, Francisco Vieira da Costa; o diretor da Dinamarca, Ajax Dantas; os diretores da Jiem Agrícola, Thiago Irikita e André Adolfo; o diretor da CY Matsumoto, Carlos Matsumoto e os representantes da Ag rícola Salutares, Francisco das Chagas e Gustavo Gondim.

Tags: Economia Fruticultura
A+ A-