OAB quer evitar que envolvidos na Operação Impacto assumam Presidência da Câmara.

A reunião para discutir o assunto está marcada para a proxima segunda-feira (20). Advogados querem sensibilizar novos vereadores.

Maiara Cruz,
A Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte tentará convencer os novos vereadores a não votarem nos candidatos a presidência Câmara Municipal, que estejam envolvidos na Operação Impacto. Para isso será realizada uma reunião na próxima segunda-feira (20), onde serão definidas estratégias de "conscientização".

Dos sete vereadores denunciados na operação que retornarão à Câmara no próximo ano, quatro pretendem se candidatar à presidência da CMN. O que mostra que os parlamentares não se intimidaram com a resposta da população, que nas eleições 2008 deixou metade dos denunciados fora da Casa.
 
Os vereadores que pleiteam o cargo e estão entre os envolvidos nas investigações são: Edvan Martins (PV), Adão Eridan (PR), Dickson Nasser (PSB) e Aquino Neto (PV).

Para evitar que os acusados ocupem – mais uma vez – a Mesa Diretora e o Conselho de Ética, a OAB, juntamente com a MARCCO (Movimento Articulado de Combate à Corrupção) pretendem promover uma mobilização social, chamando a atenção da sociedade para o problema.

“É necessário que a Câmara resgate a sua imagem. Mas isso só vai ocorrer se os acusados na operação não estiverem ocupando os principais cargos da Casa. Já que nós não podemos recorrer a uma ação judicial para impedir a candidatura deles, iremos apelar para a população”, disse Ricardo Wagner, advogado da OAB.

Segundo ele, a sociedade tem o direito de interferir em assuntos parlamentares e cabe a ela fiscalizar o trabalho que vem sendo realizado pelos vereadores.

Após a reunião, marcada para às 17h na sede da OAB, as estratégias definidas serão apresentadas à população e a imprensa.

“Pedimos que a sociedade e a mídia compareçam. Só assim evitaremos que os acusados na operação cheguem à presidência da Câmara Municipal do Natal”, concluiu Ricardo.
A+ A-