Governadora paraibana não gostou de ser chamada de Paraíba

Alexandre Cavalcanti,

Essa é pra rir e muito. A governadora Fátima Bezerra (PT), paraibana de nascimento, não gostou de ser chamada de Paraíba pelo presidente Jair Bolsonaro. Eu, potiguar da gema, nos idos de 1963, quando cheguei a Brasília, com 12/13 anos, também, era chamado de Paraíba, pelos meus colegas - cariocas, paulistas, gaúchos -, do Colégio Marista e depois no colégio La Sale. E nem por isso perdia a esportiva.

Assuntos de muito maior importância e relevância estão aí para serem discutidos. A partir da reforma da previdência do Estado. A governadora parece, ainda, esperar que o Senado, representante maior dos Estados brasileiros, possa emendar a proposta aprovada pela Câmara dos Deputados, premiando os governadores nordestinos do PT.  Ou será os paraíbas?


Poti Neto mostra seu projeto para 2020

Alexandre Cavalcanti,

Em postagem em sua rede social, o advogado Poti Neto afirma que seu compromisso em 2020 é com a oposição ao atual sistema governante em São Gonçalo do Amarante.
Assinala que embora seu nome esteja à disposição para ser colocado como pré-candidato a prefeito, isso não constitui nenhuma exigência de sua parte, pois o importante é que a oposição tenha capacidade de se unir.
Justificando essa necessidade, lembra que o grupo que domina a Prefeitura dispõe de uma grande estrutura e já demonstrou que sabe muito bem usar a máquina, inclusive de forma inescrupulosa.
Abaixo, na íntegra, a nota de conclamação publicada por Poti Neto:

“A todos os são gonçalenses

Meu nome sempre estará à disposição do município de São Gonçalo, seja como pré-candidato a prefeito, seja como um simples cidadão que deseja um futuro melhor para sua gente.Ou até mesmo como candidato a vereador.
Diante de algumas dúvidas que me têm sido apresentadas, sem me julgar dono da verdade, quero antecipar que não existe a menor possibilidade de voltar a me compor com os nossos atuais adversários, uma vez que eles não corresponderam à confiança que neles depositei em 2012.
Estou em permanente contato com o povo de São Gonçalo e sinto que esse pensamento representa o desejo da maioria dos nossos amigos, principalmente dos jovens.
Agora: entendo que o grupo da Prefeitura sabe usar muito bem a máquina pública, de forma inescrupulosa, em benefício próprio, e que para derrotá-lo precisamos construir uma sólida união de todas as forças de oposição.
Do mesmo jeito que muitos me consideram pré-candidato, respeito a pretensão de vários outros amigos que também se colocam nessa condição. Assim, a todos eu digo – do mesmo jeito que posso aceitar a condição de pré-candidato, entendo que outros nomes têm o mesmo direito. Mas, para a vitória, que é o mais importante para o município, não há dúvida, que precisamos construir uma união e, dessa união, tirar um nome que possa representar a todos.
Poti Neto”



O RN sempre uma forte bancada de senadores

Alexandre Cavalcanti,

O Rio Grande do Norte, historicamente, sempre teve uma uma influente bancada no Senado Federal, desempenho o senador Dinarte de Medeiros Mariz, passando por Jessé Pinto Freire, Carlos Alberto de Souza, Fernando Bezerra, Garibaldi Filho e José Agripino Maia.

Dinarte tinha grande influência entre os senadores, foi primeiro secretário da Casa, e era frequentador assíduo dos palácios do Planalto, gabinete dos despachos, e do Alvorada, residência oficial do presidente da República.

Jessé Freire, além de senador da República eleito e reeleito(morreu no mandato), exercia, também, liderança no empresariado nacional como presidente da poderosa Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Da mesma forma, o senador Fernando Bezerra também exerceu forte liderança empresarial, como secretário e depois presidente da CNI (Confederação Nacional da indústria). Foi também líder no Governo no Senado e Ministro de Estado.

O senador Carlos Alberto foi sempre uma presença marcante no Senado. Por muito anos, recebeu elogios pelo seu desempenho no mandato. Era superado apenas pelo senador Nelson Carneiro, do Rio de Janeiro, autor da Lei do Divórcio.

