Governadora envia projeto à AL e efetivo da PM será de 12 mil

Proposta do Executivo prevê o redimensionamento dos quadros de graduados da Polícia Militar; mais 1.700 postos serão criados.

Júlio Pinheiro,
Fotos: Vlademir Alexandre
"É uma proposta importante para a melhoria da auto-estima dos policiais"
A governadora Wilma de Faria enviou, na tarde desta quarta-feira (23), um presente de Natal aos policiais militares do estado: o projeto de redimensionamento dos quadros de graduados da Polícia Militar potiguar. Ao todo, o efetivo da corporação passará de 10.300 para 12 mil policiais, e ainda será ampliada a possibilidade de crescimento na carreira.

De acordo com a proposta da governadora, 1.700 novos postos de graduados serão criados e mais 300 vagas de graduados na área de Saúde. Com isso, crescem as possibilidades de ascensão na carreira, tanto entre os praças quanto entre os oficiais. Para os policiais, a medida será importantíssima para a melhoria dos serviços da Polícia Militar.

“Com o projeto, o estado não estará mais dividido apenas entre o policiamento do interior e o da região metropolitana. Haverá quatro grandes áreas de gestão, que serão a região oeste, Seridó-Trairi, Agreste e o Comando Metropolitano. A proposta vai interiorizar os comandos operacionais, já que os quadros de graduação vão crescer”, explicou o comandante do policiamento na capital, Coronel Araújo.

Segundo o comandante, há policiais militares que há mais de 10 anos não têm uma promoção e, com a aprovação da proposta, haverá um fluxo maior na carreira e o resultado será o oferecimento de um serviço de maior qualidade à população.



“É uma proposta importante para a melhoria da auto-estima dos policiais. Eles vão ter a certeza da carreira e quem ganha com isso é a sociedade, pois os policiais motivados irão prestar um melhor atendimento. As unidades da PM, batalhões, as diversas áreas, estarão em comando de pessoas que serão promovidas, o que motivará todos”, explicou.

Sobre quais vagas serão criadas, entre praças e oficiais, Cel. Araújo explicou que dependerá das promoções e, de acordo com a abertura das vagas, o governo promoverá a entrada de novos policiais, seja por um novo concurso ou acomodação dos suplentes.

Mesmo sendo enviado à Assembleia ainda neste ano, e havendo a possibilidade real da autoconvocação, a votação da matéria não está garantida para este ano. A proposta precisa ser inclusa na pauta quando a convocação dos parlamentares for publicada.
A+ A-