Operação da PF combate pornografia infantil no RN e mais 11 estados

Policiais investigavam pessoas envolvidas em pornografia infantil em 12 estados do país.

Lara Paiva, com informações da PF,
Reprodução/Agência PF
A Polícia Federal deflagrou, na manhã de quinta-feira (28), a Operação ‘Dirty-Net’, com projeção nacional e internacional, no intuito de combater crime de pornografia infantil na internet. A ação visa dar cumprimento de 50 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Ceará, Pernambuco, Maranhão, Rio Grande do Norte e no Distrito Federal.

As ordens judiciais estão sendo cumpridas nas cidades de Porto Alegre, Esteio e Santa Maria (RS), Belo Horizonte, Montes Claros, Uberaba, Uberlândia, Varginha e Divinópolis (MG), Curitiba, Foz do Iguaçu, Maringá e Guaíra (PR); Fortaleza (CE); Natal (RN); Rio de Janeiro, Niterói e Nova Iguaçu (RJ); São Paulo, Santos, São José dos Campos e Piracicaba (SP); Recife (PE); Salvador (BA); São Luís do Maranhão (MA); Vitória (ES) e Brasília (DF);

De acordo com o Diário de Pernambuco, um dos presos é o radialista conhecido como Mução, que foi preso na cidade de Fortaleza, Ceará. Os brasileiros compartilhavam material de pornografia infantil ainda com outros usuários da internet em mais 34 países.

No Rio Grande do Norte, dois mandados de busca e apreensão foram realizados no bairro de Petrópolis. Foram apreendidos cinco pen drivers, dois HDs, 54 mídias, entre CDs e DVs em imóvel que pertence a Mução.

Há seis meses a Policia Federal monitora redes privadas de compartilhamento de arquivos na internet, onde foram detectadas intensas trocas de material de cunho sexual envolvendo crianças e adolescentes. Os suspeitos, integrantes de um mesmo grupo, valendo-se da suposta condição de anonimato na rede, trocavam milhares de arquivos contendo cenas degradantes de adolescentes, crianças e até bebês em contexto de abuso sexual.

Além da troca de arquivos foram identificados ainda relatos de outros crimes praticados pelos envolvidos contra crianças, inclusive com menção a estupro cometido contra os próprios filhos, sequestros, assassinatos e atos de canibalismo.

 
A+ A-