João Faustino teve pedido de habeas corpus negado

Novo pedido de relaxamento da prisão foi encaminhado ao Tribunal de Justiça, cuja decisão será dada amanhã pela desembargadora Zeneide Bezerra.

Diógenes Dantas,
Elpídio Júnior/Nominuto
João Faustino alega ser portador de grave cardiopatia.
O suplente de senador João Faustino (PSDB) terá de passar a noite no Comando da Polícia Militar, onde se encontra preso desde a manhã desta quinta-feira (24).

O pedido de habeas corpus foi negado hoje pela juíza Emanuella Cristina, da 6ª Vara Criminal. Outra solicitação de relaxamento da prisão foi encaminhada ao Tribunal de Justiça, que distribuiu o processo à desembargadora Zeneide Bezerra.

No novo pedido, os advogados de João Faustino pedem a liberdade do cliente. Mas, caso não seja concedida a liberdade, a defesa do tucano pede o benefício da prisão domiciliar por ele ser portador de grave cardiopatia.

Os advogados de João Faustino também pleiteiam que seja reconhecida a ilegalidade, a falta de fundamentação ou a desnecessidade de prisão temporária, declarando seu caráter de constragimento ilegal.

A decisão da desembargadora Zeneide Bezerra é aguardada para esta sexta-feira.
A+ A-