Declarações de Hugo causam turbulência na "Vitória do Povo"

Henrique teria perguntado para Wilma se ela tem ligação com declaração negativa de petista sobre seu primo, Garibaldi.

Túlio Duarte,
Foto: Elpídio Júnior
Após protagonizar uma tentativa fracassada de desfazer a aliança PMDB-PR-PV, para fortalecer sua campanha ao Senado, a ex-governadora Wilma de Faria (PSB) agora é questionada, nos bastidores, sobre uma possível participação nas declarações do candidato do PT ao Senado, Hugo Manso, de que o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB) seria “analfabeto político e oportunista”.

O questionamento teria sido feito pelo líder do PMDB, o deputado federal Henrique Eduardo Alves, durante reunião ocorrida na noite desta quinta-feira (26), com o governador Iberê Ferreira de Souza (PSB) e Wilma.

Garibaldi é líder nas pesquisas de intenção de voto para o Senado Federal e, nacionalmente, apoia a ex-ministra Dilma Rousseff (PT) para a Presidência da República. Só que no estado, informalmente, Garibaldi prega o voto casado com o senador José Agripino Maia (DEM), candidato à reeleição, o que prejudica Wilma na corrida pela vaga ao Senado.

Os dois lideram todas as pesquisas de intenção de voto para o Senado. Fato que estaria incomodando Wilma, que aparece em terceiro lugar nas pesquisas e, então, interessada em mexer no cenário político.

Foto: Elpídio Júnior
No entanto, Wilma nega qualquer orquestração nos bastidores políticos. Ela garante não ter ligações com as declarações de Hugo e que nem teve, sequer, tempo de ver o jornal em que tais declarações foram publicadas.

Agora estão abertas as rodadas de reuniões para conter a turbulência que se formou na coligação ‘Vitória do Povo’ (PT-PSB-PTB-PPS e informalmente o PMDB de Henrique). A tentativa é de acalmar Henrique, que tomou as dores do primo Garibaldi e pode declinar do engajamento na campanha.

Romper com Iberê seria mais difícil, afinal o governador é o candidato do presidente Lula (PT) e da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, de quem Henrique espera o apoio para presidir a Câmara dos Deputados.

Porém, Iberê não é o único no estado da base aliada. Carlos Eduardo também está com Lula e Dilma. Henrique defendeu Carlos Eduardo, inclusive, quando pediu a Iberê que retirasse a representação que visava proibir a coligação “Coragem pra Mudar” de usar a imagem e voz de Lula.
A+ A-