Fuzileiros navais fazem vistoria na Cadeia Pública de Natal

Em uma semana, a operação Varredura realizou buscas em quatro presídios do Estado.

Walfrido Tampa,
Arquivo/Divulgação/Marinha
Fuzileiros navais vêm realizando inspeções nas unidades prisionais do Estado desde o último dia 10, quando foi deflagrada a operação Varredura.

A Cadeia Pública de Natal, localizada na zona norte, passa na manhã desta sexta-feira (17) por uma inspeção realizada por fuzileiros navais, dando continuidade à Operação Varredura, que tem vistoriado unidades prisionais do Estado.

Também conhecida como o Presídio Provisório Raimundo Nonato, a unidade que tem capacidade para manter pouco mais de 200 detentos, possui hoje mais de 600 internos. Algumas ruas no entorno da cadeia foram interditadas para garantir mais segurança na ação.

O trabalho de buscas por objetos proibidos nos presídios é comandado pela Marinha. De acordo com a assessoria de imprensa da Marinha, os militares não estabelecem contato direto com os detentos, que são previamente retirados dos locais de inspeção pelos agentes penitenciários do Grupo de Operações Especiais (GOE) ou policiais militares. A segurança e o isolamento dos presos e do perímetro do presídio também ficam sob responsabilidade dos agentes penitenciários e Polícia Militar.

A vistoria e inspeção da unidade prisional está sendo realizada por fuzileiros navais especializados, procedentes de outros estados, com experiência nesta atividade, que participaram de ações de varredura por ocasião da Copa do Mundo, Olimpíada, Pacificação de comunidades, e em Missões de Paz.

A operação teve início no último dia 10, quando a Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP) foi alvo de inspeção. Na sequência, as equipes se deslocaram para Mossoró, onde fizeram a vistoria na Penitenciária Agrícola Doutor Mário Negócio, na segunda-feira (13), e depois na Cadeia Pública de Mossoró, na quarta-feira (15).

Tags: Operação Varredura Segurança Pública
A+ A-