Robótica e interdisciplinaridade atuam como aliadas para enriquecer aprendizado

A Roboeduc tem apostado na interdisciplinaridade como prática para facilitar a aprendizagem de crianças e adolescentes.

Da redação,
Arquivo
A primeira escola de programação e robótica do Brasil tem apostado na interdisciplinaridade para facilitar a aprendizagem de crianças e adolescentes.

“Alunos, na aula de robótica de hoje, vamos aprender sobre a Mesopotâmia, local onde surgiram as primeiras civilizações do mundo, suas culturas e localização geográfica”, orienta o mediador Carlos Mateus Viana. Sob o olhar atônito dos estudantes, Viana complementa: “o desafio de hoje é criar robôs veleiros, para desbravarmos, na cartolina azul, os rios que dividem a região mesopotâmica, são eles: Tigre e Eufrates”.

Em uma mesma aula, o professor convida a turma a se aprofundar em várias disciplinas. Este é o conceito de uma aula interdisciplinar, que tem como objetivo oferecer múltiplas formas de pensar e estimular os alunos a desenvolverem novas habilidades e conhecimentos. Neste contexto, os saberes da lógica, matemática, línguas estrangeiras e áreas afins ganham cada vez mais espaço entre os ensinamentos da robótica.

Sediada em Natal, a Roboeduc – primeira escola de programação e robótica do Brasil – tem apostado na interdisciplinaridade como prática pedagógica, para facilitar a aprendizagem de crianças e adolescentes. A fórmula inovadora tem apresentado resultados positivos.  “A ideia é mixar os conteúdos à realidade do aluno e fazer do ato de aprender algo simples, estimulante, desafiador e prazeroso. Com isso, fica fácil elaborar hipóteses e tirar conclusões dos assuntos relacionados”, explica o coordenador pedagógico, Eronilson Silva.

ROBOTICA-H2

Lúdicas, as aulas convidam os alunos a explorarem novas ideias e descobrirem caminhos e conceitos nunca vistos antes em sala de aula, auxiliando nas conexões dos conteúdos e resoluções de problemas. Por isso, sempre é criada uma situação para que os alunos, juntos, possam resolver as questões ligadas à robótica, além de abordarem diversos temas das disciplinas estudadas.

Maria Eduarda de Oliveira, 13 anos, cursa o 8º ano do Ensino Fundamental em uma escola particular da capital e vê opções a mais para revisar temas já estudados nas aulas oferecidas pela Roboeduc. “É legal porque além de aprender a criar e programar robôs, as aulas temáticas me ajudam a relembrar conteúdos que já vi nos livros”, pontua.

Para a pedagoga Akynara Burlamaqui, além do raciocínio lógico, a robótica estimula outras áreas do conhecimento humano. “A robótica tem especial destaque para o desenvolvimento dos conhecimentos matemáticos, além de física e mecânica, dentre outras disciplinas, como inglês, biologia, geografia e história. Ela também auxilia nas capacidades de ordem cognitiva, afetiva e de relação interpessoal, favorecendo ainda criatividade, intuição e capacidade de análise crítica. Com auxilio da interdisciplinaridade, conseguimos deixar o aluno mais bem preparado para o futuro”, finaliza.

Tags: Roboeduc
A+ A-