Garibaldi Filho foi, recentemente, escolhido por seus pares como presidente do Senado e foi presidente da Comissão de Infraestrutura e ministro da Previdência Social. 

O senador José Agripino foi eleito e reeleito outras três vezes para senador da República. Foi líder da Oposição no governo do presidente Lula e Presidente Nacional dos Democratas.



Classificação da bancada potiguar no Congresso é vergonhosa

Alexandre Cavalcanti,
Agência Câmara
Nenhum congressista do Rio Grande do Norte aparece entre os 100 primeiros no Ranking dos Políticos.

O Ranking dos Políticos, publicação que existe para informar quem é quem no Congresso Nacional, confirma a minha tese de que a bancada federal do Rio Grande do Norte, eleita em 2018, é a pior de todos os tempos.

A deputada Natália Bonavides, do PT, e a senadora Zenaide Maia Calado, do Prós,  com 68 pontos negativos e 36 pontos negativos, respectivamente, ocupam as derradeiras posições no ranking. 

Natália está no 542° lugar e a senadora Zenaide, no 487°. É bom lembrar que juntando Câmara e Senado, temos 594 cadeiras: 513 deputados federais e 81 senadores.

É lamentável, mas nenhum congressista do Rio Grande do Norte aparece entre os 100 primeiros. O deputado federal Benes Leocádio (PRB) é o melhor situado, em 120° lugar, seguido pelo senador Styvenson Valentim(Podemos), em 125°.

O deputado Walter Alves(MDB) aparece no 138° lugar, seguido por Fábio Faria(PSD) e João Maia (PR), em 185° e 242°, respectivamente.

Os os deputados general Girão(PSL),  Beto Rosado(PP), o senador Jean Paul Prates (PT) e o deputado Rafael Motta (PSB) estão bem mais distantes dos primeiros: Girão, em 348°; Beto, 369; Jean Paul, 404° e Rafael, 476°.


Agaciel Maia na mira da polícia do DF

Alexandre Cavalcanti,

Investigadores da Polícia Civil do Distrito Federal miraram o que viram, mas acertaram o que não viram. Ao cumprirem mandados de busca e apreensão na Câmara Legislativa  (CLDF) no dia 4 de julho, os agentes procuravam evidências sobre fraudes em listas de ponto dos deputados, na investigação que tem como alvo principal o segundo-secretário da Casa, Robério Negreiros (PSD). No entanto, acabaram encontrando pistas de outra possível irregularidade, desta vez, envolvendo o distrital Agaciel Maia (PL), norteriograndense, irmão do deputado federal João Maia e da senadora Zenaide Maia Calado.

Há suspeitas de que Robério tenha adulterado mais de 50 documentos de registro de presença. As falsificações, de acordo com o MP, teriam contado com a ajuda do diretor-legislativo, Arlécio Alexandre Gazal. Por isso, os investigadores fizeram diligências nos gabinetes dos dois, entre outras salas. A ação ocorreu em apoio à operação deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT)

Em uma das gavetas da mesa de Gazal, na Diretoria Legislativa, localizada no quinto andar da CLDF, os policiais encontraram canhotos de cheques nominais a Agaciel. Somados, os valores chegam a R$ 300 mil. No local, também foi apreendido um contrato de compra e venda de uma casa no litoral do Rio Grande do Norte, que seria de propriedade do distrital. De acordo com o documento, o imóvel foi repassado a Gazal em uma suposta transação envolvendo o pagamento de R$ 500 mil.

Com os documentos em mãos, integrantes da Coordenação Especial de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado, aos Crimes Contra a Administração Pública e aos Crimes Contra a Ordem Tributária (Cecor) abriram investigação para apurar a origem do dinheiro e as supostas transações entre Gazal e Agaciel. Os policiais trabalham com a hipótese de um esquema para financiar a compra de cargos públicos na CLDF. O diretor-legislativo foi levado à delegacia para prestar depoimento sobre o material apreendido.

