Morte em Pium: perito do Itep colhe amostra das mãos de jovem morto pela polícia

Perito esteve no velório de Diogo Coelho para colher amostra das mãos da vítima. Objetivo é esclarecer se ele efetuou algum disparo de arma de fogo.

Thyago Macedo,
Um perito criminal do Instituto Técninco-Científico de Polícia (Itep) esteve no velório do estudante universitário Diogo Coelho de Oliveira, de 21 anos, para colher amostra das mãos do jovem. Ele foi morto no fim da noite desta segunda-feira (20), após ser baleado pela polícia.

O comando do 3º Batalhão da Polícia Militar alega que o estudante, juntamente com outro amigo, teria furado uma barreira e atirado contra os policiais. Com isso, o delegado de Nísia Floresta solicitou que o Itep recolhesse amostra das mãos tanto de Diogo, quanto de Luciano Cruz, que também foi atingido e está hospitalizado.

Como o trabalho não foi feito durante a necropsia, um perito teve que ir até o velório do jovem. Adamo Luis Costa explicou que colheu material das mãos do estudante para análise residuográfica. “Nós colhemos amostra das duas mãos, pois só assim podemos verificar se há vestígios de pólvora. Caso não haja, é porque ele não efetuou nenhum disparo”, disse o perito.

Além de Diogo, Luciano também deverá passar pelo teste. Os familiares dos dois rapazes alegam que após matar o estudante universitário, um policial teria colocado a arma na mão dele.

“Alguns mototaxistas que passavam pelo local viram o policial fazendo isso. Agora, nós vamos colocar o caso para frente e meu irmão também vai fazer esse exame para provar que ele não atirou em ninguém nem pegou em arma”, ressaltou Alexandre Cruz, irmão de Luciano.
A+ A-