Salatiel critica movimento que quer intervir no processo de sucessão da Câmara Municipal

Vereador disse que a entidade precisa de “equilíbrio” e não deve fazer pré-julgamentos.

Luana Ferreira,
Elpídio Júnior
Salatiel de Souza pediu "equilíbrio" da OAB na eleição para presidência da Câmara Municipal.
O vereador Salatiel de Souza (PSB) ocupou nesta quarta-feira (22) a tribuna da Câmara Municipal para criticar a atitude do vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em tentar interferir na eleição do presidente da Casa, que ocorre em 1° de janeiro.

A OAB, por meio do Marcco – Movimento Articulado de Combate à Corrupção – está orientando os vereadores que não votem naqueles que foram denunciados pelo Ministério Público na Operação Impacto.

Operação Impacto é o nome que se deu ao suposto recebimento de propina durante votação de vetos ao Plano Diretor de Natal ano passado. Dos 21 vereadores da Câmara, 13 foram denunciados. Destes, pelo menos quatro pretendem ocupar o maior posto da Casa a partir de 2009: Dickson Nasser (PSB), Adão Eridan (PR), Edivan Martins (PV) e Aquino Neto (PV).

Salatiel de Souza, que também foi denunciado e não conseguiu se reeleger, disse que a OAB estava fazendo “pré-julgamento”, já que eles ainda estão sendo investigados, e pediu uma postura mais “equilibrada” do órgão.

O presidente da OAB, Paulo Eduardo Pinheiro Teixeira, disse que não se pode negar que a denúncia afeta a população e reiterou que os vereadores devem ser afastados da presidência da Casa até a conclusão do processo. “Quando se precisou da OAB durante o processo de impeachment do ex-presidente Fernando Collor, ninguém reclamou”, lembrou.

Ele também comentou a declaração de Salatiel de que estava afastado do caso. “A OAB age por delegações, e para o MARCCO foi designado Ricardo Wagner”.

O vereador foi acompanhado em seu raciocínio por Júlio Protásio (PSB) e Renato Dantas (PMDB), que disse que o Movimento deveria ser chamado "MARCCA", de Combate a Corrupção contra a Câmara.
A+ A-