Estrangeiros no RN: oito foram assassinados e ninguém preso

Casos como latrocínios e execuções foram registrados nos últimos meses e Polícia Civil ainda não solucionou nenhum deles.

Thyago Macedo,
Foto: Arquivo Nominuto
Gert Björn foi assassinado há mais de um ano e até hoje ninguém foi preso.
As mortes de estrangeiros no Rio Grande do Norte nos últimos meses se transformaram em mistérios sem solução. Pelo menos oito pessoas com nacionalidades distintas foram assassinadas e os casos permanecem em investigação. O mais recente deles, é o da portuguesa Rosa Maria Silveira Mendonça, de 54 anos. Ela foi morta por estrangulamento em Tibau do Sul, no dia 23 de agosto.

O delegado responsável pelo caso, José Carlos, disse ao portal Nominuto.com que as investigações estão adiantadas, mas até o momento, ninguém foi preso. Ele não quis dar detalhes do caso, afirmando apenas que várias pessoas foram ouvidas desde o dia do crime.

Também recente, mais precisamente no dia 3 de agosto, o espanhol André Jaime Romero Conde foi vítima de um latrocínio, na entrada de um Flat, em Ponta Negra, Zona Sul de Natal. Passados quase dois meses, a Polícia Civil ainda trabalha para identificar os criminosos. A reportagem tentou contato com a delegada Alzira Veiga, titular da Delegacia do Turista, mas não obteve sucesso.

Outro caso emblemático e que já ultrapassou um ano sem solução é a morte do sueco Gert Björn Skytte Sandgren, de 59 anos. Ele foi assassinado no dia 1º de março de 2009 com um tiro no peito, dentro de uma pousada na praia de Pipa. Este caso começou a ser investigado pela Delegacia Especializada em Furtos e Roubos.

Na primeira fase de investigação a polícia havia descoberto que o criminoso roubou um computador notebook, após atirar no sueco. A reportagem do portal Nominuto.com conversou com a delegada Sheila Freitas e ela informou que está de férias e inquérito da morte de Gert Björn estava para ser encaminhado para Delegacia Especializada em Homicídios.

Foto: Arquivo Nominuto
Alemão Winfried Tiel vítima de latrocínio.
“Quando um crime passa muito tempo com autoria desconhecida, ele vai para a Delegacia de Homicídios”, comentou a delegada.

No dia 1º de janeiro deste ano, o alemão Winfried Tiel, de 58 anos, também foi assassinado. Assim como o sueco Gert Björn, a morte dele levantou suspeita de latrocínio. Neste caso, mais de 30 pessoas foram ouvidas e os indícios levaram a linha de investigação de roubo seguido de morte.

As investigações indicam também que o alemão deve ter sido assassinado por mais de duas pessoas. Isso porque ele era um homem alto e forte. De acordo com a polícia, caso ele tivesse sido abordado só por uma pessoal, teria conseguido se defender. Winfried Tiel foi morto com golpes de facão.

Chineses
Dos casos envolvendo estrangeiros, o que ganhou mais repercussão nos últimos meses foi a chacina contra quatro chineses. Dois casais foram executados e encontrados em uma estrada de Macaíba.
Foto: Thyago Macedo

Jin Wanghai, de 39 anos, Zhou Miaozhen, de 36 anos, Lixiong Lin, de 36 anos, e Zhang Haiyan, de 38 anos, foram assassinados com vários tiros, após serem convidados para uma transação comercial. O caso aconteceu em fevereiro deste ano e até o momento, não há registro de prisões por participação na chacina.

A morte dos chineses é investigada desde o início pela Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor).
A+ A-