Iberê assume governo com promessa de continuar legado de Wilma

Governador afirmou que assumir o governo é um "honroso dever", disse que faria mudanças e admitiu que não terá uma "semeadura fácil" pela frente.

Alisson Almeida,
Fotos: Vlademir Alexandre
O Rio Grande do Norte está sob nova direção. O novo governador Iberê Ferreira de Souza (PSB) foi empossado hoje à tarde pelo presidente da Assembleia Legislativa, Robinson Faria (PMN). Depois da posse, Iberê fez o primeiro discurso como chefe do Executivo do Estado e classificou como um “honroso dever” a tarefa de assumir o governo.

O governador afirmou que vai dar “prosseguimento à administração e ao vigoroso legado de trabalho da governadora Wilma de Faria”. O tema da continuidade, aliás, permeou todo o pronunciamento do peessebista. Ele destacou a parceria com Wilma de Faria, sustentando que, juntos, se dedicaram à missão de construir os “novos tempos” do RN. Novamente, disse que daria “sequência” a esse trabalho.

Iberê se referiu ao problema de saúde que vem enfrentando, desde a descoberta e a retirada do nódulo maligno no pulmão esquerdo, atribuindo a dificuldade às “limitações e adversidades” naturais da condição humana. “Nada temerei”, enfatizou, arrancando aplausos do público que lotou as galerias e o plenário da Assembleia Legislativa.



O governador frisou que, mesmo reconhecendo o legado da ex-governadora, agora é sua missão “dar andamento a toda uma obra de governo”. Iberê admitiu que governar o RN “não será semeadura fácil”, mas garantiu que não lhe faltará obstinação. “Sou inabalável nesta decisão. Hesitações não me assediam. Circunstâncias não me induzem o sentimento de retroceder”.

Iberê disse que caberá ao povo fazer o julgamento do governo iniciado por Wilma de Faria e que terá continuidade sob seu comando. “O povo verá que contra fatos e obras não há argumentos. Falhas serão todas as tentativas em dizer-se o contrário”.

Clique aqui para ver mais fotos da solenidade


O governador ponderou que não faria “promessas ou alarde de tempos fabulosos”, mas anunciou que vai “ampliar a atuação da Segurança”, área que é considerada como o calcanhar de Aquiles da administração Wilma de Faria.



O novo chefe do Executivo do RN fez alusão ainda à sucessão que se aproxima, dizendo que está pronto para o embate. “Que venham os tempos da disputa: eu os encararei como faz o semeador, que confia e planta. Que se aproximem as horas das decisões: eu as viverei como dias de colheita”.

Repercussão
O deputado estadual Getúlio Rego (DEM) disse que Iberê fez um discurso “emocional” e “sentimental”. O parlamentar disse que agora não é momento de “polêmicas” e que é preciso “dar todas as condições para que o governador recupere sua saúde”.

Getúlio observou, porém, que o governador errou ao falar em continuidade. “O povo está querendo mudanças, para que saúde, educação e segurança melhorem. A continuidade parece uma coisa perigosa”, declarou.

O senador Garibaldi Alves Filho (PMDB) disse que Iberê “colocou suas prioridades no discurso”, mas advertiu que o tempo é uma “limitação” para as pretensões do governador. Para Garibaldi, Iberê não vai receber uma herança fácil. “Ele vai receber um Estado com capacidade de investimentos limitada”, avaliou.



A senadora Rosalba Ciarlini (DEM), provável adversária de Iberê nas próximas eleições, comentou que o governador “enumerou suas prioridades” e disse esperar que o peessebista consiga colocar seus projetos em prática. “Estou à disposição para ajudar no que for melhor para o Rio Grande do Norte”, prometeu.

Presenças
A posse do novo governador foi prestigiada por diversas autoridades dos três poderes, com destaque para o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB), a senadora Rosalba Ciarlini (DEM), a prefeita Micarla de Sousa (PV), o deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB), os ex-senadores Geraldo Melo (PPS) e Fernando Bezerra (PMDB), o procurador geral de Justiça Manoel Onofre Neto e o presidente do Tribunal de Justiça do RN, Rafael Godeiro.




A+ A-