Natal tem índice de crianças desaparecidas considerado pequeno

No mês de janeiro deste ano, dos treze registros de pessoas desaparecidas, apenas três eram menores de 16 anos e todos já retornaram a suas casas.

Thyago Macedo,
Thyago Macedo
Delegado Texeira Junior, titular da Decap.
Comparada com cidades da região Centro-Sul do Brasil e até mesmo de algumas capitais do Nordeste, Natal tem um índice de crianças e adolescentes desaparecidos considerado bastante pequeno. A avaliação é do titular da Delegacia Especializada em Capturas, delegado Texeira Júnior.

É na Decap onde são registrados todos os desaparecimentos de pessoas na Grande Natal. Para se ter uma idéia das poucas ocorrências relacionadas aos sumiços de crianças, no mês de janeiro deste ano, dos 13 registros de pessoas desaparecidas, apenas três eram menores de 16 anos.

Desses, todos já retornaram às suas casas. A reportagem do Nominuto.com entrou em contato com as famílias e todas responderam praticamente a mesma coisa: a criança havia fugido de casa, mas, depois de alguns dias, retornou.

Para o delegado Texeira Júnior, esse é o retrato das ocorrências de desaparecimentos. “Na maioria dos casos, são adolescentes, principalmente meninas que fogem com os namorados e acham que não precisam avisar a família. No entanto, depois de alguns dias, elas retornam como se nada tivesse acontecido”, declarou.

Um exemplo disso é o sumiço da adolescente J.D.S.C, de apenas 15 anos. O avô dela, que não quis se identificar para preservar a família, conversou com a reportagem e revelou: “minha neta saiu de casa com o namorado e passou três dias desaparecida. Quando retornou, ela disse que não achava necessário avisar a família, e que, se precisasse, passaria 15 dias fora de casa”.

Outro fator constado pelo Nominuto.com, ao entrevistar alguns parentes das crianças e adolescentes, é que grande parte dos desaparecimentos é relacionada a conflitos dentro do ambiente familiar. Foi o caso de F.H.J.S.M, de 13 anos. De acordo com o pai dele, Fábio Medeiros, o filho fugiu de casa após uma discussão.

“Meu filho desapareceu no dia 17 de janeiro deste ano, depois que nós tivemos uma pequena briga. Porém, cerca de três dias depois, ele retornou”, relatou o pai. Para o delegado, além do fator família, muitas vezes as crianças se deixam influenciar por amizades.

“Nós temos casos de meninos que vão para casa de amigos, para brincar ou jogar videogame, e esquecem de se comunicar com os familiares, fazendo com que estes registrem desaparecimento na Delegacia”, ressaltou Texeira Júnior.

Números

De acordo com as estatísticas da Delegacia Especializada em Capturas, no ano de 2007, foram registrados 103 desaparecimentos de pessoas de todas as idades. Desses, 24 eram menores de 16 anos. Segundo o titular da Decap, pelo menos 90% dessas crianças e adolescentes já retornaram a suas casas.

“No entanto, quando um menor desses aparece, a família simplesmente esquece de ir até a Delegacia para informar a Polícia. Por isso, eu afirmo que o número de crianças desaparecidas é bem pequeno”, frisou.

Além disso, o delegado disse ainda que se desses registros ainda existe algum menor desaparecido, os parentes também não procuram a Polícia para acompanhar o caso, o que reforça a idéia de que eles retornaram ao lar. Texeira Júnior destacou que desde que assumiu a Decap no ano passado, não há nenhum registro de rapto de criança.

“Para se ter uma idéia, o caso de crianças raptadas que nós temos conhecimento são os meninos do Planalto, cujo primeiro desaparecimento completa dez anos este ano, e nunca tivemos nenhum caso esclarecido”, lamentou.

Texeira afirmou que os familiares de crianças e adolescentes desaparecidos devem sempre estar em contato com as delegacias. “Em caso de sumiço, os parentes precisam registrar a ocorrência o quanto antes. E, em casos dos menores retornarem, a Polícia também precisa ser informada”, ressaltou.

Segundo o titular da Delegacia Especializada em Capturas, informações podem ser prestadas através do Disk Denúncia da Polícia, 0800 84 2999, ou na própria Decap, no telefone 3232-2533.
A+ A-