Em entrevista ao Metrópoles, Gazal disse que o valor era fruto de um empréstimo ao deputado. De acordo com o servidor, de 84 anos, o distrital teria precisado do montante para pagar advogados. “Quando o Agaciel se elegeu deputado, eu já estava aqui. Os canhotos referem-se a várias situações em que ele precisou de dinheiro. Esses canhotos de cheque estão no nome do Agaciel. Isso é para ele pagar situações dele, porque o que ele paga de advogado é uma festa. Ele pega e contrata advogado, pois cada parecer dele custa R$ 50 mil. Ele tem processos um em cima do outro, e vive me pedindo dinheiro”, disse.

Negócios

Questionado pela reportagem sobre o que ganha emprestando dinheiro ao deputado e como havia sido a transação envolvendo o imóvel, Gazal afirmou que mantém negócios com o distrital. “O que ganho com isso? De vez em quando, eu preciso dele, mas não é para arrumar cargo. Nunca arrumei cargo para ninguém. Agaciel tem uma casa no Rio Grande do Norte, na beira da praia, mas ela é minha. Eu paguei, não transferi para o meu nome, mas tem um contrato de compra e venda. Ali, entram aqueles R$ 500 mil. Ele desfruta, mas a casa é minha”, afirmou.

O diretor-legislativo sublinhou que dinheiro nunca foi um problema. “Eu tenho mais de R$ 10 milhões na conta, e isso é demais para quem trabalha desde menino e sempre em cargos de chefia no serviço público? Eu acho que não. Basta olhar a minha posição aqui na Câmara. Praticamente, fabriquei isso aqui. Eu criei a Câmara. Podem saber do meu passado, principalmente com os servidores efetivos. Não existe nada contra mim questionando minha honestidade e capacidade de trabalho. Podem perguntar para os deputados de 1991 e o para os atuais. Todos terão a mesma reação quanto tocam no meu nome.”

Histórico controverso

Figura conhecida desde a criação da Câmara Legislativa, Arlécio Gazal tem uma atuação controversa e marcada por escândalos. Sempre ligado aos gabinetes mais poderosos da Casa, em diferentes legislaturas, o servidor chegou a ser considerado “o 25º parlamentar”, um reconhecimento à forte persuasão a integrantes da CLDF. Ele é um dos técnicos mais antigos da CLDF e já foi, inclusive, secretário-geral em algumas oportunidades.

Em 2012, então presidente da Fundação Câmara Legislativa (Funcal), Gazal foi alvo de pedido do Ministério Público de perda da função pública e suspensão dos direitos políticos. O caso ocorreu na gestão do ex-presidente da CLDF Leonardo Prudente, pai do atual número um do legislativo local, Rafael Prudente (MDB).

Ao lado de distritais da época, ele foi acusado de participar de suposto esquema criação de cargos públicos, com desvio de finalidade, e que teria acarretado gastos de mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos. O MPDFT também encontrou servidores-fantasmas dentro da estrutura do órgão. Assim como aos distritais, foi requerido de Gazal o pagamento de multa de até 100 vezes o valor da remuneração percebida e a condenação ao ressarcimento integral dos danos. Quando o caso veio à tona, ele pediu exoneração.

Antes, em 2007, Gazal também foi arrolado em ação de improbidade administrativa na gestão de Alírio Neto como presidente da Casa. O Ministério Público os acusou de terem descumprido o limite mínimo exigido por lei para ocupação de cargos de confiança por servidores concursados. A Justiça considerou que as irregularidades “atentaram contra os princípios da administração pública”. Alírio foi condenado, mas não perdeu os direitos políticos.

Atualmente, Gazal é diretor-legislativo justamente por indicação de Agaciel, de quem já foi chefe de gabinete quando o distrital exercia o cargo de vice-presidente da Casa.

A reportagem tentou entrar em contato com o deputado Agaciel Maia, mas, segundo sua assessoria, o distrital está em uma zona rural no interior do Rio Grande do Norte, onde não existe sinal de celular. O Metrópoles mantém o espaço aberto para que ele se manifeste assim que fizer contato.



Prefeitura de São Gonçalo faz contrato sem licitação

Alexandre Cavalcanti,
Reprodução
Documento cita a legislação que permite a dispensa, mas não esclarece os motivos que levaram a tal decisão.

A Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Amarante acaba de contratar, sem licitação, a empresa Servnews Gestão e Locação de Mão-de-Obra Eireli para atender as necessidades da Secretaria de Educação e demais secretarias. O valor do contrato é superior a 3 milhões e 300 mil reais. A duração do contrato é de três meses, mas pode ser prorrogado.

O termo de dispensa de licitação foi assinado pelo secretário municipal de Educação, professor Abel Soares Ferreira no mesmo dia da publicação do contrato, 7 de julho de 2019. O documento cita a legislação que permite a dispensa, mas não esclarece os motivos que levaram a tal decisão.


MDB usa Hermano para abrir espaços na Prefeitura

Alexandre Cavalcanti,

A irritação do deputado Hermano Morais(MDB) faz sentido. Ele estaria sendo usado como moeda de troca: a cúpula do seu partido, em atenção ao prefeito Álvaro Dias, de Natal, estaria dificultando o seu desligamento do MDB. Em contrapartida, abriria novos espaços para emedebistas.

Setores ligados ao deputado Hermano Morais disseram não entender a mudança repentina dos comandantes do MDB. No início do processo de desfiliação de Hermano parecia não haver nenhuma dificuldade. Logo em seguida, "a relação ficou tensa".

Hermano pode esperar até março de 2020, data da janela partidária, para deixar o MDB. Entretanto, pretende resolver logo e decidiu pedir a liberação na justiça, uma solução considerada traumática do ponto vista político.



PSDB e MDB conversam para afinar discurso e alianças

Alexandre Cavalcanti,

O deputado Ezequiel Ferreira de Souza, presidente da Assembléia e do PSDB, e o deputado federal Walter Alves, vice-presidente do MDB, conversaram demoradamente sobre o quadro político estadual e passaram em revista as expectativas dos dois partidos para as eleições municipais de 2020.

Ficou acertado que PSDB e MDB vão trabalhar para afinar suas lideranças municipais, permitindo, assim, o maior número possível de alianças.

Caso o prefeito de Natal, Álvaro Dias, permaneça no MDB, é possível que os dois partidos façam aliança, também, na capital do Estado, bem próximo da governadora Fátima, aliada do PSDB e de Ezequiel.


Natal: PT tem dificuldade para encontrar um nome

Alexandre Cavalcanti,

O Partido dos Trabalhadores não tem, ainda, um nome certo para disputar a Prefeitura de Natal. O ex-deputado Fernando Mineiro, derrotado em sua tentativa de ser deputado federal, passou para o final da fila. O principal nome hoje é o da deputada Natália Bonavides. Mas há quem discorde.

Além de resistências internas, a deputada tem sido desaconselhada pela cúpula do partido, em Brasília. Natália tem se destacado na Câmara Federal e o partido parece não querer abrir mão de sua presença no Congresso.

Um outro nome, também, à frente de Fernando Mineiro, é o do senador Jean Paul Prates, suplente da governadora Fátima Bezerra, hoje, titular no Senado Federal. Jean Paul quer ser senador de novo e a sua candidatura seria uma estratégia para torná-lo conhecido.

Há, ainda, dentro do PT, quem defenda um nome fora dos quadros políticos tradicionais. Esse nome sairia da comunidade acadêmica. leia-se: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).


Abraão Lincoln rompe com Benes e deixa o PRB

Alexandre Cavalcanti,

adqdsaAbraão Lincoln discorda da política do novo presidente, deputado Benes Leocádio, deixa o PRB e está à caminho do Solidariedade, do deputado Kelps Lima. O que deveria ser uma sucessão sem traumas, terminou rolando um estresse entre o ex e o novo presidente.

Nas próximas horas é aguardado um comunicado oficial do ex-presidente do PRB explicando os motivos que o levaram a deixar o partido. Não adiantaram os apelos de lideranças nacionais.

Entre as discordâncias estaria a comercialização do PRB em Mossoró, Mato Grande e até no Grande Natal, mais precisamente no município de São Gonçalo do Amarante.


