Perfil: Micarla escolheu trabalhar a ser dondoca

Candidata à Prefeitura não teve regalias durante seu início na TV Ponta Negra; união é marca das “mulheres de Carlos Alberto”.

Júlio Pinheiro,
Júlio Pinheiro
Micarla de Sousa discursa durante evento ao lado de correligionários.
Uma mulher família e exemplo de profissional. Esta é a definição que pessoas próximas à deputada Micarla de Sousa (PV) dão sobre a ex-vice-prefeita e candidata à Prefeitura do Natal. 

A reportagem do Nasemana tentou acompanhar a deputada durante todo um dia de campanha para traçar um perfil mais íntimo da parlamentar, mas devido a orientações da coligação – conforme disse a assessoria da candidata –, que temiam arriscar a candidatura da líder das pesquisas, a alternativa encontrada foi ouvir pessoas que há muito tempo estão próximas da borboleta. O que se ouviu, é que Micarla não faz corpo mole para o trabalho e desde criança tem o dom da comunicação.

Convivendo com a filha mais velha do senador Carlos Alberto de Sousa desde o início da adolescência, o diretor de Jornalismo da TV Ponta Negra, Bosco Afonso, disse que a simpatia sempre foi a marca da garota que, na época, morava em Brasília junto ao pai. Comunicativa, Micarla optou por ingressar no curso de Jornalismo da UFRN, onde passou em primeiro lugar no vestibular quando tinha apenas 16 anos. Era o início de sua carreira na mídia.

Já no início da TV Ponta Negra, Micarla era vista com freqüência nos corredores da emissora, onde buscava acumular conhecimentos em todas as áreas da televisão. Apesar de ser a filha do proprietário da emissora, a então estudante de Jornalismo não teve vida fácil dentro da emissora. "Perdi a conta de quantos dias vi Micarla virando a madrugada para editar as coisas aqui. Ela nunca foi dondoca. Sempre teve que colocar a mão na massa", disse Bosco Afonso. Ainda de acordo com o diretor e amigo da família, Micarla passou por todos os setores da emissora, o que ajudou muito na sua formação profissional. "Ela é, sem dúvida, uma das melhores apresentadoras e entrevistadoras do Nordeste", derrete-se o amigo, que também ressalta a união de Micarla e sua família.

Sendo a filha mais velha de Carlos Alberto e Dona Mirian, Micarla e suas irmãs, Rose e Priscilla, sempre foram bastante unidas. Com a morte do senador, a relação entre as quatro mulheres da casa ficou ainda mais estreita. "Foi um momento difícil, mas elas consolidaram ainda mais a relação de cumplicidade que havia entre mãe e filhas", explicou Bosco Afonso. 

Porém, a ligação entre a mais velha, Micarla, e a caçula, Priscilla, é a maior. Segundo o diretor da Ponta Negra, o perfil das duas é bastante semelhante, o que ajuda na convivência. "Priscilla e Micarla são as mais comunicativas. Rose é mais fechada, mas todas se dão muito bem", explicou. Na campanha da deputada do PV, a ligação com a família foi claramente notada.

Na maior parte das caminhadas e comícios de Micarla, o marido da candidata, o radialista Miguel Weber, e a irmã Priscilla eram presenças constantes, ficando junto à população e derretendo-se com os discursos da "estrela" da família. A mãe, Dona Mirian, também participava das mobilizações, demonstrando o quanto a família da candidata apóia o projeto político de Micarla. "Não é porque é minha irmã, mas ela é demais", brincou Priscilla durante o último evento de campanha de Micarla no primeiro turno.

Pelas palavras das pessoas próximas à candidata, o espírito de família e a dedicação ao trabalho são as principais características da mãe de Kalys (6) e Theo (4). Por base nos elogios de quem rodeia Micarla, não há como entender as razões que levaram a coligação a desaconselhar uma matéria sobre o perfil da candidata.
A+ A-