Betinho Rosado teme redução de deputados federais mossoroenses

Referindo-se a Gustavo Rosado (PV), deputado diz que muitas candidaturas fortes podem levar à diminuição da representação de Mossoró na Câmara.

Yuri Borges,
O deputado federal Betinho Rosado (DEM) acredita que o lançamento de mais uma candidatura mossoroense forte à Câmara dos Deputados pode atrapalhar e até mesmo reduzir a representação da cidade no Congresso.

A declaração do deputado foi dada hoje (30) de manhã, em entrevista ao Jornal 96, da 96 FM. Betinho Rosado fazia referência à possibilidade da candidatura de Gustavo Rosado (PV), através da aliança de partidos que apóia a prefeita Fafá Rosado.

“A prefeita tem todo o direito de lançar candidatos. Mas Mossoró hoje tem 2 deputados federais. Se nós tivéssemos dois, três, quatro candidatos fortes, a votação de Mossoró seria diminuída. Isso faria com que se diminua a votação total e, com isso, se pode nadar e morrer no seco”, argumenta Betinho Rosado.

Ele também assumiu que será candidato à reeleição em 2010 e negou que se tenha tentado convencê-lo a sair candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa. “Nunca conversei sobre isso com Fafá, nem ninguém ligado a ela”, garantiu.

Sucessão
Comentando a respeito da sucessão ao governo em 2010, Betinho Rosado disse achar pouco provável que Robinson Faria (PMN) seja candidato a governador de forma independente. “O presidente da Assembleia é uma peça importante, mas dificilmente sairá candidato de forma isolada”, afirmou.

A respeito do contexto nacional, o deputado, que chegou a fazer uma tentativa de deixar os Democratas (DEM), garantiu que o seu candidato a presidente será aquele que o partido indicar.

“Eu não faço exatamente parte dessa base do presidente Lula, mas acredito que a oposição que, em determinado momento, foi feita pelo DEM e PSDB não contribuía para o progresso do país”, disse Betinho.

Pré-sal
Apesar disso, ele acredita que atualmente exista uma mudança dessa postura por parte de ambos os partidos e critica programas e posicionamentos do Governo Federal, como é o caso do anúncio do pré-sal.

“O pré-sal é uma descoberta real, mas a velocidade que o governo está impondo ao processo demonstra que quer colher frutos de uma atividade que só vai estar produzindo efeitos importantes daqui a 10 anos”, critica.

Ainda a respeito do pré-sal, o deputado lembrou que conseguiu aprovar uma emenda a um dos projetos de lei que, posteriormente, vão regular o assunto.

“Quando for aprovada a lei com essa emenda, a Petrobras só vai poder explorar os campos de alta produção. Os de baixa, serão devolvidos a ANP. A Petrobras será indenizada pelos investimentos. Esses campos serão explorados por pequenas empresas e isso vai contribuir para criar um embrião da indústria nacional do petróleo, coisa que não temos ainda”, afirma ele.
A+ A-