Fátima terá que fazer a reforma da Previdência Estadual

Alexandre Cavalcanti,

A governadora Fátima Bezerra (PT) faz um barulho danado contra a reforma da Previdência, simplesmente pelo fato de ser " a reforma de Bolsonaro", mas não engana a ninguém: quer receber a reforma de presente, de graça, sem ter que pagar o ônus.

A conta é muito simples: o déficit da previdência do Estado gira em torno de 100 milhões/mês, ou seja, mais de 1 bi por ano. Governante nenhum, em sã consciência, pode fincar trincheira contra a reforma. Até porque o dinheiro está acabando. Acho até que já acabou.

A coisa vai ficar pior quando Fátima for obrigada a fazer a sua própria reforma.


Deputado Hermano Morais vai pedir na Justiça para deixar o MDB

Alexandre Cavalcanti,

DeputadoHermanoMoraisO deputado Hermano Morais vai entrar na Justiça para sair do MDB e disputar a Prefeitura de Natal, nas eleições do próximo ano. Ao que tudo indica, mudou o tom da conversa entre o deputado e os comandantes do partido, Garibaldi Alves Filho e o deputado Walter Alves.

Logo no início das conversações, o ex-senador Garibaldi teria dito ao deputado Hermano que "ninguém deve permanecer onde não quer" e que não teria nenhum problema a sua desfiliação do MDB.

Agora, mudou o tom da conversa e o deputado já decidiu entrar na Justiça para garantir o direito de deixar a legenda e viabilizar sua candidatura a prefeito de Natal.


Álvaro Dias vai mesmo deixar o MDB

Alexandre Cavalcanti,

É muito difícil a permanência do prefeito Álvaro Dias no MDB, do senador Garibaldi Alves Filho e do deputado Walter Alves. Álvaro têm outras duas alternativas: PDT, do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves, ou o PSDB, do presidente da Assembléia, deputado Ezequiel Ferreira de Souza.

O prefeito, que já havia confessado seu descontentamento com o MDB, mandou fazer uma pesquisa para saber o nível de satisfação do povo com o partido, especialmente, pelo seu envolvimento em escândalos de corrupção.

A primeira opção de Álvaro é o PDT, mas vai depender do apoio de Carlos Eduardo ao seu projeto de reeleição. O relacionamento entre os dois precisa ser melhor trabalhado desde que Álvaro negou o espaço pretendido por Carlos para sua mulher, Andréa Ramalho.

A outra alternativa seria o PSDB, de Ezequiel. O presidente da Assembléia toparia apoiar uma candidatura a prefeito de Natal contra a governadora Fátima Bezerra. O PT, de Fátima, não abre mão de ter um nome para disputar com Álvaro Dias.


Blogueiro denuncia perseguição política

Alexandre Cavalcanti,

Blogueiro denuncia perseguição política em São Gonçalo do Amarante. O prefeito Paulo Emídio Medeiros(PR), o Paulinho da Habitação, teria registrado um boletim de ocorrência (BO), na delegacia local, contra o blogueiro Leidismar Regis Gurgel, o Alemão, do Blog São Gonçalo Verdade.

O blogueiro responsabilizou o prefeito pela construção de abrigos de passageiros (paradas de ônibus)  que não agradaram aos usuários. Alemão, também, teria registrado em seu blog que o prefeito promoveu grande arrastão sobre lideranças da oposição e que iria criar novos espaços na prefeitura para beneficiar vereadores da base aliada.

A proximidade da abertura do processo sucessório municipal para 2020 aumentou a tensão política em São Gonçalo do Amarante. As redes sociais têm contribuído para elevação do clima e para o crescimento das oposições.



Fernando Freire ganha liberdade

Alexandre Cavalcanti,

O ex-governador Fernando Freire foi solto está tarde e já está em um pequeno apartamento, cedido por um amigo, no Bairro do Tirol, em Natal. Fernando ganhou progressão de pena  para o regime semiaberto, está usando tornozeleira eletrônica e fica neste endereço, pelo menos, durante os próximos três meses quando deverá conquistar nova progressão para o regime aberto.

O advogado do ex-governador Fernando Freire, dr. Flaviano Gama, conseguiu reduzir uma pena superior a 90 anos de prisão para 12 anos. A partir daí, a defesa conquistou outra nova vitória: a progressão para o regime semiaberto.


