Centrão recua e vai votar MP 870

Diante da gritaria iniciada por partidos como PSL e Podemos e que depois desaguou na convocação do ato do dia 26, os partidos desistiram da alteração.

Da redação, Estadão Conteúdo,

O Centrão - bloco informal que reúne cerca de 200 deputados em torno do PP, DEM, PR, PRB, MDB e SD - recuou e vai votar a medida provisória 870, da reestruturação dos ministérios, sem a recriação das pastas de Cidades e Integração.

A volta dos dois ministérios havia sido acordada com a Casa Civil como forma de facilitar a aprovação da MP e trazer o grupo para o governo, mas, diante da gritaria iniciada por partidos como PSL e Podemos e que depois desaguou na convocação do ato do dia 26, os partidos desistiram da alteração.

Agora, a ideia é retirar do substitutivo aprovado na Comissão Mista a criação das pastas das Cidades e da Integração, voltando à configuração inicial que as reunia no Ministério do Desenvolvimento Regional. Com isso, afasta-se o risco de a MP não ser votada e o governo ter que retornar à configuração administrativa da gestão de Michel Temer.

Também afasta-se a acusação de que o Centrão e Rodrigo Maia querem forçar a criação das novas pastas para indicarem ministros e demais cargos de segundo escalão. Esse retorno à configuração antiga é um dos principais argumento usados pelos bolsonaristas na convocação das manifestações.

Diante da leitura de que estariam capitulando a um movimento que prega, entre outras pautas, o combate ao parlamento, deputados dizem que, na verdade, estão demonstrando independência em relação ao governo e deixando claro que votarão medidas importantes a despeito de acordo com Bolsonaro. 

A decisão de votar da MP 870 suspende a obstrução às demais MPs, o que pode viabilizar a votação, também nesta semana da MP 863, que abriu a possibilidade de funcionamento no Brasil empresas aéreas com 100% de capital estrangeiro. A medida provisória vence na quarta-feira (22).

Tags: Centrão MP 870
A+ A-