Lula destaca atuação de Carlos Araújo durante a ditadura militar

O ex-marido de Dilma tinha 79 anos e sofria de cirrose medicamentosa. A causa da morte, porém, não foi divulgada.

Da redação, Estadão Conteúdo,
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) divulgou nota sobre a morte do ex-deputado e ex-marido da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) Carlos Araújo, em Porto Alegre, na madrugada deste sábado (12).

"Carlos Araújo manteve durante toda a sua vida a militância e coerência política, a honestidade e o compromisso com a defesa dos trabalhadores e do Brasil. A democracia brasileira deve muito ao empenho e coragem de Carlos Araújo durante a ditadura militar. Na volta da democracia ajudou a fundar o PDT, representou o povo gaúcho e atuou como advogado na defesa dos trabalhadores. Nesse momento de perda, minha solidariedade à presidenta Dilma Rousseff, à sua filha, Ana Paula, aos seus netos Guilherme e Gabriel, e todos os familiares e amigos de Carlos Araújo", diz a nota.

Ontem, Lula e Dilma estiveram juntos na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de janeiro. Lá foi lançado um livro de juristas sobre o processo em que ele foi condenado pelo juiz Sérgio Moro por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, mês passado.

Mais cedo, neste sábado, Lula fez discurso numa plenária da Central Única dos Trabalhadores (CUT) na quadra da escola de samba Império Serrano, na zona norte do Rio. Nele, para uma plateia de sindicalistas e militantes, reafirmou sua inocência e disse que vai ganhar as eleições presidenciais de 2018.

O ex-marido de Dilma tinha 79 anos e sofria de cirrose medicamentosa. A causa da morte, porém, não foi divulgada.

O corpo do ex-deputado pelo PDT do Rio Grande do Sul começou a ser velado às 15h na Assembleia Legislativa do Estado. O velório, que será aberto ao público, se estenderá até as 19h. Depois, o corpo será cremado em cerimônia restrita aos familiares.


Tags: lula
A+ A-