MDB e PT podem caminhar juntos em Natal

Alexandre Cavalcanti,

Uma aliança entre o MDB, do prefeito Álvaro Dias, de Natal, e o PT, da governadora Fátima Bezerra, não será surpresa. Álvaro até já ensaiou alguns passos com Fátima. Estavam meio fora do compasso, mas, ainda, falta muito tempo até a abertura do processo sucessório.

O prefeito de Natal, apesar da desconfiança de alguns, a esta altura do campeonato, consolidou o seu jeito de governar e já pode até anunciar que é candidato à reeleição.

A governadora  Fátima e o prefeito Álvaro têm conquistado bons índices de aprovação. Os candidatos do PT a prefeito de Natal, - Mineiro e Natália Bonavides -, entretanto, carecem de um perfil para o executivo. Aí, fica fácil trabalhar uma aliança MDB/PT, na Capital do Estado.


Os pleitos municipais não terão mais coligações

Alexandre Cavalcanti,

Estão chegando as primeiras eleições municipais sem coligações proporcionais. Quem é candidato tem, primeiro, que organizar o partido e montar uma nominata para disputar as preciosas cadeiras do Poder Legislativo. As coligações só serão permitidas para candidatos majoritários.

Esse é um grande obstáculo para partidos considerados pequenos e mesmo os de maior peso mas que estão fora do poder. "É muito difícil formar um partido forte, sem a ajuda do poder público", disse um vereador de Natal.

O PT, da governadora Fátima Bezerra, o MDB do prefeito Álvaro Dias e o PSDB, do presidente da Assembléia, Ezequiel Ferreira, são os que mais tem chances de crescer nas próximas eleições.



Fátima ainda não sabe como enfrentar a greve da PM

Alexandre Cavalcanti,

A governadora Fátima Bezerra (PT) que construiu sua vida pública comandando greves e estimulando paralisações, deveria ter na gaveta um plano para enfrentar movimentos como esse da PM e Corpo de Bombeiros.

Comentários iguais são ouvidos nos corredores da Assembléia Legislativa. Todos lembram de Fátima, deputada estadual, nos dois governos de Garibaldi Alves Filho. Era a pregação do quanto pior melhor.


Hermano no PDT e Álvaro tenta reaproximação com Carlos Eduardo

Alexandre Cavalcanti,

O prefeito Álvaro Dias, de Natal, tenta convencer o deputado Hermano Morais a permanecer no MDB e adiar o seu projeto de ser candidato a prefeito da capital. Hermano já arrumou as malas e está acertando os últimos detalhes de sua transferência para o PDT, partido do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves.

Hermano sabe que no MDB não tem chances de ser candidato. O prefeito Álvaro Dias tem direito à reeleição e não abre nem para um trem. Um outro ingrediente estimula o deputado Hermano Morais a ser candidato contra Álvaro: foi preterido para vice de Carlos Eduardo, justamente, em benefício do atual prefeito de Natal.

Assessores do prefeito, entretanto, buscam uma reaproximação entre Álvaro e Carlos Eduardo, inelegível para o próximo pleito. O relacionamento entre ambos sofreu alguns abalos. O ex-prefeito, derrotado para governador, reclama de desprestígio político e falta de espaço.


Nélter ganha de Paulinho na Justiça

Alexandre Cavalcanti,

A Justiça deu ganho de causa ao deputado estadual Nélter Queiroz(MDB) na ação movida pelo prefeito Paulo Emídio (PR), o Paulinho da habitação, de São Gonçalo do Amarante. No início do processo eleitoral de 2018, Nélter denunciou, em entrevista, que Paulinho estava nomeando lideranças políticas de várias municípios em benefício da candidatura de sua mulher, Terezinha Maia(PR) a deputada estadual.

A decisão judicial aconteceu no incio do ano de 2019 e, segundo a Justiça, as declarações do deputado Nélter Queiroz não configuraram difamação. Nélter apresentou portarias assinadas pelo prefeito de São Gonçalo nomeando parentes ou indicados de lideranças políticas de vários municípios do Estado.

1-20 de 1347