Tecendo o Fio das Palavras

Críticos da felicidade (alheia)

Monique Pimentel,

Vou confessar uma coisa. Costumo criticar quem posta muitas “alegrias” nas redes sociais, quem vive em tempo real, colocando vídeos e estampando uma felicidade que me parece tão “montada”.

Mas eis que vejo uma frase do sábio escritor Zack Magiezi que foi como um tapa de luvas em mim. A frase diz assim: “Quando alguém compartilha uma felicidade não é para ofender, é para lembrar o caminho de volta quando o mundo desmoronar em tristeza”. E ele ainda endereça a frase aos críticos da felicidade alheia.

E não é que me senti exatamente assim, uma crítica da felicidade alheia. É que eu, você e todos nós conhecemos tão de perto pessoas que camuflam a felicidade nas redes sociais e a gente sabe que as coisas no mundo real não são bem assim.

Mas como Magiezi falou, essas pessoas não compartilham felicidade para ofender, lá no fundo tem uma carência, um desejo, uma falta ou até nada disso, apenas uma vontade que não interessa a mim, a você ou a qualquer terceiro.

Então, talvez olhar essas alegrias sob uma nova ótica, aquela que nos liberta e faz a vida ser bem mais leve, seja renovador. E esse novo olhar diz respeito a entender que cada um é responsável pela sua vida e pelas suas "alegrias"..

Então se a pessoa quer postar sorrisos, fantasias, alegrias, mesmo a gente conhecendo e sabendo que não é bem assim, a quem interessa?

Talvez seja uma estratégia.

Talvez seja uma saída.

Talvez seja até verdade.

Talvez, só talvez...

E o que interessa mesmo é cada um olhar para dentro. Cuidar de suas alegrias e tristezas, equilibrar o que externamos e o que pulsa aqui dentro.

Que sejamos críticos da própria felicidade.



A+ A-