Para coronel, ameaça de prisão não passou de orientações

Comandante do 6° BPM afirma que comando tem a obrigação de orientar subordinados para que ações não se caracterizem como crimes.

Tiago Medeiros,
Para o major Costa, comandante do 6° BPM, a ameaça de prisão aos policiais militares lotados no batalhão, que se negaram a patrulhar nas viaturas irregulares na noite desse sábado (29) não passou de uma orientação aos subordinados.

Segundo o oficial, o comando do batalhão tem a obrigação de orientar os policiais, para que um movimento legal não se torne ilegal e as ações dos policiais não se caracterizem como crimes. “O policial militar não pode se negar a trabalhar. Aqui no batalhão, parte do efetivo está patrulhando nas viaturas e aqueles que apontaram deficiências nas viaturas estão patrulhando a pé”, disse.

O presidente da Associação de Praças e Bombeiros Militares do Seridó se comprometeu, em reunião na manhã desta segunda-feira (31), em garantir que os policiais não paralisarão as atividades, mas enfatizou que só sairão do quartel nas viaturas que estiverem com a documentação regularizadas, manutenidas e que os motoristas tenham habilitação para tal.

Nesse domingo (30), pelo menos, 90% das guarnições do policiamento de trânsito de Caicó também aderiram ao movimento “Segurança segura” e não assumiram as viaturas. Todos aguardam motoristas com o Curso de Condutor de Veículos de Emergência.
A+ A-